Ataliba Teixeira de Castilho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ataliba Teixeira de Castilho
Nascimento 1936 (85 anos)
Araçatuba
Cidadania Brasil
Alma mater
Ocupação linguista, professor universitário
Empregador Universidade de São Paulo, Universidade Estadual de Campinas

Ataliba Teixeira de Castilho (Araçatuba, 1936) é um linguista brasileiro.[1]

Carreira acadêmica[editar | editar código-fonte]

Ataliba T. de Castilho foi professor titular da Universidade de São Paulo (USP) (1996-2005), da Faculdade de Filosofia de Ciências e Letras de Marília (1961-1975), atualmente unidade da Unesp, e do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp (1975-1991). Nasceu em Araçatuba (SP) e é casado com a também linguista Célia Maria Moraes de Castilho.[2]

Fez seu curso secundário em São José do Rio Preto e licenciou-se em Letras Clássicas na então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1956-1959). Participou de programas de pós-doutoramento em universidades da Itália, Portugal, Estados Unidos e França. Coordenou os seguintes projetos de pesquisa: Projeto de Estudo da Norma Urbana Linguística Culta (Projeto NURC) - da Cidade de São Paulo, juntamente com Isaac Nicolau Salum (1969-1980) e Dino Preti (desde 1981), o Projeto de Gramática do Português Falado (PGPF), com sede na UNICAMP. Em 1997, lançou na USP o Projeto de História do Português Brasileiro. É editor geral da obra em andamento História do Português Brasileiro, 12 volumes[3].

Na Unicamp, organizou o Sistema de Bibliotecas e o Sistema de Arquivos. Foi professor visitante da Universidade do Texas. Presidiu o Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo (1969-1970), a Área de Letras e Linguística da Capes (1987-1990), a Associação Brasileira de Linguística (1983-1985), a Associação de Linguística e Filologia da América Latina (1999-2005) e foi membro do Comitê de Assessores em Letras e Linguística do CNPq (1991-1993).

Publicou 62 artigos, orientou teses e dissertações e é autor de dezenove livros, entre os quais Subsídios à Proposta Curricular de Língua Portuguesa para o 2º Grau (org.), A Linguagem Falada Culta na Cidade de São Paulo (org., com Dino Preti), A Linguagem Falada Culta na Cidade de São Paulo; Português Culto Falado no Brasil (org.), Gramática do Português Falado (org.), Para a História do Português Brasileiro (org.), Nova gramática do Português Brasileiro (2010)[2].

Referências

  1. «19710299». Virtual International Authority File. Consultado em 24 de dezembro de 2019 
  2. a b «Ataliba Teixeira de Castilho: O linguista libertário | Revista Pesquisa Fapesp». revistapesquisa.fapesp.br. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  3. «Ora pois, uma língua bem brasileira | Revista Pesquisa Fapesp». revistapesquisa.fapesp.br. Consultado em 2 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]