Alain Mabanckou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alain Mabanckou
Alain Mabanckou em 2013
Nascimento 24 de fevereiro de 1966
Pointe-Noire, República do Congo
Nacionalidade Congo congolês
Ocupação Escritor, poeta
Prémios Prémio Renaudot 2006
Magnum opus Mémoires de porc-épic

Alain Mabanckou (Pointe-Noire, República do Congo, 24 de fevereiro de 1966) é um escritor congolês, com dupla nacionalidade franco-congolês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou Direito en Brazzaville e, posteriormente, na França. Após concluir a pós-graduação na Universidade Paris-Dauphine, trabalhou durante vários anos em importantes multinacionais francesas antes de se consagrar por completo à literatura. Reside nos Estados Unidos, como professor convidado desde 2002; inicialmente como professor de literatura francófona e de "escrita criativa" na Universidade de Michigan e, mais recentemente, na Universidade de Califórnia (UCLA), com disciplinas de literatura francófona.

É autor de doze romances, seis livros de poesia, dois livros infanto-juvenis e de diversos relatos que são publicados em distintos periódicos como Le Figaro (Paris), Le Soir (Bruxelas) e em duas obras coletivas: Relatos de África ("Nouvelles d’Afrique") em 2003 e Visto desde a Lua, relatos otimistas ("Vu de la lune, Nouvelles optimistes") em 2005.

Em 2006, com o romance Memorias de porco-espinho, conseguiu o importante prêmio Renaudot. Em 2008, Mabanckou traduziu do inglês para o francês a obra de Uzodinma Iweala, um escritor nigeriano considerado como um jovem prodígio da literatura norte-americana.

Entre 2015 e 2016, o escritor lecionou no Collège de France na cadeira de Criação artística, com o curso intitulado de Letras negras: das trevas à luz (transformado em livro posteriormente).

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

Ensaios[editar | editar código-fonte]

Obras de literatura infanto-juvenil[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Finalista do Prêmio Renaudot, 2005, Vaso roto foi distinguido con três prêmios:

Em 2012, a Academia francesa deu-lhe o Grande Prêmio de literatura Henri Gal.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]