Canato da Sibéria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde outubro de 2016). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
   |- style="font-size: 85%;"
       |Erro::  valor não especificado para "nome_comum"
   


Canato da Sibéria
início do século XIV – 1598
Localização de {{{nome_comum}}}
Localização do Canato
Continente Ásia
Região Sibéria
Capital Chingi-Tura (até 1493)
Sibir (após 1493)
Língua oficial Tártaro da Sibéria
Selkup
Ostíaco
Mansi
Religião Tengrismo
Islã
Xamanismo
Governo Canato, craterocracia
 • início do século XIV Taibuga
 • 1563–1598 Kutchum
Período histórico Idade Moderna
 • início do século XIV Conquista de remanescências do Império Mongol por Taibuga
 • 1598 Derrota de Kutchum na conquista russa da Sibéria

O Canato da Sibéria, também conhecido como Canato de Turan,[1] foi um canato turco na região da Sibéria formada sobre os remanescentes do Império Mongol, finalmente conquistado pelo Império Russo na conquista russa da Sibéria em 1598.

História[editar | editar código-fonte]

Na década de 1440, a Horda de Ouro foi tomada por uma guerra civil, e como resultado se dividiu em quatro canatos separados: o poderoso Canato de Cazã, o Canato de Astrakhan, o Canato da Crimeia que se tornaria tributário do Império Turco-Otomano e o remoto e fraco Canato da Sibéria.

Algumas partes do Canato também incluíam o Ducado de Sibir que existiu durante o século XIV ao norte da Horda Ouro, além de terras Mansi, Khanty e Nenets.

O Canato era habitado principalmente por tártaros da Sibéria. Os cãs, governantes do território, eram escolhidos normalmente dos descendentes de Shayban, irmão de Batu Khan. O último khan da Sibéria foi Kutchum, cujos descendentes foram conhecidos como Príncipes Sibirski. A última capital era Sibir, e muitas das atuais cidades russas na Sibéria Ocidental foram fundadas durante a época do Canato da Sibéria, incluindo Tyumen e Tobolsk. O Canato foi o Estado islâmico mais setentrional da história, chegando mesmo ao Ártico.[2]

Declínio[editar | editar código-fonte]

O Canato da Sibéria foi facilmente varrido pelos cossacos russos sob a liderança de Yermak Timofeyevich na década de 1570. Yermak nomeou o novo território de Sibéria, após Sibir. O Canato viveu no título subsidiário "Czar da Sibéria" no qual se tornou parte do estilo imperial dos autocratas russos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tooke, v. 2, p. 60
  2. Riasanovsky (1999), p. 148

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Forsyth, James. A History of the Peoples of Siberia: Russia's North Asian Colony 1581–1990. Cambridge University Press, 1992. ISBN 0-521-40311-1.
  • Riasanovsky, Nicholas. A History of Russia. Oxford University Press, 1999. ISBN 0-19512179-1.
  • Tooke, William. A View of the Russian empire during the reign of Catharine the Second.