Cavia intermedia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCavia intermedia
Cavia intermedia f825.JPG
Estado de conservação
Espécie em perigo crítico
Em perigo crítico (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Família: Caviidae
Subfamília: Caviinae
Género: Cavia
Espécie: C. intermedia
Nome binomial
Cavia intermedia
Cherem, Olimpio & Ximenez, 1999
Distribuição geográfica
Cavia intermedia distribution.png

Cavia intermedia é uma espécie rara de roedor da família Caviidae[1], parente dos porquinhos-da-índia.

Endêmica do Brasil, é encontrada apenas na maior ilha do pequeno arquipélago de Moleques do Sul, no estado de Santa Catarina, próximo à Florianópolis e Palhoça. Sua população está estimada apenas entre 40 a 50 indivíduos[1][2].

Descrição[editar | editar código-fonte]

Esta espécie rara de preá mede aproximadamente 25 cm de comprimento e pesa cerca de 600 gramas[3]. É um herbívoro terrestre, vivendo apenas no chão. Alimenta-se basicamente de uma espécie de grama (Paspalum vaginatum) e uma espécie de árvore (a maria-mole - Guapira opposita) que chega com suas folhas próximas do chão, ambas plantas comuns em seu habitat[2]. Em menor grau, se alimenta também de ervas rasteiras, além de trepadeiras e arbustos que chegam com suas folhas ao chão[2].

Reproduz-se durante o ano inteiro, especialmente no verão[2][4]. Cada fêmea tem de um a dois filhotes e a gestação dura dois meses[2]. A prole nasce com cerca de metade do tamanho do adulto. Vivem em média de 2 a 3 anos, chegando no máximo a 4 anos de idade[2].

Descoberta e origem da espécie[editar | editar código-fonte]

O primeiro registro do préa nas Ilhas Moleques do Sul foi realizado em 1989, na época sendo considerada apenas uma população isolada (insular) de Cavia aperea, uma das espécies de preás que vivem no continente[5]. Porém, através de pesquisas científicas, em 1991 descobriu-se que devia se tratar de uma nova espécie, com características diferentes das demais espécies de preá do gênero Cavia[5]. Assim, em 1999 foi publicada a pesquisa que a reconheceu oficialmente como uma nova espécie, se chamando Cavia intermedia por apresentar características físicas intermediárias ao compará-la com as espécies Cavia magna e Cavia aperea[5].

Acredita-se que tenham evoluído a partir de indivíduos da espécie Cavia magna que foram isolados há cerca de 8.000 mil anos atrás durante a formação das Ilhas Moleques do Sul, através da subida do nível do mar no processo de fim da última era glacial[5].

Conservação e ameaças[editar | editar código-fonte]

Cavia intermedia é atualmente considerada criticamente em perigo pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN)[6][7], devido ao número estimado de adultos remanescentes ser de apenas 40 a 50 indivíduos[2][8], bem como o fato da distribuição geográfica ser uma das menores dentre todos os mamíferos do planeta (cerca de 10 hectares)[8]. Por conta da limitação territorial, Cavia intermedia praticamente não apresenta mais variabilidade genética [9]. No entanto, a maior risco de extinção da espécie está no pequeno número de femeas adultas disponíveis na população, sob constantes ameaças pelo uso humano da ilha com uso de fogueiras e introdução de espécies exóticas[10]. Além disso, a introdução de um animal que possa tornar-se seu predador na ilha pode exterminá-la[11].

Habitat de Cavia intermedia, principalmente a vegetação herbácea encontrada na maior ilha do arquipélago de Moleques do Sul

Referências

  1. a b SALVADOR, C. H.; FERNANDEZ, F. A. S. (2008). «Population dynamics and conservation status of the insular cavy Cavia intermedia (Rodentia: Caviidae).». Journal of Mammalogy, v. 89, n. 3, p. 721–729. Consultado em 15 de setembro de 2018 
  2. a b c d e f g Furnari, Nina (2011). «Comportamento e organização social do préa Cavia intermedia, uma espécie endêmica das Ilhas Moleques do Sul, Santa Catarina» (PDF). Tese de Doutorado do Instituto de Psicologia da USP. Consultado em 15 de setembro de 2018 
  3. Preá Cavia intermedia é o mamífero mais raro do mundo Planeta Sustentável, acessado em 13 de junho de 2010
  4. SALVADOR, C. H. & FERNANDEZ, F. A. S. Reproduction and Growth of a Rare, Island-endemic Cavy (Cavia intermedia) from Southern Brazil Journal of Mammalogy 89(4):909-915, 2008.
  5. a b c d CHEREM, J. J.; OLIMPIO, J.; XIMENEZ, (1999). «Descrição de uma nova espécie do gênero Cavia Pallas, 1766 (Mammalia-Caviidae) das Ilhas dos Moleques do Sul, Santa Catarina, Sul do Brasil». Biotemas, v. 12, n. 1, p. 95–117. Consultado em 15 de setembro de 2018 
  6. Preá catarinense está criticamente ameaçado de extinção Jornal JÁ, acessado em 13 de junho de 2010
  7. «The IUCN Red List of Threatened Species - Cavia intermedia». The IUCN Red List of Threatened Species. 2016. Consultado em 15 de setembro de 2018 
  8. a b SALVADOR, C. H.; FERNANDEZ, F. A. S. Population dynamics and conservation status of the insular cavy Cavia intermedia (Rodentia: Caviidae). Journal of Mammalogy, v. 89, n. 3, p. 721–729, 2008. 
  9. Espécie de preá sobrevive sem variedade genética UOL, acessado em 22 de novembro de 2008
  10. SALVADOR, C. H. Biologia da Conservação na teoria e na prática: o estudo de caso de Cavia intermedia, um dos mamíferos mais raros do planeta. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006. 
  11. Preá mais raro do mundo vive em Santa Catarina Diário Catarinense, acessado em 13 de junho de 2010
Ícone de esboço Este artigo sobre roedores, integrado ao WikiProjeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.