Aphanolejeunea azorica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaAphanolejeunea azorica
Taxocaixa sem imagem
Classificação científica
Reino: Plantae
Filo: Bryophyta
Subfilo: Bryophytina
Classe: Marchantiopsida
Ordem: Jungermanniales
Família: Lejeuneaceae
Género: Aphanolejeunea
Espécie: A. azorica
Nome binomial
Aphanolejeunea azorica
(V. Allorge et Ast) Pócs et Bernecker

Aphanolejeunea azorica (V.Allorge et Ast) Pócs et Bernecker é uma hepática folhosa pertencente à família Lejeuneaceae[1]. A espécie é um endemismo da Macaronésia, presente nos arquipélagos dos Açores e da Madeira.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Pequena hepátuca folhos, paróica, com eixos em geral com menos de 3 mm de comprimento.

Os filídios são bi-lobados, com 0,3 mm de comprimento e 0,1 mm de largura, apresentando os lóbulos semi-unidos, formando um minúsculo saco. O lóbulo ventral, de maiores dimensões, apresenta um dente na sua parte apical, formado por uma ou duas células[2].

A espécie não apresenta anfigastro, mas é frequente a presença de propágulos vegetativos na forma de gemas marginais discóides. A frutificação é apenas ocasional.

Ecologia e distribuição[editar | editar código-fonte]

Planta epífita que cresce preferencialmente sobre folhas (epífila). Ocorre em geral sobre folhas de Ilex perado e de Hedera azorica e as frondes de Trichomanes speciosum, Elaphoglossum paleaceum e Hymenophyllum tunbrigense em zonas abrigadas, ombrosas e hiper-húmidas[2].

Ocorre em todas as ilhas do arquipélago Açores e na ilha da Madeira.

Notas

  1. Aphanolejeunea azorica no Portal da Biodiversidade dos Açores.
  2. a b Nídia Homem & Rosalina Gabriel, Briófitos Raros dos Açores. Estoril : Principia, 2008 (ISBN 978-989-8131-08-9).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]