Cecilia Suárez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cecilia Suárez
Nome completo María Cecilia Suárez de Garay
Nascimento 22 de novembro de 1971 (49 anos)
Tampico  México
Ocupação atriz

María Cecilia Suárez de Garay (Tampico, 22 de novembro de 1971) é uma atriz e ativista mexicana. Ela é conhecida por seus papeis em Sexo, pudor y lágrimas (1999), Capadocia (2008-2010), A Gente se Vê, Papai (2011) e A Casa das Flores (2018). Suárez foi a primeira mulher a receber o prêmio Cuervo Tradicional e a primeira atriz de língua espanhola a ser indicada ao Emmy Internacional.[1]

Além de fazer campanha contra o feminicídio, Suárez também é ativista dos direitos humanos e dos direitos das mulheres no México. Ignacio Sánchez Prado, historiadora do cinema mexicano, escreve que ela tem "um status icônico de atriz nos filmes de maior sucesso do país".[2]:152

Carreira[editar | editar código-fonte]

Suárez mudou-se para os Estados Unidos em 1991, estudou drama na Universidade de Illinois. No final dos anos 90, ela estrelou Sexo, pudor y lágrimas (1999), o seu primeiro papel de destaque no cinema. Após o sucesso do filme, trabalhou bastante em grandes filmes no início dos anos 2000, incluindo: Espanglês (2004), Três Enterros (2005) e Ligados pelo Crime (2007).

Em 2008, estrelou a série Capadocia da HBO, interpretando a personagem La Bambi, papel que lhe rendeu uma nomeação ao prêmio Emmy Internacional, sendo a primeira atriz de língua espanhola a receber essa indicação.[3]

Após sua segunda indicação prêmio Ariel em 2015, Suárez teve papéis em 2016 na série original da Netflix Sense8 e no filme Macho, bem como na comédia Cuando los hijos regresan com Carmen Maura. Em 2017, ela estrelou outra produção da Netflix, a série de comédia dramática, A Casa das Flores, criada por Manolo Caro,[4] e em 2018 fez uma participação no filme Homem ao Mar.

Ativismo[editar | editar código-fonte]

Por muitos anos, Suárez foi parceira e ativista do Greenpeace. Ela também é apoiadora do movimento Me Too e se envolveu em diversas campanhas de violência contra as mulheres.

Referências

  1. Uol (13 de maio de 2019). «Cecilia Suárez ganha Platino de melhor atriz de série» 
  2. Sánchez Prado, Ignacio M. (30 de junho de 2014). Screening neoliberalism : transforming Mexican cinema 1988-2012. Nashville, Tennessee: Vanderbilt University Press. ISBN 978-0-8265-1967-2. OCLC 881756815 
  3. Campelo, Sara (22 de dezembro de 2018). «Cecilia Suárez: "No voy a interpretar a una bomba sexual porque no dignifica mi género"». S Moda EL PAÍS (em espanhol). Consultado em 1 de julho de 2020 
  4. Marín, Verónica. «'La casa de las flores' o por qué el personaje de Paulina de la Mora es el mejor de 2018». Vogue España (em espanhol). Consultado em 1 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cecilia Suárez