Concepción del Uruguay

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Concepción del Uruguay
Bandeira de Concepción del Uruguay
Bandeira
Coordenadas 32° 29' 04" S 58° 14' 13" O
País Argentina
Província Entre Ríos
Departamento Uruguay
Fundação 25 de junho de 1783 (236 anos)
Fundador Tomás de Rocamora
Administração
- Presidente municipal Marcelo Fabián Bisogni (PJ)
Área
- Total 192 km²
População  [1]
 - Total 73,824
    • Densidade 0,4 hab./km²
Website www.cdeluruguay.gov.ar
Sítio turístico www.concepcionturismo.gov.ar

Concepción del Uruguay, muitas vezes chamada em sua região apenas de Uruguay, é uma localidade argentina a leste da província de Entre Ríos, no departamento de Uruguay, à margem ocidental do rio Uruguai. Segundo o censo de 2001, conta com 64.954 habitantes. O gentílico é uruguayense ou concepcionero. Foi a primeira capital da província de Entre Ríos, e ali nasceram Justo José de Urquiza, Ricardo López Jordán e Francisco Ramirez, figuras da história da Argentina. É popularmente conhecida como La Histórica.

Foi fundada em 25 de junho de 1753 por Tomás Rocamora, sobre um solar que fora um antigo assentamento de índios minuanos, charruas, mboanes e yaros, às margens de um arroio conhecido como Arroyo de la China. O povoado ficou conhecido com o nome Arroyo de la China até o século XIX. Atualmente, este nome é apenas o do bairro mais próximo da povoação original.

No final do século XIX, havia a presença de um grupo de imigrantes residente na cidade, sobretudo franceses, que se estabeleceram naquelas paragens tão vazias como era o pampa argentino. Atualmente, a cidade conserva vários edifícios históricos, entre os quais a Casa de Delio Panizza, e o Colegio Superior (que abriga museus de ciências naturais e história).

Toponímia[editar | editar código-fonte]

A palavra Uruguay provém do guarani, mas o significado dele não foi definido por consenso. Alguns argumentam que se refere a um pequeno pássaro chamado uru que mora na região. Outros argumentam que a palavra é dividida em Uruguá que significa caracol, e i que significa rio. A versão mais aceita é a que traduz o termo como o rio dos pássaros. A outra parte do nome da cidade refere-se ao dogma católicos da Dia da Imaculada Conceição da Virgem Maria.

A cidade é muitas vezes apelidada de A histórica, já que tem no seu passado, alguns dos eventos mais significativos da vida da província. Também conhecida como a Capital entrerriana da Cultura. A região encurtou o seu nome, sendo chamada de Uruguay pelos os seus moradores, também é chamada de Conceição, embora esta forma é menos comum. Outra forma de se referir à cidade é através da suas iniciais, "CdelU" ou "cedelu". O gentilicio é uruguayense, também usado mais com menor aceitação, concepcionero.

Hino[editar | editar código-fonte]

'Hino a Concepción del Uruguay.'

Letra e música de Os irmãos Cuestas

Concepción del Uruguay
é a terra do amor
é a terra prometida
Que Deus iluminou.

Como um pilar da pátria
sob um céu cardeal
se levanta com história
Concepción del Uruguay.

A beija um rio de trinos
a amorna um grande arenal
e na costa assoviadora
a lua sai a sonhar.

Concepción del Uruguay
é crista federal
O seu nome sabe a glória
de Uquiza meu General.

O arroio da China
romance de paz e amor
Pancho Ramirez, a vida
a Delfina ofereceu.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Perto do ano 1778 se estabeleceu na região uma população chamada de Arroyo de la China (a mesma não tinha fundação), localizada ao norte do córrego homônimo e está localizada no que hoje são os bairros Poerto Viejo e La Concepción, no sul da cidade. No mesmo ano, a primeira capela foi erguida em um local que seria usado mais tarde como um cemitério.

