Ênio Pipino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Ênio Pipino (Penápolis, São Paulo, 12 de junho de 1917 - Bebedouro, São Paulo, 16 de junho de 1995), foi um empresário brasileiro. Seus pais nasceram na cidade italiana de Pinerolo, província de Torino e emigraram para o Brasil no final do século XIX.

Como a maioria dos imigrantes italianos da época, foram trabalhar nas lavouras de café.

Juventude[editar | editar código-fonte]

Em 1928, a família mudou-se para Presidente Venceslau, ali Ênio estudou e dedicou-se ao trabalho, inicialmente como auxiliar de telegrafista da Estrada da Ferro Sorocaba, em seguida, juntamente com seu pai montou um curtume. Casou-se com a jovem Nilza de Oliveira Pipino, logo começou a trabalhar como correspondente comercial dos bancos do Brasil.

Política[editar | editar código-fonte]

Em 1942 foi nomeado Juiz de Paz, exercendo o cargo por três anos, em 1945 foi nomeado Prefeito Interventor de Presidente Venceslau, cargo que ocupou durante dois anos.

No ano de 1948, foi eleito Prefeito de Presidente Venceslau e em 1952 ocupou o cargo de Presidente da Câmara Municipal.

Colonização no Estado do Paraná[editar | editar código-fonte]

Juntamente com seu amigo João Pedro Moreira de Carvalho funda, em 1948, a Sociedade Imobiliária Noroeste do Paraná, mais conhecida como Sinop Terras S/A. Em 1954 Enio Pipino vai ao Estado do Paraná, onde funda várias cidades como:Terra Rica, Formosa do Oeste, Iporã, Ubiratã, Jesuítas dentre outras.

Colonização do norte do Estado de Mato Grosso[editar | editar código-fonte]

No inicio dos anos 1970, o norte de Mato Grosso era apenas um imenso vazio demográfico. Numa área de 645 mil hectares denominado Gleba Celeste inicia a colonização. Na altura do Km 500 da BR-163, divide a Gleba em sítios, fazendas, chácaras e implantando as cidades de Vera, Sinop, Santa Carmem e Cláudia, atraindo milhares de brasileiros, principalmente do sul do Brasil.

Em 1979, funda a Agro Química Industrial S/A, complexo alcooleiro destinado a produção de álcool de mandioca com tecnologia alemã, em 1981, a empresa começa a funcionar, atraindo um elevado número de pessoas a Sinop. Em razão de problemas de ordem administrativo-financeiros e mudanças na política do Governo Federal, a Agro Química passa a enfrentar dificuldades, apesar da luta incessante de Ênio, e empresa encerra suas atividades alguns anos.

Foi convidado e participou de várias comitivas realizadas pelo Governo Federal, para grandes empresários brasileiros, no exterior: Alemanha, Chile, Argentina, Paraguai, França, Estados Unidos, Canadá, China, Japão, etc.

Morte[editar | editar código-fonte]

Ênio faleceu em Bebedouro, estado de São Paulo, em 16 de junho de 1995, aos 78 anos de idade, logo após ter participado do sepultamento do seu amigo e sócio João Pedro Moreira de Carvalho.

Méritos e homenagens[editar | editar código-fonte]

Recebeu um grande número de títulos e condecorações como:

  • Cidadão Benemérito do Estado do Paraná
  • Cidadão Honorário do Estado de Mato Grosso
  • Cidadão Benemérito no grau de Grã Cruz da Academia Santa Helena de Humanismo e História da cidade do Rio de Janeiro
  • Comendador da Ordem Giuseppe Garibaldi
  • Benfeitor da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Venceslau
  • Medalha D. Pedro II da Ordem da Solidariedade São Paulo
  • Membro do Comitê Setorial de Agricultura do Fórum das Américas
  • Colar José de Anchieta pelo Instituto Histórico e Cultural
  • Medalha do Mérito Agrícola pela Confederação Nacional da Agricultura em Brasília
  • Título de Cidadão Venceslauense
  • Título e Comenda Grau de Comendador da Ordem do Mérito da Aeronáutica
  • Título de Cidadão Honorário de Sinop
  • Medalha do Mérito Industrial da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso
  • Etc

Ênio também foi homenageado com nomeações de inúmeras ruas e escolas em inúmeras cidades de São Paulo, Paraná e Mato Grosso.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Raízes da História de Sinop, Luiz Erardi F. Santos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]