Anita Novinsky

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anita Novinsky
Nome completo Anita Waingort Novinsky
Conhecido(a) por Especializada na Inquisição portuguesa no Brasil[1]
Nascimento 22 de novembro de 1922 (97 anos)
Stachow, Polônia
Residência Brasil
Nacionalidade Brasileira, polonesa
Cônjuge Mauricio Novinsky
Alma mater Universidade de São Paulo
Instituições Universidade de São Paulo (USP)
Campo(s) História, História do Brasil, História de Portugal, História do Judaísmo

Anita Waingort Novinsky (Stachow, 22 de novembro de 1922) é uma historiadora brasileira, especializada na Inquisição portuguesa no Brasil, os costumes dos cripto-judeus deste país e o renascimento da consciência judaica destes, 200 anos após o fim da Inquisição no Brasil[2].

Nascida em Stachow, Polônia,[3] e com nacionalidade brasileira[4] emigrou com sua família para o Brasil quando ela tinha um ano de idade. Graduou-se em Filosofía pela Universidade de São Paulo em 1956 tendo se especializado em Psicologia pela Universidade de São Paulo em 1958, se especializado em Racismo no Mundo Ibérico pela École des hautes études en sciences sociales em 1977, obtido o doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo em 1970 e pós-doutorado pela Universidade de Paris I em 1983. Atualmente é Livre Docente da Universidade de São Paulo.[3][5]

É fundadora do Laboratório de Estudos sobre a Intolerância, da Universidade de São Paulo.[6]

A Universidade Federal Rural de Pernambuco tem uma cátedra que leva seu nome desde 2015, pertencente ao Departamento de Ciências Sociais.[7] Novinsky é considerada uma autoridade no tema da Inquisição.[8] Em 2013, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico outorgou a Novinsky a distinção de Pioneira da Ciência no Brasil em honra de sua trajetória como investigadora.[1]

A Inquisição no Brasil[editar | editar código-fonte]

O documentário A Estrela Oculta do Sertão, que versa sobre comunidades de criptojudeus no nordeste de Brasil, está baseado parcialmente nas investigações de Novinsky, incluindo uma entrevista com ela.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Cristãos-novos na Bahia: 1624-1654. Perspectiva, Ed da Universidade de São Paulo, 1972.
  • Bens confiscados a Cristãos-novos no Brasil, século XVIII. Editora Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1978, Lisboa
  • Inquisição. Cristãos Novos na Bahia, 11ª edición. Editorial Perspectiva, São Paulo, 2007.
  • Gabinete de Investigação: uma “caça aos judeus” sem precedentes. Brasil-Holanda, séculos XVII e XVIII. Editora Humanitas, São Paulo, 2007.
  • O Santo Ofício da Inquisição no Maranhão. A Inquisição de 1731. Editorial Universidad Estatal de Maranhão, São Luiz, Maranhão, 2006.
  • Inquisição: Prisioneiros do Brasil. Editorial Expressão e Cultura, Río de Janeiro, 2002.
  • Ibéria Judaica. Roteiros da Memória. Editorial Expressão, Río de Janeiro y EDUSP, São Paulo, 1996.
  • Inquisição. Ensaios sobre Mentalidades, Heresias e Arte. Editorial Expressão e Cultura, Río de Janeiro, 1992
  • Inquisição. Rol dos Culpados. Editorial Expressão e Cultura, Río de Janeiro, 1992
  • O olhar Judaico em Machado de Assis. Editorial Expressão e Cultura, Río de Janeiro, 1990.
  • Inquisição: Inventários de bens confiscados a cristãos novos no Brasil Editorial Imprensa Nacional. Casa de la Moneda, Lisboa, 1978.
  • Padre Antônio Vieira, a Inquisição e os Judeus
  • Os judeus que construíram o Brasil, 2016.

Referências

  1. a b «Pioneiras da Ciência no Brasil - 6ª Edição». Consultado em 6 de novembro de 2017 
  2. Natália Portinari (11 de abril de 2013). «Historiadora defende importância da cultura judaica na formação do Brasil». Folha de S.Paulo. Consultado em 6 de novembro de 2017 
  3. a b «USP - Departamento de História - Anita Waingort Novinsky». Consultado em 6 de novembro de 2017 
  4. Brumer, Anita; Dreizik, Marcia. «Das pesquisas sobre a Inquisição e os cristãos-novos no Brasil ao Museu da Tolerância da Universidade de São Paulo: Entrevista com Anita Novinsky». WebMosaica. 3 (2). ISSN 2175-6163. Consultado em 6 de novembro de 2017 
  5. «Anita Waingort Novinsky: O judeu Raposo Tavares e os jesuítas». 11 de abril de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2017 
  6. «USP anuncia projeto de museu para a tolerância». Consultado em 6 de novembro de 2017 
  7. «O Judeu Joaquim Nabuco». Consultado em 6 de novembro de 2017 
  8. Gorenstein, Lina; Carneiro, Maria Lucia Tucci (organizadoras) (2005). Ensaios sobre a intolerância: inquisição, marranismo e anti-semitismo 2ª ed. [S.l.]: Associação Editorial Humanitas. ISBN 85-98292-79-6