Fundação[editar | editar código-fonte]

Em 25 de junho de 1783, encomendado pelo vice-rei do Rio da Prata Juan José de Vértiz y Salcedo Thomas Rocamora fundou a ''Villa de Nuestra Señora de la Inmaculada Concepción del Uruguay'', levantando o primeiro Cabildo no norte da população existente, o que actualmente é o centro administrativo e comercial da cidade.

Há discussões sobre o nome completo da cidade, há algumas versões que afirmam que se limita simplesmente a Concepción del Uruguay.

Epicentro da cena provincial[editar | editar código-fonte]

Em 1810, consciente do movimento que tinha acontecido em Buenos Aires, a cidade foi um das primeiras a aderir à causa da Revolução de Maio.

Em 28 de março 1814 foi a Batalha de Arroyo de la China, quando um esquadrão de realistas ao mando de Jacinto Romarate derrotou uma força comandada pelo Capitão Thomas Nother .

Antigo mapa do Protetorado de Artigas e da Liga Federal (1813-1820).

Em 1814, o Diretor Supremo Gervasio Antonio de Posadas, fazendo uso de poderes extraordinários que lhe foram outorgados pela Assembleia Constituinte, declarou a Concepción del Uruguay capital da província de Entre Rios, no momento da sua criação. Em 29 de junho de 1815 o General José Gervasio Artigas convocou o primeiro congresso independente, que foi celebrado na cidade com o nome de Congresso do Oriente. O mesmo tinha como propósito a declaração da independência das províncias que formavam a liga Federal e a adoção da bandeira criada por Belgrano acrescentando a divisa punzó - listra diagonal da cor vermelha simbolizando o federalismo.

Também foi decidido não comparecer ao Congresso de Tucumán a ser realizado no ano próximo, em sinal de protesto contra o directorio (Unitario) por fomentar a Invasão Luso-Brasileira à Banda Oriental e por agressões a deputados federais.

Em 19 de maio 1818, a vila foi tomada de surpresa e saqueada pelas forças Portuguesas, um evento conhecido como a Surpresa Arroyo de la China.

Em 1 de fevereiro de 1820 o General Francisco Ramírez, aliado com o governador de Santa Fe Estanislao López, comandou o exército federal que derrotou José Rondeau na Batalha de Cepeda, assinando logo após o Tratado de Pilar. Mais tarde, Ramirez afastou-se de López e no 29 de setembro do mesmo ano, proclamou a República de Entre Rios, que também incluía as atuais províncias de Corrientes e Missões (em parte), sendo a capital Concepción del Uruguay. No entanto, a vida desta república seria efêmera, já que se dissolveria logo depois da morte de Ramirez ocorrida em 10 de julho de 1821.

Em 1826 o General Justo José de Urquiza, em seu papel como deputado, ele promoveu a lei que deu o status de cidade a Concepción del Uruguay.

Em 1843 tropas da Província de Corrientes lideradas pelo general Joaquín Madariaga fariam o desembarque com o frustrado fim de tomar a cidade.

Foto do século XIX, o Colégio do Uruguai, é possível apreciar o seu telhado original.

Em 1848 Urquiza, e como governador de Entre Ríos, criou na cidade o Colégio do Uruguai, o primeiro no país de caráter laico.

Em 1851 ocorreu, ao pé da pirâmide central da Praça General Francisco Ramirez, a Pronunciamento de Urquiza contra Juan Manuel de Rosas, um ato que conduz à Batalha de Caseros em 3 de fevereiro de 1852, na qual foi o vencedor Urquiza e abriu o caminho para a promulgação da Constituição no ano seguinte.

A Convenção Provincial reunida na cidade em 1860 para sancionar a Constituição Provincial a declararia capital provincial novamente, função que teria até o ano do centenário, 1883, quando a capital foi definitivamente transferida para a cidade de Paraná.

Em 1 de janeiro de 1873, o município foi formalmente criado. Também nesse ano, durante o auge do Normalismo Domingo Faustino Sarmiento criou na cidade a segunda Escola Normal da cidade, após da Paraná e a primeira de mulheres.

