Antônio Herculano de Sousa Bandeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Herculano de Sousa Bandeira, em 1866.

Antônio Herculano de Sousa Bandeira (Recife, 13 de abril de 1813[1]Recife, 30 de novembro de 1884[2]) foi jurista, advogado e professor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado pela Faculdade de Direito de Olinda em 1838, tendo sido contemporâneo de Teixeira de Freitas (turma de 1837) e de Cândido Mendes (turma de 1839).

Foi catedrático da Faculdade de Direito do Recife. Membro do Partido Liberal, deputado provincial entre 1848 e 1849 e, posteriormente, deputado geral da 12ª legislatura, simpatizante da Revolução Praieira. Foi também coordenador e editor do livro Reforma eleitoral - eleição direta, que reunia textos de autores como o general José Inácio de Abreu e Lima e defendia a reforma eleitoral, que consistia na extinção do colégio eleitoral e eleição direta dos membros da Câmara dos Deputados.

Em 1878 foi diretor da Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco.[3]

Foi casado com Maria Cândida de Sousa Bandeira (Lins de Albuquerque em solteira), falecida aos 49 anos, em 23 de fevereiro de 1882[4], filha de Cândida Esméria Lins de Albuquerque e de Diogo Soares de Albuquerque, e, portanto, irmã de Manuel Clementino Carneiro da Cunha, que governou as províncias da Paraíba, do Amazonas e de Pernambuco. Seu filho João Carneiro de Sousa Bandeira traçou seu perfil biográfico no livro Evocações e outros escritos. O famoso escritor e poeta Manuel Bandeira (1886-1968) era seu neto. Seu filho Antônio Herculano de Sousa Bandeira Filho governou a Paraíba e Mato Grosso.

Faleceu por conta de uma hemorragia cerebral e seu corpo foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro, em Recife[5]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.