Alex Periscinoto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alexandre José Periscinoto (Mococa, 8 de abril de 1925) é um publicitário brasileiro, é um dos fundadores da Almap.[1] É também artista plástico. Escreve quinzenalmente um blog focando os melhores anúncios veiculados pelo mundo referenciando os estudantes, profissionais de agências e homens de marketing com o que há de mais criativo na Europa e Estados Unidos.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

“Em determinado momento eu encerava o chão da minha casa. Naquele tempo não tinha empregada e nem pensávamos em contratar, então eu encerava a casa de calça curta e ficava com os joelhos cheios de cera. Eu colocava jornal para as pessoas passarem em cima e ficava olhando aqueles desenhos e imaginava como faziam aquilo. Eu fiquei admirado. Naquela época tinha muita ilustração em jornal, capa de revista. Eu guardava aqueles jornais e à noite eu tentava desenhar. Então eu comecei a copiar as ilustrações do jornal. Pode-se dizer que eu entrei nesse mundo de joelhos (risos).”

— Em entrevista à Revista Publish.[3]

Nascido em Mococa,[4] no estado de São Paulo, caçula em uma família de imigrantes italianos[5] de 11 irmãos, Alexandre José Periscinoto foi educado no bairro paulistano do Belém e lá começou a trabalhar primeiramente com trabalhos temporários mas logo foi empregado como um operário nas Indústrias Matarazzo e lá conseguiu saltar para a seção onde faziam-se desenhos em tecidos, abandonando o cargo de operário e ingressando em algo mais próximo da área a que àquela época já aspirava, a publicidade.[4]

Em 1945, a Sears, que instalava-se no país, promovia um concurso para o desenho industrial de um ferro de passar roupas. Através dele Alex conseguiu um emprego na companhia e futuramente foi promovido a gerente.[4][5] Periscinoto também trabalharia com os setores de publicidade do Mappin como gerente de propaganda, então a maior rede de lojas de departamento da cidade. Foi através desta empresa que viajou em 1958[4] para os Estados Unidos, uma viagem já pessoalmente muito almejada, onde estagiou nas empresas DDB.[1] Voltando ao Brasil, trouxe consigo muito conhecimento agregado de sua viagem e foi então chamado para ser um sócio da Alcântara Machado Publicidade, oferta que aceitou.[5]

Em 1998 Periscinoto vendeu suas ações para o grupo norte-americano BBDO, que mais tarde compraria Almap e a renomearia para AlmapBBDO. Alexandre deixa a empresa para fundar a sua própria,[5] a Sales, Periscinoto, Guerreiro & Associados.[6] No mesmo ano torna-se secretário de publicidade institucional do Governo Federal na secretaria de comunicação sob a gestão do Presidente Fernando Henrique Cardoso.[1] O cargo só duraria dois anos e Periscinoto passaria a dedicar-se somente à sua empresa desde 2000 até os dias atuais.[5]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Além dos prêmios pessoais, listados abaixo, como sócio da Almap Periscinoto venceu o prêmio 100 Melhores Comerciais do Brasil por 3 anos consecutivos, até serem retirados do rol de concorrentes porque mais da metade dos comerciais vitoriosos eram sempre da sua agência.[4]

  • Publicitário do Ano, 1984
  • Publicitário dos Últimos 20 Anos, 1988
  • Colunistas, 2000
  • Mauro Salles de Reconhecimento Profissional, 2004[7]

Obra[editar | editar código-fonte]

Periscinoto foi responsável pelo primeiro comercial televisivo do Brasil, para a Cera Dominó,[4] e é conhecido principalmente pelas campanhas da Volkswagen, importantes por serem veiculadas quando o Governo JK fazia grande incentivo ao transporte rodoviário no Brasil, introduzindo as fábricas de automóveis e rodovias no país. Periscinoto trabalhou com a Volkswagen desde os anos 60 até 1998, quando passou o comando da agência aos profissionais Marcello Serpa e Luiz Madeira.[8] Além disto, publica na Folha de S. Paulo desde 1986[6] Publicou o livro Mais vale o que se aprende do que o te ensinam com Izabel Telles pela editora Best Seller em 1995. A obra reúne artigos publicados no jornal Folha de S. Paulo ao longo de vários anos.[9]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ABREU, Alzira A., Dicionário histórico-biográfico da propaganda no Brasil- Associação Brasileira de Propaganda - FGV Editora pg 192(2007) - ISBN 978-85-225-0593-7

Referências

  1. a b c Alexandre Lemos (29 de outubro de 2004). «Verbas escassas engessam publicidade governamental». Portal da Propaganda. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  2. Alex Periscinoto (14 de dezembro de 2011). «Alex Periscinoto». bloglog.globo.com. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  3. Flavius Deliberalli. «Alex Periscinoto, uma parte da história da publicidade do país». Publish 101. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  4. a b c d e f Edição Extra: Perfil Alex Periscinoto (Perfil). São Paulo: TV Gazeta/Faculdade Cásper Líbero. Dezembro 2008 
  5. a b c d e Pró-TV. «ALEX PERISCINOTO». Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  6. a b «Perfil Alex Periscinoto». bloglog.globo.com. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  7. palestrantes.org. «Alex Periscinoto». Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  8. Jéssika Torrezan (7 de dezembro de 2011). «Entrevista com Alex Periscinoto, fundador da Almap». VEJA. Abril. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  9. Alex Periscinoto, Izabel Telles (1995). «Mais vale o que se aprende que o que te ensinam». Editora Best Seller. Consultado em 17 de dezembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Alex Periscinoto