Vir illustris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Insignia viri illustris praefecti praetorio per Illyricum, insígnia do Notitia Dignitatum.

Vir illustris ("homem ilustre") era uma indicação formal na Antiguidade Tardia para descrever os mais altos escalões dentre dos senadores de Roma e Constantinopla. Todos os senadores tinham o título de vir clarissimus ("homem muito famoso"), mas a partir de meados do século IV, vir illustris e vir spectabilis ("homem admirável", uma classificação inferior ao illustris) eram utilizados para distinguir os titulares de altos cargos.

Em inscrições e manuscritos antigos, a grafia inlustris é mais comum.[1] Uma vez que os illustris eram um subconjunto dos clarissimus, o título era muitas vezes dado como vir clarissimus et illustris particularmente em documentos oficiais.[2] A forma mais curta é comumente abreviada v. i. (plural vv. ii.), v. inl. ou vir inl.; a forma mais longa como v. c. et inl.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Senadores romanos na antiguidade tardia tinham o título de vir clarissimus acrescentado ao seu nome, um costume que tinha sido desenvolvido gradualmente nos séculos I-II.[4] No século IV, a ordem senatorial expandiu-se enormemente, de modo que o título tornou-se mais comum e novos títulos, vir spectabilis e vir illustris foram necessários para dar distinção aos altos senadores.[5] O primeiro exemplo é de 354 quando um prefeito pretoriano usou-o.[6] Por algumas décadas ocorreu inconscientemente, então as suas aparições tornaram-se mais regulares,[7] [8] talvez em conexão com a codificação formal de honras sob Valentiniano I em 372.[9] [10] [11]

Os ofícios que tiveram o direito ao título mudaram com o tempo. O Notitia Dignitatum do começo do século V anexa os seguintes ofícios: prefeito do pretório, prefeito urbano, mestre dos soldados (magister militum), prepósito do cubículo sagrado, mestre dos ofícios, questor, conde dos tesouros sagrados, conde da fortuna privada e comes domesticorum equitum dive peditum.[12] [13] Além destes, o título também era frequentemente dado aos cônsules,[14] e ocasionalmente para ofícios menores. Nestes casos o título pode mostrar um alargamento dos critérios ou podem ser simplesmente uma subvenção honorária a um indivíduo.[15]

O illustris logo passou a ser considerado como a parte ativa do senado; e em meados do século V, spectabilis e clarissimus já não participavam mais no senado.[16] Na época de Justiniano I, os senadores são definidos como illustris.[17] Ao mesmo tempo o título illustris tinha sofrido uma desvalorização semelhante ao de clarissimus no século IV; titulares de altos cargos eram agora indicados com o título vir gloriosus ou gloriosissimus e vir magnificus.[18]

Referências

  1. Mommsen 1905, p. CXLVII
  2. Hirschfeld 1901, p. 596-598
  3. Berger 1915, p. 1070; 29-38
  4. Hirschfeld 1901, p. 580-582
  5. Jones 1964, p. 525-528
  6. Teodósio II 438, p. XI.1.6
  7. Berger 1915, p. 1072-1073
  8. Hirschfeld 1901, p. 595
  9. Jones 1964, p. 142-143
  10. Näf 1995, p. 20
  11. Heather 1998, p. 188-191
  12. Notitia Dignitatum. [S.l.: s.n.], século V. p. II.15; II.13.
  13. Berger 1915, p. 1074-1075
  14. Berger 1915, p. 1078; 29-44
  15. Berger 1915, p. 1078-1079
  16. Jones 1964, p. 529
  17. Justiniano 529-534, p. I.9; XII.1
  18. Näf 1995, p. 21-22

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Berger, A.. Realencyclopädie der Classischen Altertumswissenschaft. [S.l.: s.n.], 1915. Capítulo Illustris.
  • Heather, P.. The Cambridge Ancient History XIII. [S.l.: s.n.], 1998. Capítulo Senatorial Careers.
  • Hirschfeld, O.. O título posto do Império Romano. Berlim: [s.n.], 1901. Capítulo Illustris.
  • Jones, A. H. M.. The Later Roman Empire 284-602, A Social, Economic, and Administrative Survey. Oxford: Blackwell, 1986.
  • Justiniano. Corpus Juris Civilis. [S.l.: s.n.], 529-534. Capítulo Digesta.
  • Momsen, T.. Theodosiani Libri XVI cum Constitutionibus Sirmondianis. [S.l.: s.n.], 1905.
  • Näf, B.. Consciência da classe senatorial no Império Romano Tardio. Freiburg: Freiburg University Press, 1995.
  • Teodósio II. Codex Theodosianus. [S.l.: s.n.], 438.