Boo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Boo
BooLogo.png
Paradigma Multiparadigma
Surgido em 2003
Última versão 0.9.4 (21 de janeiro de 2011)
Criado por Rodrigo Barreto de Oliveira
Estilo de tipagem: Estática
Compiladores booc
Influenciada por C♯, Python
Influenciou Fantom, Cobra
Licença: MIT / BSD
Página oficial boo.codehaus.org

Boo é uma linguagem de programação multiparadigma que suporta orientação a objetos, programação imperativa e programação funcional, de tipagem estática com sintaxe inspirada em Python. Foi criada pelo desenvolvedor brasileiro Rodrigo Barreto de Oliveira. Boo é código aberto, e seu licenciamento segue o modelo da Licença MIT e da Licença BSD. Pode ser usada em conjunto com Microsoft .NET e Mono.

História[editar | editar código-fonte]

A linguagem Boo foi criada em 2003 pelo brasileiro Rodrigo Barreto de Oliveira, conhecido pelo pseudônimo Bamboo, origem do nome da linguagem.

Naquela ocasião, Rodrigo estava frustrado com as linguagens de programação existentes. Embora tivesse experiência no uso de Python e tenha utilizado esta linguagem como base para a criação de Boo, sentia falta de algumas características inerentes às linguagens estaticamente tipadas e da falta do acesso às facilidades da arquitetura .Net. Passou a trabalhar com C♯, para poder utilizar o framework .Net, mas ficou mais insatisfeito ainda pela baixa produtividade e pela falta de prazer no uso desta linguagem. Ele desejava uma linguagem produtiva, que suportasse suas próprias idealizações, que suportasse um compilador extensível e pudesse ser modificada por programadores de acordo com as suas necessidades específicas.

Características[editar | editar código-fonte]

Boo se diferencia das outras linguagens de programação pela facilidade para criar extensões. Ele tem um pipeline de compilação extensível, ou seja, você pode adicionar as suas características no compilador do Boo. Algumas das principais características:

  • Inferência de tipo - o compilador identifica o tipo das variáveis e funções e faz a declaração automática
  • Funções como objetos
  • Duck typing - Se algo caminha como um pato e faz quack como um pato então deve ser um pato
  • Clausuras
  • Interpretador interativo: semelhante ao Python
  • Slicing - fatiamento de listas; se lista = ['a', 'b', 'c', 'd', 'e'], lista[1:3] retorna ['b', 'c']
  • Macros - Lembra as macros do C++. É utilizado para simplificação de código
  • Interpolação de strings: Manipulação de Strings semelhante ao velocity
  • Generators - formas diferentes de escrever laços

Exemplos de códigos[editar | editar código-fonte]

Programa Olá Mundo[editar | editar código-fonte]

Console
print("Olá, Mundo!")
Windows Forms
import System.Windows.Forms
 
f = Form(Text: "Hello, boo!")
f.Controls.Add(Button(Text: "Clique-me!", Dock: DockStyle.Fill))
Application.Run(f)
GTK
import Gtk
 
Application.Init()
window = Window("Olá, Mundo!", DefaultWidth:  200, DefaultHeight: 150)
 
# O programa deverá encerrar-se depois que a janela se fechar
window.DeleteEvent += def():
   Application.Quit()
 
window.Add(Button("Clique-me!"))
window.ShowAll()
Application.Run()

Sequência de Fibonacci[editar | editar código-fonte]

def fib():
   a as long, b as long = 0, 1
 
   while true:
      yield b
      a, b = b, a + b

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]