Cemitério do Alto de São João

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vista do Crematório.

O Cemitério do Alto de São João é o maior e um dos mais importantes cemitérios da cidade de Lisboa em Portugal, encontrando-se sepultadas nele inúmeras figuras ilustres da história do país.

História[editar | editar código-fonte]

O Cemitério do Alto de São João foi mandado construir em 1833 pela Rainha Dona Maria II aquando da epidemia de cólera morbus que assolou a cidade de Lisboa, servindo ainda hoje a zona oriental da cidade, sendo a ocidental servida pelo Cemitério dos Prazeres. Foi durante mais de um século o primeiro cemitério da cidade tendo sido escolhido pela Primeira República como local para homenagear os seus heróis, com a construção de uma cripta. De realçar também a Cripta dos Combatentes da Grande Guerra, a cargo da Liga dos Combatentes, bem como o talhão privado de Bombeiros Voluntários, o Jazigo dos Beneméritos da Santa Casa da Misericórdia, o Jazigo dos Viscondes de Valmor ou o Jazigo dos Beneméritos da Cidade.

Ocupava a Quinta dos Apóstolos, na altura situada fora dos limites da cidade, zona rural de grandes quintas, passando a gestão pública apenas em 1841, após a legislação de 1835 que proibia os enterramentos em igrejas. Inicialmente ajardinado, está arborizado com ciprestes, eucaliptos, robínias, alfarrobeiras, jacarandás, entre muitas outras. Encontra-se aqui um notável conjunto de arquitectura funerária, muita dela em estilo neomanuelino, onde estão sepultadas algumas das personalidades que fizeram parte da história do país nos últimos duzentos anos. Trata-se uma verdadeira cidade, com casas numeradas e ruas. A principal é a que começa na entrada sendo cortada por outras perpendicularmente.

O primeiro forno crematório do país foi construído neste cemitério em 1925, tendo sido desactivado alguns anos mais tarde por razões políticas, sendo reativado em 1985.[1] É um dos cemitérios históricos da cidade onde se encontram inúmeros mausoléus e jazigos, ricamente decorados com simbologia do imaginário religioso e intelectual.

Alguns ilustres sepultados ou cremados no cemitério[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cemitério do Alto de São João». lisboaverde. Consultado em 9 de agosto de 2010