Abram Petrovich Gannibal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abram Petrovich Gannibal
Nascimento 1696
Império Etíope
Morte 1783 (87 anos)
Residência Tomsk, França, Paris, Império Russo, Cazã, Tobolsk (setembro 1727), Tomsk, Irkutsk, Tallinn, Pärnu (1742)
Cidadania Rússia
Ocupação engenheiro militar, militar, engenheiro
Prêmios Cavaleiro da Ordem de Santo Alexandre Nevsky, Ordem de Santa Ana
Assinatura
SignatureAbramPetrovichGannibal.jpg

Abram Petrovich Gannibal (Etiópia, 1696 - Rússia, 1781) foi o primeiro intelectual negro da Europa.[1]

Em 1703 foi capturado e vendido ao sultão de Constantinopla, que o revendeu à corte de São Petersburgo, onde se tornou apadrinhado do czar Pedro, o Grande. Aos vinte anos, Abram Petrovich foi enviado a Paris para concluir seus estudos, se formando em engenharia militar. Na época em que viveu em Paris, conheceu Voltaire, Montesquieu e Diderot, entre outros pensadores, que o chamavam de "estrela negra do iluminismo".

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Era bisavô do pai da literatura russa, Alexandre Pushkin. Era pai de Ossip Abramovitch Hanniball, por sua vez pai de Nadejda Ossipovna Hanniballa, mãe de Alexander Sergueivitch Hanniball, pai do escritor.

Ele foi casado com a aristocrata Cristina Regina Siöberg, filha de Mattias Johann Siöberg (filho de Gustaf, conde de Estrup e de Clara Maria Lauritsdatter Galtung) e de Cristina Elisabeth d' Albedyll.

Notas

  1. Segundo supõe seu biográfo, Hugh Barnes.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • URBIM, Emiliano. In O cavalheiro negro do czar. Artigo. Revista Superinteressante. Abril/2009.