Arisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arisco
Razão social Arisco Industrial Ltda.
Tipo Empresa de capital fechado
Indústria Alimentícia
Fundação 1969 (48 anos)
Encerramento Fevereiro de 2000 (a Empresa)
Sede Goiânia, GO,  Brasil
Proprietário(s) Unilever
Presidente Joao Alves de Queiroz Filho[1]
Empregados 5.800 (em 2000)
Produtos Condimentos
Achocolatados
Produtos de limpeza
Esponjas de aço
Temperos
Sopas
Maioneses
Alimentos enlatados
Faturamento Baixa R$ 1,5 bilhão (1999)
Website oficial www.arisco.com.br/

Arisco é uma marca brasileira de produtos alimentícios, pertencente à multinacional anglo-holandesa Unilever.

Entre os anos de 1969 e 2000, a Arisco foi uma grande empresa brasileira atuante no setor de gêneros alimentícios, produtos de higiene pessoal e limpeza.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 1969[2], com uma produção de tempero em pasta (sal temperado). Desde então, no início da década de 1970, além da pasta, a Arisco entrou em franca expansão, comprando outras empresas da área de alimentos.

Nas décadas de 1980 e 1990, a marca já em visão nacional, passou a fabricar atomatados, caldos e sopas, amido de milho, pó para refresco, achocolatado, maionese, mostarda, catchup e macarrão instantâneo. Nesta época, a linha Arisco começou a ser exportada para vários países.

Neste período, a Arisco Industrial, seu nome empresarial na época, realizou as seguintes aquisições:[3][4]

 • 1992 - Colombo (indústria e marca de geleias de mocotó).

 • 1993 - Rabechi & Cia (produtos de limpeza Biju).

 • 1993 - Beira Alta (marca de molhos e conservas).

 • 1994 - Kinoko (marca de conservas finas).

 • 1995 - Inbasa (marca de geleias de mocotó).

 • 1996 - Pardelli & Cia (fabricante e então detentora das marcas Assolan e Pertuto).

 • 1997 - Copisi (Argentina, possuía três fábricas de alimentos no seu país).

No ano de 1995, o Goldman Sachs, um dos maiores bancos de negócios dos Estados Unidos, vira sócia da Arisco ao adquirir 20% da empresa por 70 milhões de dólares.[5][3]

Em 1998, a Arisco inaugura sua quarta fábrica de alimentos na Argentina, visando a produção de azeites de oliva e conservas.[3]

Em fevereiro de 2000, foi vendida por João Alves de Queiroz Filho para o grupo norte-americano Bestfoods, por meio da Refinações de Milho Brasil (RMB) por 490 milhões de dólares[6], que por sua vez foi adquirida no mesmo ano pela Unilever [1] [7]

Antigos bens vendidos[editar | editar código-fonte]

A Arisco, enquanto empresa (1969 - 2000), foi dona de várias marcas de bens de consumo, como Mágico (achocolatado), Frisco (refrescos em pó), Assolan (esponjas de aço e de limpeza) e Biju (Lava roupas e produtos de limpeza). Devido ao desinteresse de sua nova controladora, Unilever, pelos tais mercados, a primeira foi revendida para a Pepsico, fabricante de Toddy. A segunda, foi vendida em 2009 ao grupo potiguar Santa Clara, fabricante dos cafés Santa Clara e Três Corações. Já a terceira foi revendida para João Alves de Queiroz Filho, antigo controlador da extinta empresa Arisco, no ano de 2002[8][9], o que tornou-se o embrião da atual Hypermarcas, que foi até o final de 2011 uma das maiores concorrentes da Unilever no país, e a quarta marca foi extinta.

Arisco atualmente[editar | editar código-fonte]

A Arisco ainda existe porém apenas como uma marca da Unilever, hoje em dia a marca oferece produtos como temperos, caldos, sopas, maioneses, geleias entre outros.[10]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Grupo dos EUA assume controle acionário da Arisco (Diário do Grande ABC - 7/2/2000). Página visitada em 08 de março de 2013.
  2. http://alimentacaoforadolar.com.br/arisco-lanca-novos-caldos-tipicamente-brasileiros/
  3. a b c O tempero deu certo (Revista Veja - 01/7/1998). Página visitada em 08 de março de 2013.
  4. Servido? (Revista Exame - Edição 0702 - 01/12/1999). Página visitada em 08 de março de 2013.
  5. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1995/9/04/dinheiro/13.html
  6. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi0802200021.htm
  7. História da Arisco.
  8. Começar de novo (Revista Exame - Edição 0759 - 05/2/2002). Página visitada em 08 de março de 2013.
  9. O replay da Arisco (Revista Istoé Dinheiro - 08/5/2002). Página visitada em 08 de março de 2013.
  10. http://www.arisco.com.br/