Terry Jones (pastor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Terry Jones
Terry Jones
Nascimento outubro de 1951
Cape Girardeau, Missouri
Nacionalidade EUA
Ocupação Pastor


Terry Jones (nascido em outubro 1951) é o pastor da Dove World Outreach Center, uma pequena igreja cristã congregacional em Gainesville (Flórida). [1]

Ganhou a atenção nacional e internacional em 2010 ao fazer planos de queimar o Alcorão no nono aniversário dos ataques de 11 de setembro. Houve o clamor de alguns líderes mundiais e Terry Jones foi dissuadido da idéia, chegando a declarar que não faria mais tal coisa.[2] Mesmo assim as ameaças de tal ato provocaram protestos na Asia e Oriente Médio, com morte de pelo menos 20 pessoas.

Em 20 de março de 2011, Jones realizou um "julgamento do Alcorão" em sua igreja em Gainesville. Declarou-a culpada de "crimes contra a humanidade" e queimou o Alcorão na igreja. [3] Os manifestantes no norte do Afeganistão cidade de Mazar-e_Sharif e em outros lugares atacaram a Missão de Assistência das Nações Unidas, matando pelo menos 30 pessoas e ferindo pelo menos 150 pessoas.[4] [5] [6] Sete eram membros da ONU.[7] Jones não atribui a si a responsabilidade e analistas de notícias americanos criticaram e culparam Hamid Karzai, presidente do Afeganistão, por chamar a atenção para a queima do Alcorão.[8]

Terry Jones se auto-declarou candidato presidencial independente nas eleições dos EUA de 2012.

Condenado à morte[editar | editar código-fonte]

Recentemente, no Tribunal Penal do Cairo, Terry Jones e outros sete cristãos Coptas foram julgados à revelia por "ofender o islã e prejudicar a união nacional do Egito". Terry Jones foi réu no processo por apoiar o filme A Inocência dos Muçulmanos e por queimar exemplar do Alcorão, o que lhe rendeu a sentença de morte.[9] [10]

Referências