Cangambá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o animal. Para cidade em Angola, veja Kangamba.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCangambá
Striped Skunk (Mephitis mephitis) DSC 0030.jpg
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Mephitidae
Género: Mephitis
Espécie: Mephitis mephitis
Nome binomial
M. mephitis
(Schreber, 1776)
Distribuição geográfica
Mephitis mephitis range map.png

A doninha-fedorenta (pt) ou cangambá (pt-BR) (Mephitis mephitis) é um mamífero carnívoro caracterizada pela pelagem preta com listras brancas e por expelir um líquido fétido de suas glândulas anais quando acuado. O cangambá é muitas vezes confundido com o gambá devido à semelhança fonética dos termos e ao fato de ambas as espécies usarem odores fétidos como forma de defesa.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Embora tradicionalmente classificados como membros da família dos mustelídeos, atualmente alguns taxonomistas incluem os cangambás na família dos mefitídeos.[1]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Cangambá" procede do tupi a'kãga am'bá, "cabeça oca, estonteado".[2]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

O cangambá habita campinas e bosques do Canadá ao México. Campos cultivados e matas ciliares provam ser um excelente habitat para esses animais.

No Brasil, existe uma espécie muito parecida ao cangambá, chamada Jaratataca.

Aparência[editar | editar código-fonte]

Um cangambá adulto tem, em média, o tamanho de um gato doméstico, variando de 55 a 75 cm de comprimento e pesando entre 1,3 a 4,5 kg. As listras brancas características variam de um espécime a outroː às vezes, são largas e nítidas; outras vezes, quase inexistentes. O corpo é alongado, com patas curtas e fortes. O rabo é longo e peludo. A cabeça é relativamente pequena, com olhos pequenos e orelhas redondas. O focinho é pontudo. As glândulas de almíscar, responsáveis pelo mau cheiro, são grandes e se localizam na base da cauda.

Dieta[editar | editar código-fonte]

Os cangambás alimentam-se de larvas, insetos e vermes, bem como de pequenos vertebrados, sendo, por isso, um animal carnívoro.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Os machos são solitários e só procuram as fêmeas durante o cio. A época de acasalamento vai de fevereiro a março. O período de gestação dura de 60 a 77 dias e as ninhadas são de cinco a seis filhotes. Os cangambás são considerados adultos com um ano de idade.

A expectativa de vida é baixa. 90% dos animais não sobrevivem ao primeiro inverno. Em estado selvagem, vivem de dois a três anos. Em cativeiro, podem chegar aos 15 anos.

Hábitos[editar | editar código-fonte]

A característica mais marcante dos cangambás é seu formidável método de defesa. Graças a duas glândulas de cheiro na parte externa do seu ânus, o cangambá não é predado por outros mamíferos.

Contudo, isso não o impede de ser vítima de aves, devido a seu pouco ou nenhum faro. A produção do líquido malcheiroso não é constante, levando o animal a fazer uso dessa tática somente em último caso. Quando realmente em perigo, o cangambá ergue suas patas traseiras no ar e dobra o corpo como se fosse uma letra C, esguichando sua "arma química" sobre o inimigo incauto. O líquido provoca ardor nos olhos e narinas, não causando maiores problemas.

O cangambá vive em tocas, saindo ao crepúsculo. Durante o inverno, diminui suas atividades, passando o tempo todo entocado.

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Cangambá
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Cangambá

Referências

  1. Planeta dos gambás: animais se espalham em vários bairros do Rio
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 335.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]