Bytecoin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bytecoin
Logótipo
Árvore de Forks para as criptomoedas do protocolo CryptoNote. Fevereiro 2016

Bytecoin (símbolo de ticker BCN[1]) é a primeira criptomoeda baseada no protocolo CryptoNote, com código aberto e projetada para a realização de transações anônimas, protegendo a privacidade das partes envolvidas em uma transação.

Seu desenvolvimento não tem relação direta com o Bitcoin ou algum de seus forks, pois trata-se de um projeto inteiramente novo que foi baseado unicamente na tecnologia de assinatura em anel, desenvolvida para ocultar a origem dos recursos, impedindo seu rastreamento por quem quer que seja[2]


História[editar | editar código-fonte]

Desde seu lançamento em 2012, muitas melhorias foram feitas, tanto no algoritmo de transações quanto nos mecanismos de segurança. Em 2013, a implementação original do CryptoNote que havia sido desenvolvida em Java foi reescrita usando C++. Em 2015, Bytecoin foi bifurcada mais de 25 vezes, dando origem inclusive à famosa criptomoeda Monero.[3]

Em 2017 a equipe do Bytecoin divulgou um road-map contendo informações sobre as novidades para 2018, incluindo uma nova carteira para desktop, uma nova API ( a API antiga será substituída definitivamente em junho de 2018, segundo consta no site oficial) que busca incrementar o recurso de privacidade, tornando esta criptomoeda totalmente irrastreável. Além disso estão previstos recursos que permitirão, segundo a equipe de desenvolvimento, a criação de contratos inteligentes (smart contracts) tal como oferecido por outras plataformas, especialmente Ethereum e NEM. Ainda há recursos e tarefas pendentes de lançamento tais como:;

  • Rede pública para testes, prevista para 10 de julho de 2018;
  • Novas ações de marketing nos mercados asiático,  africano e no oriente médio;
  • Negociação em mais corretoras de criptomoedas (devido a falhas na antiga API, algumas corretoras não estão operando com BCN);
  • Carteira para Android e IOS;
  • Plugin de pagamentos;

Recursos da nova carteira desktop e da nova API[editar | editar código-fonte]

LMDB library como padrão para otimizar o tamanho do blockchain de 50 para 25GB, suporte  a taxas dinâmicas (a taxa passa a depender do fluxo de transações no mercado e do valor das transações) e banco de dados separado da carteira (para evitar que o arquivo da carteira tenha seu tamanho aumentado em função das transações).


Um diferencial importante na tecnologia empregada pelo Bytecoin é o fato de seu algoritmo exigir uso de grande quantidade de memória, fazendo com que a mineração por GPU seja menos eficiente do que a mineração por CPU. Isso também impede, até o momento, o uso de ASIC, muito embora a empresa Bitman tenha divulgado recentemente[4] o lançamento de uma mineradora para moedas baseadas no protocolo CriptoNote.

A essência do algoritmo Criptonote está no sistema de assinatura em anel, que oferece o máximo de anonimato disponível atualmente. A criptografia base para o protocolo foi criado por Ron Rivest, Adi Shamir e Yael Taumann em 2001, e finalizado por E. Fujisaki e K. Suzuki em 2007. O EdDSA regime proposto pelo matemático norte-Americano Daniel Bernstein é usado como o algoritmo de assinatura. Um sistema adicional de ofuscamento foi adicionada a este.

Ofuscamento de transação do protocolo CryptoNote

Polêmica sobre o uso de ASIC[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2018 a equipe do Bytecoin anunciou oficialmente que não faria um hard fork para impedir a mineração por meio de ASIC. Os argumentos usados foram que o ASIC protege a rede contra ataques de 51% e que um hard fork apenas para essa finalidade não seria útil, visto que os novos modelos de ASIC trarão o recurso de FPGA, tornando-os facilmente reajustáveis para que se adaptem a mudanças em algoritmos de diferentes moedas.[5]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Bytecoin». Cryptgap: Cryptocurrency Reviews (em inglês) 
  2. «What is Bytecoin?» 
  3. «Bytecoin». Cointelegraph. 24 de maio de 2015 
  4. «Monero and SiaCoin Reject Bitmain's ASIC Miners, Who Could Be Next?». Cointelegraph (em inglês). 29 de março de 2018 
  5. «The ASIC Statement: Clarification From The Bytecoin Team». Bytecoin (BCN) - anonymous cryptocurrency, based on CryptoNote (em inglês). 24 de abril de 2018 

Links Externos[editar | editar código-fonte]