Afonso Reis Cabral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Afonso Reis Cabral
Nascimento 31 de março de 1990 (29 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Parentesco Eça de Queiroz (trisavô)[1]
Ocupação Escritor
Principais trabalhos O Meu Irmão

Pão de Açúcar

Prémios Prémio LeYa (2014)

Prémio Europa David Mourão-Ferreira (2017)

Género literário Romance
Movimento literário Pós-modernismo

Afonso Reis Cabral (Lisboa, 31 de março de 1990) é um escritor e editor português. Em 2014, venceu o prémio LeYa, com o romance O Meu Irmão.[2] Em 2018, publicou o seu segundo romance, Pão de Açúcar, sobre o Caso Gisberta.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lisboa no dia 31 de março de 1990, mas cresceu no Porto. Escreve poesia desde os 9 anos, tendo publicado o seu primeiro livro de poesia aos 15 anos, Condensação[3].

No Porto fez os seus estudos: primeiro no Colégio Cedros, depois na Escola Secundária Rodrigues de Freitas. Finalmente formou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Universidade Nova de Lisboa, onde também obteve o mestrado em Estudos Portugueses.[4] O escritor é trineto do famoso escritor Eça de Queirós.Foi revisor em várias editoras e trabalhou, até 2017, como editor na Editorial Presença.[2] Mais tarde foi editor da Presença, tendo saído para se dedicar à escrita em exclusivo.

Em 2005, publicou o livro de poesia Condensação onde reúne poemas que escreveu quando tinha uma idade compreendida entre os nove e os quinze anos e em 2014 venceu o prémio LeYa com o romance inédito O Meu Irmão.[4]

Escreve as suas obras à mão, num caderno, e só depois passa tudo para computador[5].

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Publicou, em 2005, o livro de poemas Condensação e, em 2014, o romance O Meu Irmão. Em Setembro de 2018 publicou o seu segundo romance, Pão de Açúcar.

Ano de publicação Nome da obra publicada Referências
2005 Condensação [6]
2014 O Meu Irmão [7]
2018 Pão de Açúcar

Referências

  1. «Afonso Reis Cabral. Eça árvore genealógica não explica tudo». Expresso. 17 de outubro de 2014. Consultado em 30 de outubro de 2016 
  2. a b Luís Miguel Queirós (17 de novembro de 2014). «Afonso Reis Cabral vence Prémio Leya com O Meu Irmão». Público. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  3. Revista UP, TAP (Fevereiro de 2019). «Afonso Reis Cabral – O escritor e os instintos». Consultado em 4 de Abril de 2019 
  4. a b «Afonso Reis Cabral. Eça árvore genealógica não explica tudo». Expresso. 17 de outubro de 2014. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  5. Revista E n.º (2421), 23 de Março de 2019. A caneta é mais poderosa que a espada, pág. 94.
  6. Álvaro Isidoro (17 de outubro de 2014). «Afonso Reis Cabral/ Prémio LeYa: «Inspirei-me na minha vida»». TSF. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  7. «Vencedor 2014». 17 de outubro de 2014. Consultado em 26 de dezembro de 2014