Blechnaceae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaBlechnaceae
Blechnum spicant
Blechnum spicant
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Pteridophyta
Clado: Eupolypods II
Classe: Polypodiopsida
Ordem: Polypodiales
Família: Blechnaceae
Géneros
Ver texto

Blechnaceae é uma família constituída por dois a nove géneros[1] e entre 240 a 260 espécies de fetos, com uma distribuição cosmopolita. A família foi incluída no taxon Eupolypods II, um clade da ordem Polypodiales,[2] da classe Polypodiopsida[3]. A maioria das espécies são terrestres, mas algumas, como as pertencentes ao género Stenochlaena, são trepadeiras ou epífitas. Uma característica distintiva desta família é a coloração avermelhada das frondes juvenis durante a fase de abertura.

Géneros[editar | editar código-fonte]

A família Blechnaceae inclui entre 2 e 9 géneros, dependendo do sistema de classificação adoptado. O género Blechnum é provavelmente parafilético, com as espécies do género Doodia (e possivelmente outras) incluídas no seu âmbito[2]. Os resultados obtidos pelos métodos da filogenia molecular indicam que será possível que a família Blechnaceae possa conter apenas dois géneros monofiléticos[1].

Filogenia[editar | editar código-fonte]

O cladograma abaixo mostra a relação mais provável, à luz dos actuais conhecimentos, entre as Blechnaceae e as restantes famílias incluídas no taxon Eupolypods II[2][4].

 eupolypods II  

Cystopteridaceae





Rhachidosoraceae




Diplaziopsidaceae




Aspleniaceae



Hemidictyaceae







Thelypteridaceae




Woodsiaceae





Onocleaceae



Blechnaceae




Athyriaceae







Notas

  1. a b c Maarten J. M. Christenhusz, Xian-Chun Zhang & Harald Schneider (2011). "A linear sequence of extant families and genera of lycophytes and ferns". Phytotaxa 19: 7–54.
  2. a b c Carl J. Rothfels, Anders Larsson, Li-Yaung Kuo, Petra Korall, Wen- Liang Chiou, Kathleen M. Pryer (2012). "Overcoming Deep Roots, Fast Rates, and Short Internodes to Resolve the Ancient Rapid Radiation of Eupolypod II Ferns". Systematic Biology 61 (1): 70.
  3. Alan R. Smith, Kathleen M. Pryer, Eric Schuettpelz, Petra Korall, Harald Schneider & Paul G. Wolf (2006). "A classification for extant ferns". Taxon 55 (3): 705–731.
  4. Samuli Lehtonen (2011). "Towards Resolving the Complete Fern Tree of Life". PLoS ONE 6 (10): e24851. doi:10.1371.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Maarten J. M. Christenhusz, Xian-Chun Zhang & Harald Schneider (2011). "A linear sequence of extant families and genera of lycophytes and ferns". Phytotaxa 19: 7–54.
  • Carl J. Rothfels, Anders Larsson, Li-Yaung Kuo, Petra Korall, Wen- Liang Chiou, Kathleen M. Pryer (2012). "Overcoming Deep Roots, Fast Rates, and Short Internodes to Resolve the Ancient Rapid Radiation of Eupolypod II Ferns". Systematic Biology 61 (1): 70.
  • Alan R. Smith, Kathleen M. Pryer, Eric Schuettpelz, Petra Korall, Harald Schneider & Paul G. Wolf (2006). "A classification for extant ferns". Taxon 55 (3): 705–731.
  • Samuli Lehtonen (2011). "Towards Resolving the Complete Fern Tree of Life". PLoS ONE 6 (10): e24851. doi:10.1371.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.