Ançã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Ançã  
—  Freguesia  —
Brasão de armas de Ançã
Brasão de armas
Ançã está localizado em: Portugal Continental
Ançã
Localização de Ançã em Portugal
Coordenadas 40° 16' 25" N 8° 31' 11" O
País  Portugal
Concelho CNT1.png Cantanhede
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 18,1 km²
População (2011)
 - Total 2 625
    • Densidade 145/km2 
Gentílico: ançanense
Orago Nossa Senhora do Ó

Ançã é uma vila portuguesa e freguesia do concelho de Cantanhede, com 18,1 km² de área e 2 625 habitantes (2011). Tem uma densidade populacional de 145 hab/km². Integra-se no distrito de Coimbra, a aproximadamente 10 km da cidade.

O nobre e preservado centro histórico de Ançã é um complexo arquitectónico de valor inquestionável, ao estilo do Marquês de Cascais, senhor da Vila de Ançã. Um espaço dinâmico de crescente atractividade, em que se destaca a restauração e a vida nocturna. Ao Bolo de Ançã, juntam-se outras ofertas gastronómicas.

Pertence à Bairrada, sendo muito procurado o seu Leitão à Bairrada, a sua Chanfana e os seus produtos vinícolas.

Terra natal de Jaime Cortesão, que, ainda hoje, homenageia com o nome de uma rua e um monumento com o seu busto.

A Fonte de Ançã ou Fonte dos Castros é conhecida por ser um espectáculo raro, com um caudal superior da 20.000 litros por minuto, origem de histórias e lendas. A água da fonte alimenta a Piscina Natural de Ançã, cuja água é sempre corrente. Mais famosa ainda é a Pedra de Ançã, presente em importantes monumentos, como o Mosteiro da Batalha, e que atraiu grandes escultores a Coimbra.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome de Ançã é de origem romana e, segundo a Dra. Irene Portela, teriam sido os monges italianos a atribuir-lhe esse nome, devido à abundância de água e de caça. O nome de Ançã proveio do italiano abbondanza que, etimologicamente, deriva do termo latino Anzana, cuja declinação passou pelas fases de Anzam, Anzaa, até à sua grafia actual (Cortesão, A., 1998).

História[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, Ançã era um povoado integrado no território de Coimbra. Em 937 um documento refere que seria um povoado reconquistado pelos cristãos. Mas, foi já nos finais da Idade Média, em 1371, que D. Fernando assina o foral que eleva Ançã à categoria de vila, ainda medieval, e cria o Concelho de Ançã, adquirindo autonomia e concedendo-lhe privilégios, enumerando-lhe as regalias e demarcando a extensão do seu território, do qual faziam parte as povoações de Ançã, Pena, Vale de Água, Barcouço, Portunhos, S. João do Campo, Cioga do Campo e Rios Frios.

É em torno do século XVII que se ergue importante património arquitectónico que ainda hoje caracteriza o centro histórico, como a construção do Palácio do Marquês de Cascais e da Capela do Senhor da Fonte, e a reconstrução da Igreja Matriz de Ançã.

Diz o padre António Carvalho de Costa, em 1708, que: "aqui está aquela quinta, que fez o insigne Teólogo D. André de Almada para sua recreação, com uma grande estátua do antigo Gerião, de três cabeças em um corpo, com muitas inscrições.[1] "

No século XIX, o Concelho de Ançã era constituído pelas freguesias de Barcouço, Ançã, Portunhos, Cioga do Campo, Vil de Matos e São Facundo, atingindo, em 1801, 4 275 habitantes. Após as reformas administrativas do início do liberalismo, foram-lhe desanexadas as freguesias de Cioga do Campo (São João do Campo) e de São Facundo (Antuzede), que passaram a fazer parte do concelho de Coimbra. Tinha, em 1849, 3 826 habitantes. Em 31 de Dezembro de 1853, o concelho foi extinto e a freguesia de Ançã passou a integrar o município de Cantanhede[2] . Mas é também, neste século, que os viajantes começam a parar, nesta região, para comerem o famoso Leitão à Bairrada e beberem os seus afamados vinhos.

Na década de 60, do século XX, é notório um decréscimo populacional devido ao êxodo rural.

Foi reelevada à categoria de vila, em 12 de Julho de 2001, pela Lei nº 43/2001, de 12 de Julho. O início deste século é marcado pela requalificação do espaço urbano e pela sensibilização ambiental, factores que valorizam o local e dinamizam-no, atraindo investimentos.

Se o concelho de Ançã não tivesse sido extinto pelos liberais, actualmente, seria um município muito próspero, com uma área territorial de 80,34 km² e com uma população total de 11 183 habitantes. A sua densidade populacional seria de 139,196 hab/km².

Património[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Evolução da População[editar | editar código-fonte]

Evolução da População (1864 / 2011)
Número de Habitantes de 1864 a 2011        Os Grupos Etários em 2001              Os Grupos Etários em 2011
Grupos Etários (2001 e 2011)

Cultura[editar | editar código-fonte]

Museus e Galerias[editar | editar código-fonte]

  • Museu Etnográfico de Ançã
  • Bar / Galeria Quintal da Fonte

Festas e Romarias[editar | editar código-fonte]

  • Festa do Arraial de S. Tomé (dia 25 de Julho)
  • Feira do Bolo de Ançã (finais de Março)

Desporto[editar | editar código-fonte]

Grupos Etários (2001 e 2011)

O Ançã Futebol Clube desenvolve a sua atividade, competitiva e formativa, no Parque Desportivo de Ançã. Tem também ao seu dispor do Gimnodesportivo.

Referências

  1. António Carvalho da Costa, Corografia portugueza e descripçam topografica do famoso reyno de Portugal, na Off. de Valentim da Costa Deslandes, 1708, pág. 54
  2. Paróquia de Ançã Arquivo Distrital de Coimbra. Visitado em 15 de Outubro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.