No final do século XIX e início do século XX[editar | editar código-fonte]

Em 30 de junho de 1887, foi habilitada a conexão ferroviária através da linha que após fora integrada no Ferrocarril General Urquiza com as cidades de Paraná, Nogoyá e Rosario del Tala. Também nesse ano reformou-se o porto, que em 1910 atingiria sua melhor época a partir de ser a sua alfândega uma das más importantes do país.

O desenvolvimento industrial[editar | editar código-fonte]

Ao longo do século XX, a cidade continuou tendo importância no nível cultural e económico, contribuindo na industrialização em curso no país e se estabelecendo ali importantes indústrias.

Em 1994 celebrou-se no Palácio San José, o juramento da Reforma Constitucional.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

A cidade está localizada nas coordenadas 32° 29′ 04″ S, 58° 14′ 13″ O, situada no Arroio Molino e o riacho Itapé, ambos afluentes do Rio Uruguai.

De acordo com a Lei Provincial n º 5149 de 25 de julho de 1972, a raio local ou espaço urbano limita-se da seguinte forma: ao norte, pela coordenada 14 do paralelo 32º24' sul do Equador, a partir do Rio Uruguai até o arroio Molino e pelo talvegue até a coordenada 72º58' oeste de Greenwich; ao oeste, pela coordenada do Arroio Molino ate o arroio El Tala pelo sul; e ao sul, pelo arroio El Tala até sua foz.

A urbe, foi delimitada em 5 de novembro de 1958 pela ordenança nº 1842, tendo como limites: ao norte, arroio Curro; ao sul, arroio da China, ao leste, arroio Molino e o riacho Itapé; e ao oeste, rua 35 del oeste. Ao longo dos anos a cidade cresceu, o que provocou a expansão para além dos limites acima referidos.

Como pode ser visto, os limites são determinados principalmente por meio de cursos hidrográficos para a cidade e para o Departamento Uruguai.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população total da cidade em 2001 era de 64.954 habitantes (Censo INDEC), dos quais 51,7% são mulheres e um 48,3% homens. A população de 2007 é estimado em 75 mil habitantes aproximadamente.

A etnia da população mudou ao longo do tempo. Uma mistura de indígena guarani e espanhóis na sua origem até uma mistura de imigrantes principalmente europeus e constituem a maioria. Os imigrantes vieram de Espanha, Itália, França, Alemanha, o ex-Jugoslávia, países Árabes e outras nacionalidades. A imigração judaica tem sido muito importante cerca de um século atrás, a maioria Ashkenazi é da Europa Oriental.

Dadas as características geográficas da zona urbana e suas limitações derivadas de rios e córregos, especialmente no leste e sul da cidade, tem crescido bastante desigual. A maior concentração populacional ocorre no centro administrativo, que inclui os bairros ao redor e perto da Praça General Francisco Ramírez, ao passo que a concentração diminui à medida que a cidade posiciona se para o oeste, a principal direção de expansão atual.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Universidades[editar | editar código-fonte]

Prédio da Reitoria da UNER.

A cidade possui quatro universidades, três dos quais são de gestão pública (duas nacionais e provinciais) e uma de gestão privada. Elas somam dez faculdades. Duas dessas instituições têm na cidade a sede da sua reitoria.

Universidade de Concepción del Uruguay (UCU)

  • Faculdade de Ciências Econômicas
  • Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
  • Faculdade de Ciências Agrárias
  • Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais
  • Faculdade de Ciências da Comunicação e da Educação

Universidade Tecnológica Nacional (UTN)

Universidade Nacional de Entre Ríos (UNER)

  • Reitorado
  • Faculdade de Ciências da Saúde

Universidad Autónoma de Entre Ríos ( UADER)

  • Faculdade de Ciências Humanas, Letras e Ciências Sociais
  • Faculdade de Ciência e Tecnologia
  • Faculdade de Ciências de Gestão

Outras Instituições de ensino superior[editar | editar código-fonte]

Além do nível universitário que oferece, Concepción del Uruguay tem instituições de níevl superior como o Instituto de Formação Docente Carolina Tobar Garcia .

