Ben & Jerry's

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ben & Jerry's
Razão social Ben & Jerry’s Homemade Holdings, Inc.
Tipo Subsidiária
Slogan “Paz, Amor e Sorvete”[1]
(em Português)

“Democracy. Equality. Ice cream.”[2]
(em Inglês)
Indústria Alimentícia
Fundação 05 de março de 1978 (39 anos) em Burlington, Vermont,
 Estados Unidos
Fundador(es) Ben Cohen
Jerry Greenfield
Sede South Burlington, Vermont,
 Estados Unidos
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) Unilever
Produtos Bolos  • Iogurtes  • Sorvetes
Faturamento Aumento US$ 1.230 bilhões (2015)[3]
Website oficial Benjerry.com

Ben & Jerry’s Homemade Holdings, Inc. ou mais popularmente conhecida como Ben & Jerry's, é uma empresa norte-americana e uma divisão do conglomerado Unilever, que produz sorvetes, iogurtes e bolos. A empresa é sediada na cidade de Burlington e tem uma fábrica em Waterbury, Vermont.[4]

Presença internacional[editar | editar código-fonte]

A Ben & Jerry's está presente em 27 países e possui mais de 580 pontos de venda em 5 continentes.[5][6]

Mapa das lojas da Ben & Jerry's no mundo em 2009


Brasil[editar | editar código-fonte]

Inaugurou a primeira loja no país em 2014, na rua Oscar Freire em São Paulo.[7] Com 2 andares, 318 m² e capacidade para acomodar 80 pessoas sentadas, é a maior loja Ben & Jerry's do mundo, além de ser uma das poucas que oferecem café no menu.[8]

Nos anos seguintes, inaugurou diversas lojas e se expandiu geograficamente para vários cidades e estados, como Campinas[9], Ribeirão Preto[10], Rio de Janeiro[11], Belo Horizonte[12] e Recife[13]. Cada nova inauguração da rede, e no dia mundial do “Free Cone Day”, as lojas do Brasil oferecem casquinhas e sorvetes gratuitos para os consumidores.[14]

Posicionamento e publicidade[editar | editar código-fonte]

A Ben & Jerry's possui un longo histórico de apoio a causas sociais e locais relacionadas a diversos temas como racismo, educação, homofobia e direitos civis. Um dos últimos slogans adotados nos Estados Unidos foi “Democracy. Equality. Ice cream”.[2]

Estande de livros da Ben & Jerry's numa feira da Universidade do Sul da Califórnia.

Após diversos episódios envolvendo abordagens agressivas da polícia civil contra negros nos Estados Unidos em 2015, a Ben & Jerry's passou a apoiar o movimento Black Lives Matter, lançando campanhas na internet e uma carta aberta onde se dizia que: “Todas as vidas importam. Mas todas as vidas não importam, até que as vidas negras importem”.[15]

Em 17 de Junho de 2016, foi lançada pela empresa um novo sabor de sorvete de Hortelã-pimenta chamado de "Empower Mint", uma alusão a palavra empoderamento, cuja parte das vendas seria permanentemente direcionada para melhora do sistema eleitoral dos Estados Unidos e conscientização política dos eleitores americanos.[16][17][18] Meses depois, os fundadores Ben Cohen e Jerry Greenfield foram presos em Washington, D.C. em um protesto do movimento "Democracy Awakening", cuja finalidade era protestar contra o financiamento privado de campanha, a nominação direta do presidente para a Suprema Corte dos Estados Unidos e a favor dos direitos civis.[19]

Em 2017, a Ben & Jerry's doou todo dinheiro arrecadado em São Paulo e Rio de Janeiro com as vendas do sabor "Chocolate Chip Cookie Dough" em 20 de Fevereiro para a entidade assistencial Casa 1, que funciona como centro de recolhida para pessoas LGBT que foram expulsas de casa. Durante a campanha, o nome do sabor foi trocado para "I Dough, I Dough", uma referência para a expressão "I do" ou "Eu aceito".[20]

Críticas e controvérsias[editar | editar código-fonte]

Seguindo os rumores que sugeriam que a Ben & Jerry's apoiou a defesa de Mumia Abu-Jamal, que foi acusada de matar o oficial da polícia da Filadélfia Daniel Faukner[21], a empresa confirmou que Ben Cohen assinou uma petição, pois "o sistema americano de justiça não funcionou corretamente no caso".

Em 2010, o Center for Science in the Public Interest, intimou a Ben & Jerry's para parar de denominar os seus sabores de produtos com a informação "natural", pois na composição de todos es ingredientes havia xarope de milho industrial, chocolate misturado com Álcali e diversos outros ingredientes modificados.[22] Em Setembro do mesmo ano, a empresa firmou um compromisso para retirar da denominação dos sorvetes e iogurtes a informação.[23]

Na edição de 2017 do Free Cone Day da Flórida, diversos grupos de manifestantes da Migrant Justice (uma associação de fazendeiros de Burlington), protestaram em favor da campanha "Milk with dignity".[24] De acordo com a imprensa e ativistas, apesar do engajamento em campanhas sociais, a empresa pouco ou nada faz para melhora dos baixos salários, exploração de imigrantes e péssimas condições de trabalho dos fornecedores.[25][26]

