Coninae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaConinae
Vista superior de uma concha de Conus geographus, uma das seis espécies de moluscos Conidae (ex Coninae) potencialmente perigosas ao homem na região do Indo-Pacífico.[1] Esta é particularmente considerada a mais venenosa das 500 espécies de Conidae conhecidas, e várias mortes humanas lhes foram atribuídas. Seu veneno, uma mistura complexa de centenas de diferentes toxinas, é liberado por um dente (pertencente à sua rádula) parecido com um arpão, impulsionado por uma probóscide extensível.[2]
Vista superior de uma concha de Conus geographus, uma das seis espécies de moluscos Conidae (ex Coninae) potencialmente perigosas ao homem na região do Indo-Pacífico.[1] Esta é particularmente considerada a mais venenosa das 500 espécies de Conidae conhecidas, e várias mortes humanas lhes foram atribuídas. Seu veneno, uma mistura complexa de centenas de diferentes toxinas, é liberado por um dente (pertencente à sua rádula) parecido com um arpão, impulsionado por uma probóscide extensível.[2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Caenogastropoda
Ordem: clade Hypsogastropoda
clade Neogastropoda
Superfamília: Conoidea
Família: Conidae
Subfamília: Coninae
Fleming, 1822
Sinónimos
Conidae

Coninae foi uma subfamília de gastrópodes pertencente a família Conidae, agora uma classificação desnecessária (BOUCHET)[3]; mais recentemente (fevereiro de 2015) representada como uma família, Conidae, nomeados caramujos com conchas de cone; um grupo taxonômico de pequenos a grandes moluscos marinhos predadores da superfamília Conoidea.

São animais predadores sofisticados, caçando e imobilizando suas presas através de um dente radular modificado e uma glândula de veneno contendo neurotoxinas; lançado para fora da região de sua boca em uma ação semelhante a um disparo de arpão; sendo lançado em menos de 250 milissegundos, invisível ao olho humano.

A tradicional taxonomia dos caramujos com conchas de cone, que prevaleceu por mais de 100 anos, colocou todas as espécies do gênero Conus dentro da família Conidae. Em 2009, uma taxonomia proposta por Tucker & Tenorio agrupou estes caramujos em cinco famílias e 115 gêneros. Em 2014 (ePUB; 5 de setembro), foi lançado um artigo "One, four or 100 genera? A new classification of the cone snails" (Puillandre, Duda, Meyer, Olivera & Bouchet) que revisou o grupo novamente, desta vez de maneira muito mais simples, baseada em análises filogenéticas moleculares (Sequenciamento de DNA) de 329 espécies, em quatro gêneros: Conus, Conasprella, Profundiconus e Californiconus.[4][5]

Referências

  1. a b LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 83-84. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  2. «Geography Cone» (em inglês). National Geographic. 1 páginas. Consultado em 12 de novembro de 2018 
  3. «Coninae» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 12 de novembro de 2018 
  4. Puillandre, N.; Duda,T. F.; Meyer, C.; Olivera, B. M.; Bouchet, P. (5 de setembro de 2014). «One, four or 100 genera? A new classification of the cone snails» (em inglês). Journal of Molluscan Studies 81(1), fevereiro de 2015; ePUB (US National Library of Medicine; National Institutes of Health Search database: NCBI). 1 páginas. Consultado em 12 de novembro de 2018 
  5. «What is "coninae"» (em inglês). Word finder. 1 páginas. Consultado em 12 de novembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre gastrópodes, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.