Adão e Eva (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adão e Eva
 Portugal / Flag of Spain.svg Espanha /  França
1995 •  cor •  104 min 
Realização Joaquim Leitão
Argumento Joaquim Leitão
Elenco Maria de Medeiros
Joaquim de Almeida
Karra Elejalde
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Adão e Eva é um filme de longa-metragem português de 1995, co-produzido por Espanha e França, do género drama e realizado por Joaquim Leitão.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Catarina (Maria de Medeiros) é uma conhecida jornalista da SIC. É bissexual e mantém de momento uma relação com Tê (Ana Bustorff), sendo constantemente atormentada por Helena (Cristina Carvalhal), uma jornalista rival que a acusa de lhe roubar protagonismo. Catarina decide engravidar e escolhe para pai da criança Rafael (Karra Elejalde), um médico e activista espanhol que encontra em Madrid e de quem esconde a sua verdadeira identidade. Ao confirmar a gravidez, rompe a ligação com Tê, que reage violentamente. Rafael acaba por descobrir a morada de Catarina e bate-lhe à porta de casa em Lisboa, ao mesmo tempo que Tê a visita. Após uma troca de agressões captada por um fotojornalista, Tê e Rafael acabam no hospital. No meio do turbilhão, Catarina pede ajuda a Francisco (Joaquim de Almeida), apresentador de televisão e ex-marido de Tê, que o director de um novo canal de televisão quer contratar para apresentar um programa com Catarina, intitulado "Adão e Eva". Ambos acabam por desenvolver uma relação amorosa.

Passam-se algumas semanas. Rafael tem alta mas não volta para Espanha, mantendo-se perto da casa de Catarina e insistindo que ambos têm uma ligação e que Catarina não pode estar sozinha agora que vai ser mãe. Tê, fortemente medicada com antidepressivos após sair do hospital psiquiátrico onde se encontrava, está decidida a ajudar Catarina e está eufórica por Francisco estar com ela, mesmo que esta não consiga ignorar Rafael e volte a falar com ele, o que é mal recebido por Francisco. Ao mesmo tempo, Helena chantageia Catarina com as fotos captadas na sua casa e obriga-a a participar num concurso para o novo canal que esta apresenta e no qual humilha os seus convidados. Francisco consegue fazer o fotojornalista entregar-lhe a única foto que restou e Tê consegue fazer Helena falhar as gravações do programa provocando um acidente de carro, filmando a sua reação e ameaçando divulgar o vídeo se esta voltar a incomodar Catarina. Ambos dirigem-se a casa de Catarina, que fica distraída por vê-los juntos e quase é atropelada, sendo salva por Rafael, que cai no chão inconsciente, mas sobrevive.

A filha de Catarina nasce finalmente e esta decide chamá-la Eva. Quando Tê, Francisco e Rafael são confrontados com as regras do hospital que só permitem que o pai da criança a veja, Tê responde: "somos os três o pai da criança".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

  • "Adão e Eva" foi o primeiro filme português cuja produção foi iniciada já com data de estreia. Foi também o primeiro filme a ser co-produzido pela SIC, incluindo várias filmagens nos estúdios do canal de Carnaxide.
  • A banda sonora foi composta por Pedro Abrunhosa, que se estreou na produção de música para cinema e que compôs a canção "Se eu Fosse um Dia o teu olhar" de propósito para o filme, que faria parte do álbum "Tempo".
  • O filme foi transmitido na SIC sob o formato de mini-série, tendo incluído algumas cenas cortadas do filme.


Recepção e Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Foi o primeiro filme a ser premiado na cerimónia dos Globos de Ouro, que teve a sua primeira edição em 1995, sendo distinguido nas categorias de melhor filme, melhor realizador, melhor actor (Joaquim de Almeida) e melhor actriz (Maria de Medeiros).
  • Devido à vasta campanha de marketing promovida pela SIC, aos elenco sonante e à participação de Pedro Abrunhosa, "Adão e Eva" foi um sucesso de bilheteira, tornando-se na altura o filme português mais visto de sempre com mais de 250 mil espectadores. Em Espanha, o filme passou a barreira dos 70 mil espectadores.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme do cinema português é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.