Censurados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Censurados
Informação geral
Origem Lisboa
País Portugal Portugal
Gênero(s) Punk Rock
Hardcore punk
Street punk
Ska punk
Período em atividade 1988 - 1994
1999 (ao vivo]
Gravadora(s) El Tatu
EMI
Integrantes João Ribas
Orlando Cohen
Samuel Palitos
Fred Valsassina

Censurados foi uma banda de Punk rock portuguesa. Foi formada em Lisboa no ano de 1988, por João Ribas, Samuel Palitos, Orlando Cohen e Fred Valsassina.[1][2][3][4]

Os Censurados marcaram, a par de bandas como Peste & Sida ou Mata-Ratos, a segunda geração do punk rock português, que tinha já tido uma primeira vida com nomes como Faíscas, Crise Total ou os primeiros passos dos Xutos & Pontapés.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Os Censurados começaram por tocar ao vivo. As letras, em português, eram simples e directas, com refrões que traduziam o sentimento da juventude da era Cavaquista. O primeiro registo em vinil, na compilação "Feedback 001" incluiu os temas Senhores Políticos, Não Vales Nada e Está a andar de Mota (um instrumental). Tu ó Bófia, Não Vales Nada, Angústia, Senhores Políticos eram temas que foram passando de cassete em cassete e eram entoados em coro nos concertos muito antes do lançamento do álbum "Censurados", em 1990. Este disco é um álbum histórico que foi aclamado pela mais importante fanzine dedicada ao Punk e Hardcore na altura, a Maximum Rockn'Roll (EUA) apesar (ou não) das letras em português, o que mostra a qualidade das composições e sobretudo das prestações dos músicos.[2][4]

Em 1991 editam o 2º álbum "Confusão" e passam o anos seguintes na estrada. Em 1993 sai o "Sopa" com o single de mesmo nome e uma participação de Jorge Palma na música "Estou agarrado a ti". O ano de 1994 é o ano da despedida, mas antes participam no tributo a Zeca Afonso, "Filhos da Madrugada" com a reedição do tema O que faz falta.[2][4]

Em 1998 a editora "El Tatu" de Tim reedita os álbuns "Censurados" e "Confusão".[2][4]

Em 1999 os Censurados reaparecem, participando no tributo de Xutos & Pontapés, "XX Anos XX Bandas". Participaram na tournée de promoção desse disco com os Xutos.[2][4]

Em 2006 é lançado a biografia da banda, "Censurados Até Morrer", escrita por Augusto Figueira e Renato Conteiro.[2][1]

Elementos[editar | editar código-fonte]

  • João Ribas (voz, guitarra)
  • Orlando Cohen (guitarra)
  • Fred Valsassina (baixo)
  • Samuel Palitos (bateria)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao Vivo[editar | editar código-fonte]

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b pendulo.pt. «CENSURADOS». Rastilho Records 
  2. a b c d e f g h i Portugal, Rádio e Televisão de. «Documentário recorda valor dos Censurados no punk nacional». Documentário recorda valor dos Censurados no punk nacional. Consultado em 22 de outubro de 2019 
  3. «BLITZ – Morreu João Ribas (Tara Perdida, Censurados)». Jornal blitz. Consultado em 22 de outubro de 2019 
  4. a b c d e «Punk 1977 - 2017 | Censurados - Não vales nada». Antena 3. Consultado em 22 de outubro de 2019