Antônio Herculano de Sousa Bandeira Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde janeiro de 2012). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Antônio Herculano de Sousa Bandeira Filho (Recife, 1854Nova Friburgo, 15 de novembro de 1890) foi advogado, professor e escritor brasileiro.

Filho de Maria Cândida de Sousa Bandeira e de Antônio Herculano de Sousa Bandeira, estudou na Faculdade de Direito do Recife, onde se bacharelou em 1873,na mesma turma em que se formara Domingos Olimpio (1851-1906) escritor, romancista, autor do romance ,Luzia Homem. publicado em 1903; e de Silvio Romero, escritor, jurista e sociólogo-fundador da Academia Brasileira de Letras ,integrante da Escola do Recife Ocupou, no Império, o cargo de procurador da Coroa, que hoje equivale a procurador da Fazenda.

Escreveu o Manual do procurador dos feitos da Fazenda em 1888. Também publicou vários artigos com o título "A Questão Penitenciaria no Brazil", publicado na Revista Brazileira em 1880.

Esteve na Alemanha como enviado do Governo Imperial, onde observou o funcionamento dos jardins de infância. De volta ao Brasil apresentou relatório de viagem, num trabalho em que descreve os centros para infantes. Escreveu parecer sobre a propriedade de minas, publicado em livro e consideado atual em nossos dias. Foi presidente das províncias da Paraíba e de Mato Grosso. Foi condecorado pelo imperador D. Pedro II com a Imperial Ordem da Rosa.

Com advento do regime republicano, tornou-se diretor da Empresa de Obras Públicas do Brasil. Afastou-se do cargo, no entanto, pois padecia de tuberculose pulmonar. Faleceu em Nova Friburgo, para onde se mudara em busca de tratamento[1].

Irmão de Raimundo, de Manuel e de João Carneiro de Sousa Bandeira e tio do escritor e poeta Manuel Bandeira. Seu tio materno Manuel Clementino Carneiro da Cunha também foi presidente da província da Paraíba.

Referências

Precedido por
Antônio Sabino do Monte
Presidente da província da Paraíba
1885 — 1886
Sucedido por
Geminiano Brasil de Oliveira Góis
Precedido por
Francisco Rafael de Melo Rego
Presidente da província de Mato Grosso
1889
Sucedido por
Manuel José Murtinho
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.