Nível médio[editar | editar código-fonte]

Entre os muitos estabelecimentos que existem na cidade incluem Colegio Superior del Uruguay Justo José de Urquiza, primeiro no país de caráter laico, a Escuela Normal Superior en Línguas Vivas Mariano Moreno, em segundo lugar no país e as Escolas de Ensino Técnico nº1 Ana Urquiza Victorica e nº 2 Francisco Ramirez.

Economia[editar | editar código-fonte]

Porto[editar | editar código-fonte]

O porto é considerado um dos maiores do país. Permite a operação de navios e embarcações fluviais e ultramarinos, alguns de grande porte. Tem sido tradicionalmente um porto de exportação de cereais e oleaginosas, más também a madeira. Possui um cais para a descarga de combustível.

As instalações portuárias, tem um elevador terminal com capacidade de armazenamento de 30.000 toneladas e 1.200 t de carga / hora. Seis (6) armazéns de 2.200 m² cada e uma capacidade de armazenamento total de 24.000 t. Possui uma área de 170.000 m², com sua extensão de cerca de 1.550 metros por 125 metros de largura aproximadamente, e pode- se amarrar ao longo do mesmo vários navios ultramarinos e cabotagem, ao mesmo tempo.

Locais de amarração: tem 23 cais no total, 13 para cargas em geral, 4 para produtos refrigerados, 5 graneleiros e 1 para descarga de combustível.

Existe também uma zona "franca". A Zona Franca de Concepción del Uruguay foi criada em 1910 pela Lei nº 8.092 e regulamentada, 82 anos mais tarde, pelo Poder Executivo Nacional por meio dos Decretos nº 1935/92 e nº 2409/93. A de Entre Ríos é uma Zona Comercial, de Serviços e Industrial para a exportação. O terreno da zona franca abrange uma área de 111 hectares que estão localizados perto da interseção das rodovias Nacional Nº 14 e Provincial N° 39, margeando o Parque Industrial de Concepción del Uruguay.

Indústria[editar | editar código-fonte]

Destaca-se como actividade industrial à frigorificação de aves, com três plantas de abate e de processamento de aves emprega mais de 2.500 pessoas só na vila. A maioria da produção é para exportação. A agroindústria é importante porque tem arrozeiras, moinhos de farinha, fábricas de processamento e outros óleos vegetais. A indústria da madeira, da carroçaria e a metalurgia também são notáveis. A cidade tem um parque industrial nos arredores da mesma com instalações adequadas para o estabelecimento de grandes fábricas.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Museus[editar | editar código-fonte]

  • Museu Casa de Delio Panizza: Casa colonial do 1793, desde menino morou ali o caudilho Francisco "Pancho" Ramirez, o último morador da mesma foi o Dr. Delio Panizza, um importante coleccionador. Na sua morte, a casa se ​​tornou um museu. Mantém em suas salas coleções de móveis, armas, quadros, prataria e peças importantes pelo o seu valor histórico. Hoje é Monumento Histórico Nacional.
  • Museu Andrés García: Originalmente foi chamado de Museu Entrerriano, obra do coleccionador Andrés García, são exibidas em suas salas coleções de louças, leques, itens arqueológicos, imagens religiosas, prataria e peças de interesse pelo seu valor histórico. É Museu Municipal e desde 2004 ocupa a sua nova sede em "La Casa de Urquiza".
  • Museu da Riveira foi inaugurado em 2005 no antigo edifício da Alfândega, a fim de preservar a rica história do porto. Lá pode-se ver peças e fotografias do antigo Ministério e a alfândega na sala de exposições.
  • Sala Evocativa Malvinas - Daniel Francisco Sirtori: centro de ex-conscritos combatentes das ilhas Malvinas.
  • Museu Provincial de Desenho e Gravura “Artemio Alisio”
  • Museu Arte Maya “Yax Kuauhtemallan”
  • Museo Histórico Evocativo do Colégio do Uruguay
  • Galería/Atelier "La Folie"
  • Galeria/Atelier "Novo Salón de Arte "

