Afonso Reis Cabral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Afonso Reis Cabral
Nascimento 31 de março de 1990 (29 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Parentesco Eça de Queiroz (trisavô)[1]
Ocupação Escritor
Principais trabalhos O Meu Irmão

Pão de Açúcar

Prémios Prémio LeYa (2014)

Prémio Europa David Mourão-Ferreira (2017)

Prémio Novos, categoria Literatura (2018)

Prémio Literário José Saramago (2019)

Género literário Romance
Movimento literário Pós-modernismo

Afonso Reis Cabral (Lisboa, 31 de março de 1990) é um escritor e editor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lisboa, mas cresceu no Porto, filho de Afonso Maria de Eça de Queirós Cabral (18 de Setembro de 1949), bisneto de José Maria de Eça de Queirós, sobrinho-bisneto e bisneto do 6.° Conde de Resende, 25° Almirante de Portugal, e de sua mulher Teresa Roque de Pinho de Oliveira Reis (19 de Setembro de 1949), bisneta do Barão de Alto Mearim e 1.° Conde de Alto Mearim, tetraneta do 1.° Barão de Santos, sobrinha-trineta do 2.° Barão de Santos, do 1.° Barão de Ferreira dos Santos e de D. Américo Ferreira dos Santos Silva, Cardeal-Bispo do Porto e trineta do Barão de Aguiar de Andrada, três vezes sobrinho-neto de José Bonifácio de Andrada e Silva.

Começou a escrever poesia aos 9 anos, tendo publicado o seu primeiro livro de poesia aos 15 anos, Condensação[2].

Fez os seus estudos no Porto, primeiro no Colégio Cedros e depois na Escola Secundária Rodrigues de Freitas. Formou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Universidade Nova de Lisboa, onde obteve igualmente o mestrado em Estudos Portugueses.[3] Afonso é trineto do famoso escritor Eça de Queirós. Até 2017 foi revisor e editor em várias editoras, sendo o último na Editorial Presença.[4]

Em 2005 publicou o livro de poesia Condensação que reúne poemas que escreveu entre os nove e os quinze anos.[3]

No ano de 2014 venceu o prémio LeYa com o romance inédito O Meu Irmão.[4] Em setembro de 2018 foi publicado o seu segundo romance, Pão de Açúcar, sobre o Caso Gisberta.

Em setembro de 2019 publicou o livro Leva-me Contigo sobre uma viagem a pé pela Estrada Nacional 2 que foi descrevendo nas redes sociais. Em outubro de 2019 foi anunciado que venceu o Prémio Literário José Saramago de 2019, com o livro Pão de Açúcar.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Escreve à mão, num caderno, e só depois passa tudo para computador[5].

Ano de publicação Nome da obra publicada Referências
2005 Condensação [6]
2014 O Meu Irmão [7]
2018 Pão de Açúcar
2019 Leva-me Contigo

Referências

  1. «Afonso Reis Cabral. Eça árvore genealógica não explica tudo». Expresso. 17 de outubro de 2014. Consultado em 30 de outubro de 2016 
  2. Revista UP, TAP (Fevereiro de 2019). «Afonso Reis Cabral – O escritor e os instintos». Consultado em 4 de Abril de 2019 
  3. a b «Afonso Reis Cabral. Eça árvore genealógica não explica tudo». Expresso. 17 de outubro de 2014. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  4. a b Luís Miguel Queirós (17 de novembro de 2014). «Afonso Reis Cabral vence Prémio Leya com O Meu Irmão». Público. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  5. Revista E n.º (2421), 23 de Março de 2019. A caneta é mais poderosa que a espada, pág. 94.
  6. Álvaro Isidoro (17 de outubro de 2014). «Afonso Reis Cabral/ Prémio LeYa: «Inspirei-me na minha vida»». TSF. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  7. «Vencedor 2014». 17 de outubro de 2014. Consultado em 26 de dezembro de 2014