Acianthera crinita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAcianthera crinita
Acianthera crinita.jpg
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Epidendroideae
Tribo: Epidendreae
Subtribo: Pleurothallidinae
Género: Acianthera
Espécie: A. crinita
Nome binomial
Acianthera crinita
(Barb.Rodr.) Pridgeon & M.W. Chase (2001)
Sinónimos[1][2]
  • Pleurothallis crinita Barb.Rodr.
  • Acianthera renipetala (Barb.Rodr.) Luer
  • Cryptophoranthus kautskyi Pabst
  • Lepanthes renipetala Barb.Rodr.
  • Pleurothallis renipetala (Barb.Rodr.) Cogn.
  • Pleurothallis renipetala grandifolia Cogn.
  • Pleurothallis renipetala intermedia Cogn.
  • Lepanthes crinita (Barb.Rodr.) Barb.Rodr.
  • Pabstiella crinita (Barb.Rodr.) Luer
  • Specklinia crinita (Barb.Rodr.) F.Barros

Acianthera crinita é uma pequena espécie de orquídea (Orchidaceae) originária do Brasil.[3][4] A espécie foi descrita em 2001 por Mark W. Chase e Alec M. Pridgeon.[5] É encontrada nos estados brasileiros de Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Ocorre no domínio fitogeográfico de Mata Atlântica, em regiões com vegetação de mata ciliar, floresta estacional semidecidual e floresta ombrófila pluvial.[1]

A Acianthera crinita é uma espécie epífita e herbácea.[1] Miller et al. (2006) afirmam que, na Serra dos Órgãos, é uma espécie epífita sobre trepadeiras, troncos e galhos baixos, necessitando de baixa luminosidade e movimento de ar e alta umidade. Floresce de março a abril. Em 2005, foi citada como em perigo na Lista de Espécies da Flora Ameaçadas do Espírito Santo;[6] e em 2014, como pouco preocupante na Lista Vermelha de Ameaça da Flora Brasileira do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora).[2][7]

Referências

  1. a b c «Acianthera crinita (Barb.Rodr.) Pridgeon & M.W.Chase». Orchidaceae in Flora e Funga do Brasil. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Consultado em 12 de julho de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2022 
  2. a b «Acianthera crinita (Barb.Rodr.) Pridgeon & M.W.Chase». Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora). Consultado em 12 de julho de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2022 
  3. «Acianthera teres (Lindl.) Borba». World Flora Online (WFO). Consultado em 12 de julho de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2022 
  4. «Acianthera crinita | International Plant Names Index». ipni.org. Consultado em 12 de julho de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2022 
  5. «Acianthera crinita». www.gbif.org (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2022 
  6. «Lista de Espécies da Flora Ameaçadas do Espírito Santo». Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA), Governo do Estado do Espírito Santo. Consultado em 7 de julho de 2022. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2022 
  7. «Acianthera crinita (Barb.Rodr.) Pridgeon & M.W.Chase». Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr). Consultado em 12 de julho de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre orquídeas (família Orchidaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.