Mercado de Arte "3 de Fevereiro"[editar | editar código-fonte]

Espaço cultural inaugurado junto ao "Associação Protetores do Mercado", composto por artesãos e artistas da cidade e estrangeiros, entre os quais destaca-se o ebanista cubano, premiado internacionalmente Erbium Leonel Díaz. No salão você pode encontrar de tudo, desde artesanato de diversas técnicas até um estudo de TV e rádio, um laboratório de fotografia e uma sala onde estão protegidos objetos evocativos do edifício original.

Arte e espetáculos[editar | editar código-fonte]

A cidade de Concepción del Uruguay, é uma das poucas cidades com uma orquestra municipal de tango (reconhecida internacionalmente). Esta cidade tem cinemas e teatros.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Rádios AM[editar | editar código-fonte]

A única rádio de Amplitude modulada de Concepción del Uruguay é LT11 Radio General Francisco Ramírez que irradia seus programas na frequência de 1560 kHz. Esta emissora pertence ao Estado Nacional.

Rádios FM[editar | editar código-fonte]

Existem vários rádios de Frequência modulada em Concepción del Uruguay. As que tem destaque são:

  • FM Bom Anuncio 95.7 MHz: Pertence à Diocese de Gualeguaychú.
  • FM Areias: que pertence a LT11
  • FM Sensações: que conta com duas frequências. Numa retransmite Radio Mitre e na outra A 100
  • FM Animal 100.7 MHz
  • Rádio Franca
  • Rádio 9
  • Rádio Total

Jornais[editar | editar código-fonte]

Entre os jornais da Cidade têm destaque:

Televisão[editar | editar código-fonte]

O único canal de televisão, dedicado às notícias locais é o "Canal 2 de Cablevision." Também possui 3 canais de televisão (Canal 9, que retransmite o sinal do Canal 7 da Argentina, Canal 9 Justo José de Urquiza "Paraná", que produz sua própria programação e retransmite o sinal do canal 13 ARTEAR. E o Canal 5 Local propriedade da empresa VTS SA. Ramiro Nieto: televisão que produz programação local e retransmissão da sinal do canal educativo Encontro)

Transportes[editar | editar código-fonte]

Estação Rodoviária[editar | editar código-fonte]

A cidade tem uma Rodoviária que ocupa um quarteirão inteiro entre as ruas Galarza, Rocamora, Scelzi e BV. Constituintes.

Antigamente junto com a rodoviária funcionava o ex-Hotel Francisco Ramírez (Atualmente Abandonado). O prédio do hotel era uma torre de cerca de 4 andares, tinha uma sala de jantar no piso térreo, que agora funciona o Guardia Urbana.

No futuro, uma nova rodoviária será construída em substituição a esta, pela estrada velha a San Justo (Futura nova entrada para a cidade) e Bv. Uncal.

Trens[editar | editar código-fonte]

Durante o governo peronista de Carlos Menem, os ramos de Entre Rios, foram abandonados. Em 2002, o governador Sergio Montiel recondiciona e põe em marcha os primeiros ramais da província. A partir de março de 2010, o trem voltou a treinar Concepción del Uruguay e Paraná através de 24 localidades em Entre Rios.[2] O serviço tem duas frequências semanais.

Em 19 de dezembro 2009 realizou um teste de condução na estação ferroviária da cidade, na presença do prefeito Marcelo Bisogni e o governador da província de Sergio Urribarri. Foi a primeira vez em 18 anos que o trem passara novamente em Concepción del Uruguay [3]

Pessoas com destaque nascidas em Concepción del Uruguay[editar | editar código-fonte]

Referências