Ataque a ônibus do Borussia Dortmund

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Trecho da cerca danificado pelas explosões

No dia 11 de abril de 2017, o ônibus que conduzia a equipe de futebol Borussia Dortmund ao Westfalenstadion para disputar as quartas de final da Liga dos Campeões da UEFA contra Mônaco foi atacado com explosivos. A polícia inicialmente investigou o caso como tentativa de homicídio e uma possível ligação com o Estado Islâmico. Uma carta foi encontrada pela polícia perto do local de explosões que atingiram o ônibus da equipe do Borussia Dortmund, com clara tendência islamita. Inicialmente foram identificados dois suspeitos, sendo um deles detido.[1] No entanto, a 21 de abril de 2017 a policia alemã deteve um homem suspeito de ter colocado a bomba para fazer baixar as ações do Borussia e lucrar com um esquema de venda a descoberto.[2]

Enquanto estava a caminho do estádio Westfalenstadion, em Dortmund, o ônibus do Borussia Dortmund sofre ataque com três explosivos. As bombas estavam escondidas numa cerca perto de um estacionamento próximo ao hotel[3] e foram detonadas por volta das 19:15 do horário local. Um dos integrantes da equipe, o jogador Marc Bartra, ficou ferido, machucou o braço esquerdo e foi encaminhado imediatamente ao hospital mais próximo.[4]

Suspeitos[editar | editar código-fonte]

A polícia inicialmente identificaou dois suspeitos e prendeu um deles. Os apartamentos dos dois suspeitos foram revistados pela polícia. O suspeito preso era um iraquiano de 25 anos,[5] residente de Wuppertal, e pertencente aos círculos fundamentalistas islâmicos.[6][7]

A 21 de abril de 2017, o procurador federal anunciou a prisão de um cidadão germano-russo de 28 anos, identificado apenas como Sergej W., na suspeita de tentativa de homicídio, detonoção ilegal de explosivos, e agressão agravada. O homem possuia opções permitindo-lhe vender a descoberto 15.000 ações do Borussia no volor aproximado de €78.000, e tinha estado no mesmo hotel que a equipa do Borussia, num quarto com vista para cena do crime na altura do ataque.[2]

Investigação[editar | editar código-fonte]

A polícia alemã e os advogados estaduais estão tratando o caso como tentativa de homicídio e ataque terrorista contra o Borussia Dortmund. A polícia encontrou quatro cartas, três na cena do crime (escrita por EIIL), e outra na internet (de autoria da Ação Antifascista).[8][9] Esta última é considerada falsa.[10] Nos primeiros dias após o ataque, o palestrante do Ministério Público Federal da Alemanha considerou-o um ato de terrorismo com possível envolvimento islâmico.[11]

Consequência[editar | editar código-fonte]

A partida foi adiada para o dia 12 de abril, às 18:45 (Horário de Verão da Europa Central).[12]

Referências

  1. «Polícia fala em terrorismo contra ônibus do Borussia e prende um suspeito». UOL Esporte. 12 de abril de 2017. Consultado em 12 de abril de 2017 
  2. a b «Borussia Dortmund bombs: 'Speculator' charged with bus attack». BBC News (em inglês). 21 de abril de 2017. Consultado em 21 de abril de 2017 
  3. «Explosões perto de ônibus do Borussia Dortmund». Deutsche Welle. 11 de abril de 2017. Consultado em 12 de abril de 2017 
  4. ZH Esportes e AFP (11 de abril de 2017). «Presidente do Borussia confirma que Marc Bartra ficou ferido após explosão». Zero Hora Esportes. Consultado em 12 de abril de 2017 
  5. «Dortmund: iraquiano de 25 anos detido pela polícia». O Jogo. 12 de abril de 2017. Consultado em 12 de abril de 2017 
  6. Gaul, Simone; Breitinger, Matthias; Beyer, Tim; Fritsch, Oliver (12 de abril de 2017). «Anschlag auf BVB-Bus: Ein verdächtiger Islamist festgenommen». Die Zeit. ISSN 0044-2070. Consultado em 12 de abril de 2017 
  7. «Nach Anschlag auf BVB-Bus: Festgenommener Tatverdächtiger soll Iraker aus Wuppertal sein». Frankfurter Allgemeine Zeitung (em alemão). 12 de abril de 2017. ISSN 0174-4909. Consultado em 12 de abril de 2017 
  8. «Borussia Dortmund: Sprengstoffanschlag beim BVB – Was wir wissen, was nicht - WELT». DIE WELT. Consultado em 12 de abril de 2017 
  9. Germany, SPIEGEL ONLINE, Hamburg. «Anschlag auf BVB-Bus: Ermittler prüfen zwei Bekennerschreiben - SPIEGEL ONLINE - Panorama». SPIEGEL ONLINE. Consultado em 12 de abril de 2017 
  10. tagesschau.de. «Anschlag auf BVB: Ist Antifa-Bekennerschreiben ein Fake?». tagesschau.de (em alemão). Consultado em 12 de abril de 2017 
  11. «Anschlag in Dortmund: Zwei Verdächtige, eine Festnahme». sueddeutsche.de (em alemão). 1 de abril de 2017. ISSN 0174-4917. Consultado em 12 de abril de 2017 
  12. «Após explosão, partida entre Borussia e Mônaco é adiada para quarta». Gazeta Esportiva. 11 de abril de 2017. Consultado em 12 de abril de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre a Alemanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.