Antonio Di Benedetto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antonio Di Benedetto
Nascimento 2 de novembro de 1922
Mendoza, Argentina
Morte 10 de outubro de 1986 (63 anos)
Buenos Aires, Argentina
Nacionalidade Argentina Argentino
Ocupação Escritor e jornalista
Magnum opus Absurdos

Antonio Di Benedetto (2 de novembro de 1922, Mendoza - † 10 de outubro de 1986, Buenos Aires) foi um jornalista e escritor argentino.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Di Benedetto começa escrevendo e publicando histórias em sua adolescência, inspirado por outros autores como Fyodor Dostoevsky e Luigi Pirandello.

Mundo animal publicado em 1953 foi seu primeiro trabalho, o qual recebeu numerosos prêmios. Uma nova versão deste sai em 1971 mas a editorial Xenos Books decide usar a tradução em inglês da primeira versão para captar ao público jovem.

Antonio escreveu cinco novelas, as mais famosa e a considerada sua obra mestra foi Zama publicada em 1956.

Os suicidas em 1969 foi uma crônica repleta de melancolia expressadas em frases curtas, o escritor argentino considerado um dos mais importantes em latinoamerica Jorge Luis Borges disse sobre ele:

"...Escreveu páginas escenciales que me emocionaram e que seguem emocionando-me..."

Os críticos compararam seus trabalhos ao nível de outros importantes escritores como Alain Robbe-Grillet, Julio Cortázar e Ernesto Sábato.

Durante a ditadura militar argentina de Jorge Videla, foi perseguido, detido e torturado. Ao recuperar sua liberdade decide exiliar-se em Espanha e finalmente regressa a seu país em 1984.

Apesar de seus numerosos reconhecimentos e de visitar vários países nunca adquiriu a fama de outros autores latinoamericanos já que suas obras não foram traduzidas para muitos idiomas.

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • El pentágono (1955, reeditado como Anabella em 1974)
  • Zama (1956), traduzida em inglês em 2016 por Esther Allen, publicada por The New York Review of Books
  • El silenciero (1964), traduzida em alemão em 1968 por la Suhrkamp de Fráncfort del Meno.
  • Los suicidas (1969)
  • Sombras, nada más (1985)
  • Trilogía de la espera (2011, El Aleph). Contém Zama, El silenciero e Los suicidas.

Contos[editar | editar código-fonte]

  • Mundo animal (1953, contém quinze contos: Mariposas de Koch, Amigo enemigo, Nido en los huesos, Es superable, Reducido, Trueques con muerte, Hombre-perro, En rojo de culpa, Las poderosas improbabilidades, Volamos, Sospechas de perfección, Algo del misterio, Bizcocho para polillas, La comida de los cerdos e Salvada pureza)
  • Grot (1957, reeditado como Cuentos claros en 1969)
  • Declinación y ángel (1958), ilustrado por Enrique Sobisch.
  • El cariño de los tontos (1961, contém os contos: Caballo en el salitral, El puma blanco e El cariño de los tontos)
  • Two stories (1965)
  • El juicio de Dios (Orión, 1975) (antologia)
  • Absurdos (1978)
  • Caballo en el salitral (Bruguera, 1981) (antologia)
  • Cuentos del exilio (1983)
  • Mundo Animal. El cariño de los tontos ((2000, Adriana Hidalgo Editora. Contém os contos publicados em Mundo animal e El cariño de los tontos)
  • Cuentos completos (2006, Adriana Hidalgo Editora)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]