Adelmo Simas Genro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Adelmo Simas Genro (Santiago, 19 de outubro de 1921 - Porto Alegre, 7 de setembro de 2003) foi um advogado, professor, escritor de obras literárias e político brasileiro.[1] [2] [3] [4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Segundo sua biografia, "Adelmo Simas Genro: um defensor da democracia", escrita por João Marcos Adede y Castro e publicada pela editora Pallotti em 2008,[5] Adelmo Simas Genro,mais conhecido "Doutor Adelmo" ou "Seu Adelmo",nasceu na cidade de (Santiago, no interior do Rio Grande do Sul, a cerca de 150 km de Santa Maria e 450 km da capital,na data de 19 de outubro de 1921. Era filho de Cândido Genro Filho e Cassilda Simas Genro. Casou-se em 4 de Março de 1943 com Elly Hertz Genro, com quem teve seis filhos,Carlos Horácio,Suzana,Tarso Fernando,Maria Júlia,Adelmo Filho e Maria Elly.

Sua formação educacional de ensino médio e fundamental se deu na Escola Marista de Santa Maria, Rio Grande do Sul, entre os anos de 1936 e 1941.Foi professor em (Santiago, Rio Grande do Sul, no Instituto Batista, em 1942 e 1943. A partir do ano de 1944, passou a lecionar as disciplinas de francês e língua portuguesa na Escola Normal Sagrado Coração de Jesus, de São Borja e Ginásio Estadual Sanborjense, do qual foi diretor.A partir de 1954, mudou-se para Santa Maria, onde cursou o Curso Técnico de Contabilidade e a Faculdade de Direito, na universidade Federal de Santa Maria, tendo-se formado na primeira turma daquela instituição de ensino no ano de 1964.Foi diretor e professor do Instituto de Educação Olavo Bilac, de Santa Maria, de 1961 até 1964, tendo exercido as funções de professor na Escola Estadual de 2° Grau Professora Maria Rocha e Professor e Assistente de Direção do Colégio Manoel Ribas,[6] de Santa Maria, de 1956 até 1964.

Foi expurgado do magistério pela ditadura em 1964.

Seus direitos políticos foram cassados enquanto ocupava interinamente a prefeitura de Santa Maria. Organizou a resistência ao golpe militar e conforme declaração de sua viúva Elly ao escritor João Marcos Adede y Castro, era comum que políticos e jovens militantes que se sentiam perseguidos viessem a Santa Maria, onde se hospedavam em sua casa, até conseguir fugir para o Chile. Mesmo cassado, Adelmo continuou a exercer a advocacia, tendo defendido inúmeros presos e perseguidos políticos do regime, na Justiça militar de Santa Maria e em outros locais.

Adelmo era advogado, professor, escritor, e foi vereador e vice-prefeito do Município de Santa Maria pelo PTB, e presidente de honra do PSB do Rio Grande do Sul.

Os filhos Tarso Genro, Adelmo Genro Filho, e sua neta Luciana Genro também seguiram carreira política.[7] [8]

Seu filho Tarso Fernando Herz Genro, formado pela Universidade Federal de Santa Maria, foi vereador em Santa Maria, deputado federal,vice-prefeito e prefeito de Porto Alegre, secretário de desenvolvimento econômico e social da Presidência da República, ministro da Educação, das Relações Institucionais e da Justiça e atualmente é governador do Rio Grande do Sul.

Em 1997,Adelmo foi escolhido Patrono da 25° Feira do Livro de Santa Maria,evento promovido pela primeira vez em 1972 por seu filho Adelmo Genro Filho e um grupo de estudantes santamarienses.

Foi presidente do Conselho Municipal de Cultura de Santa Maria na gestão 2002.

Foi membro da Associação Santa mariense de Letras,tendo sido conselheiro desta instituição em várias gestões, onde exerceu,também,outros cargos. Na ASL participou da publicação de todas as antologias da entidade,tendo recebido,por seus serviços,o Distintivo de Ouro,outorga do mérito literário de 1997.

Foi membro,ainda, da Associação Brasileira Maçônica de letras,como sócio correspondente.

Desde 1988,até sua morte,Adelmo foi cronista semanal no jornal A Razão,de Santa Maria.

Adelmo Genro faleceu vítima de um tumor cerebral, em 7 de setembro de 2003.[1] [3] [9]

Obras literárias[editar | editar código-fonte]

  • O Viajante e a Aposentadoria Especial, (1963)
  • Um Tal Mathias Capador, (1983)
  • Histórias do Tio Nica e Outras, (1986)
  • Ri Tu Rides Vós, (1995)
  • Maria Ignácia das Dores, (1999)
  • Compadre Doralino e Outras Histórias, (2001)
  • Fogo no Céu - Contos, (2002)

Em parceria com outros autores,publicou:

  • A maçonaria, (1976)
  • Gente de Prosa, (1991)
  • Antologia em prosa e verso,(1995)
  • Da Boca do Monte: Crônicas, (2000)
  • O Apito do Trem. Santa Maria, (2002)

Referências

  1. a b Tumor mata pai do ministro Tarso Genro agenciabrasil.ebc.com.br (07/09/2003). Visitado em 6 de abril de 2011.
  2. Câmara de Vereadores faz homenagem ao pai do Governador Tarso Genro camarasaoborja.com.br (21/02/2011). Visitado em 6 de abril de 2011.
  3. a b Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos (Brazil), Instituto de Estudos sobre a Violência do Estado. Dossiê ditadura: mortos e desaparecidos políticos no Brasil (1964-1985) (em português). 2 ed. [S.l.]: IEVE, Instituto de Estudos sobre a Violência do Estado. ISBN 8570607172 e ISBN 9788570607171 Página visitada em 6 de abril de 2011.
  4. Corrêa, Luiz Morvan Grafulha. Barbaridade, tchê! (em português). [S.l.]: Editora Age, 2007. 103 p. ISBN 8574973602 Página visitada em 6 de abril de 2011.
  5. www.arazao.com.br (17/02/09). Página visitada em 10 de abril de 2011.
  6. professorpizarro.blogspot.com (16/08/2010). Página visitada em 10 de abril de 2011.
  7. Após recusa da defesa do pai, Luciana Genro divulga apoio do avô www1.folha.uol.com.br (13/05/2003). Visitado em 6 de abril de 2011.
  8. Político e advogado brasileiro-Tarso Genro educacao.uol.com.br. Visitado em 6 de abril de 2011.
  9. www.al.rs.gov.br (08/09/2003). Página visitada em 10 de abril de 2011.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Adede y Castro, João Marcos. Adelmo Simas Genro: (um defensor da democracia) (em português). Santa Maria: Pallotti, 2008. 128 p.

Genro, Adelmo Simas. Um tal Mathias Capador: (a história-verdadeira?-do português Joaquim da Silva Dias, o Genro) (em português). [S.l.]: Martins Livreiro, 1984. 197 p.

Genro, Adelmo Simas. Compadre Doralino e outras histórias (em português). [S.l.]: Associação Santa-Mariense de Letras, 2001. 150 p.

Genro, Adelmo Simas. Fogo no céu: Contos (em português). [S.l.]: Associação Santa-Mariense de Letras, 2002. 96 p.

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Portal
A Wikipédia possui o
Portal Santa Maria
da Boca do Monte

Leitor, participe do projeto
"Vamos todos wikificar Santa Maria."