Em 2017, após a negativa do governo da Austrália de legalizar o casamento gay, foi anunciado que os sorvetes de duas bolas das lojas australianas só poderiam ser servidos se fossem de sabores iguais. Em postagens nas redes sociais, foi encorajado que seguidores mandassem mensagens para seus representantes na Câmara dos Representantes da Austrália e que a situação continuaria acontecendo até que o casamento gay fosse legalizado no país.[27]

Referências

  1. Ben & Jerry's. «Promovendo a Paz». Ben&Jerrys.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  2. a b Zachary Roth (20 de fevereiro de 2017). «Ben & Jerry on their new campaign to promote democracy» (em inglês). MSNBC. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  3. Guilherme Dearo (22 de julho de 2016). «As 15 marcas de sorvete mais vendidas do mundo». Revista Exame. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  4. Road Site America (20 de fevereiro de 2017). «Ben & Jerry's Factory Tour and Flavor Graveyard» (em inglês). Road Site America. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  5. «International Locations». Ben & Jerry's. Consultado em 21 de novembro de 2012 
  6. Alexandra Cain (21 de abril de 2011). «Bigger lick of the market: Ben & Jerry's announce franchise plans». The Sydney Morning Herald. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  7. Ana Luiza Herzog (1 de agosto de 2014). «Ben & Jerry's vai abrir loja no Brasil». Revista Exame. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  8. Aiana Freitas (17 de setembro de 2014). «Sorveteria Ben & Jerry's de SP será a maior do mundo e terá cafezinho». Uol. Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  9. «Ben & Jerry's chega ao Iguatemi Campinas». Residenciais. 7 de junho de 2016. Consultado em 9 de julho de 2017 
  10. Juliana Rangel (25 de março de 2017). «Ribeirão Preto ganha unidade da sorveteria da Ben & Jerry's». A Cidade On. Consultado em 9 de julho de 2017 
  11. Daniela Pessoa (2 de junho de 2017). «Ben & Jerry's inaugura três sorveterias de uma só vez no Rio». Veja. Consultado em 9 de julho de 2017 
  12. «Ben & Jerry's inaugura loja em BH com distribuição de sorvetes grátis». O Tempo. 22 de abril de 2017. Consultado em 9 de julho de 2017 
  13. Isabela Sales. «Ben & Jerry's inaugura duas lojas no Recife em abril e oferece sorvete de graça; entenda». Social 1. Consultado em 9 de julho de 2017 
  14. Brasil Econômico. «Rede de sorvetes Ben & Jerry's realiza nesta terça-feira (4) o "Dia da Casquinha Grátis" em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Belo Horizonte». IG. Consultado em 9 de julho de 2017 
  15. Taryn Finley (7 de outubro de 2013). «Ben & Jerry's Breaks Down Exactly Why Black Lives Matter» (em inglês). HuffPost. Consultado em 9 de junho de 2017 
  16. James Cave (17 de maio de 2017). «Ben & Jerry's New Flavor 'Empower Mint' Is More Political And Punny Than Ever» (em inglês). HuffPost. Consultado em 9 de julho de 2017 
  17. Ben & Jerry's (9 de abril de 2016). «A New Flavor 'For The People' – Literally!Join Us for the Big Reveal» (em inglês). Benjerry.com. Consultado em 9 de junho de 2017 
  18. Ben & Jerry's. «Big Money Out» (em inglês). Benjerry.com. Consultado em 9 de julho de 2017 
  19. CNN (19 de abril de 2016). «Co-founders of Ben & Jerry's arrested at Capitol». Cnn.com. Consultado em 9 de junho de 2017 
  20. Luíza Belloni (20 de fevereiro de 2017). «Em ação, Ben & Jerry's doará toda a renda de sorvetes vendidos hoje para centro de acolhimento LGBT». HuffPost. Consultado em 9 de julho de 2017 
  21. «The FOP's Boycott for Daniel Faulkner» (em inglês). BreakTheChain.org. 19 de janeiro de 2001. Consultado em 9 de junho de 2017 
  22. Andrew Clark (28 de outubro de 2010). «Ben and Jerry's admits ice-cream with a liberal conscience not 'all natural'» (em inglês). The Guardian. Consultado em 9 de junho de 2017 
  23. «Ben & Jerry's Takes 'All Natural' Claims Off Ice Cream Labels» (em inglês). NPR. 27 de outubro de 2010. Consultado em 9 de julho de 2017 
  24. Julie R. Thomson (4 de abril de 2017). «Farmworker Rights Leaders Plan To Protest On Ben & Jerry's Free Cone Day» (em inglês). HuffPost. Consultado em 9 de julho de 2017 
  25. Michael Arria (8 de julho de 2017). «If Ben & Jerry's is progressive, why won't it protect its farmworkers?» (em inglês). Salon. Consultado em 9 de julho de 2017 
  26. Jonathan Leavitt (3 de junho de 2014). «Dairy Work Has Soured for Vermont's Migrant Workers» (em inglês). In These Times. Consultado em 9 de julho de 2017 
  27. Liliana Borges (31 de maio de 2017). «Enquanto não houver casamento gay na Austrália, não há gelados de duas bolas do mesmo sabor». Sapo. Consultado em 9 de julho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons