Hino da cidade do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cidade Maravilhosa)
Cidade Maravilhosa
Brasão da cidade do Rio de Janeiro.

Hino municipal do Rio de Janeiro
Letra André Filho
Composição André Filho
Adotado década de 1960
Letra do hino (Wikisource)
Wikisource-logo.svg Cidade Maravilhosa

O hino da cidade do Rio de Janeiro é chamado Cidade Maravilhosa, uma marcha composta por André Filho e arranjada por Silva Sobreira para o Carnaval de 1935. Esse epíteto para a cidade foi utilizado pela escritora francesa Jane Catulle Mendès em seu livro de poemas La Ville Merveilleuse (A Cidade Maravilhosa) publicado em Paris em 1913 como uma homenagem às suas belezas naturais.[1] Na década de 1960, a marchinha de André Filho foi "oficializada" como hino.[2] Porém, só em agosto de 2003 a Câmara Municipal do Rio de Janeiro efetivamente tornou Cidade Maravilhosa o hino oficial do município.

Seu título foi inspirado num programa radialístico de grande sucesso à época, apresentado por César Ladeira, onde este lia as "Crônicas da Cidade Maravilhosa", escritas pelo futuro imortal da Academia Brasileira de Letras, Genolino Amado.

Gravada originalmente na Odeon em 1934, por Aurora Miranda e André Filho e lançada em discos 78 rpm.

Aurora gravou a marcha por sugestão de Carmen Miranda, a qual pretendia lançar a irmã mais nova no cenário artístico e na rádio, pois esta possuía grande talento.

Por esta razão, Carmen passou a incluí-la em todos os seus shows e no coro de suas gravações. Quando o compositor André Filho mostrou-lhe a música Cidade maravilhosa, Carmen achou que aquela seria uma oportunidade de ouro para a irmã. André Filho concordou imediatamente e, juntamente com Aurora Miranda, gravou Cidade maravilhosa de forma magistral.

Cidade Maravilhosa
Cheia de Encantos Mil...
Cidade maravilhosa,
Coração do meu Brasil! >>>
Estribilho de Cidade Maravilhosa, o hino da cidade do Rio de Janeiro.

Gravações[editar | editar código-fonte]

  • Ely Arcoverde
  • Imperiais do Ritmo (1972)
  • Sílvio Caldas (1973)
  • Banda do Canecão (1973)
  • Severino Filho Orquestra & Coro
  • Coro Popular de Samuel Rosemberg
  • Delora Bueno
  • Banda de Música & Coro da Cidade de Jacareí (1976)
  • Banda do Touguinha (1977)
  • Grupo dos Foliões (1977)
  • Trio Tambatajá (1978)
  • Samba Livre (1978)
  • The Freedonn Machine (1978)
  • A Grande Banda do Chopp (1979)
  • Billy Eckstine (1979)
  • As Melindrosas (1979)

Hino alternativo[editar | editar código-fonte]

Um outro hino foi composto para o Quarto Centenário da cidade, cuja letra se deve a Manuel Bandeira e a música a Francisco Mignone.[carece de fontes?]

Guanabara, Guanabara,
és coração do Brasil
Na beleza de tua luz clara,
Serás sempre, o futuro o dirá, >>>
Trecho do Hino alternativo

Referências

  1. Coelho Neto, na crônica Os Sertajenos publicado em A Notícia de 29-30/10/1908, utiliza o termo "Cidade Maravilhosa", mas em referência à Exposição Nacional, não à cidade como um todo, e nisto não está sendo original, já que a imprensa da época se referiu comumente à deslumbrante Exposição como "cidade maravilha" ou "cidade maravilhosa".
  2. André Diniz (2006). Almanaque do samba: a história do samba, o que ouvir, o que ler, onde curtir. Jorge Zahar Editor. p. 50. ISBN 978-85-7110-897-4.