Conquista de Santarém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Conquista de Santarém (1147)
Reconquista
Conquista de Santarém.JPG
Data 15 de março de 1147 (870 anos)
Local Santarém,  Portugal
Desfecho
  • Vitória portuguesa
Beligerantes
PortugueseFlag1143.svg Reino de Portugal Flag of Morocco 1073 1147.svg Império Almorávida
Comandantes
PortugueseFlag1143.svg Afonso Henriques Flag of Morocco 1073 1147.svg Auzary
(governador de Santarém)
Forças
250 cavaleiros Desconhecido
Baixas
Desconhecidas Muito elevadas

A Conquista de Santarém teve lugar no dia 15 de março de 1147, durante a Reconquista, quando as tropas do Reino de Portugal, sob a liderança de Afonso I de Portugal capturaram a cidade Santarém, que estava sob ocupação moura.

Preparação[editar | editar código-fonte]

A 10 de março 1147, D. Afonso Henriques partiu de Coimbra com 250 de seus melhores cavaleiros com a intenção de capturar a cidade moura de Santarém, um objectivo que ele tinha anteriormente e que não conseguira alcançar. A conquista de Santarém foi de importância vital para a estratégia da Afonso; sua posse significaria o fim dos ataques mouros frequentes sobre Coimbra e Leiria, e também permitiria um ataque futuro em Lisboa.

O plano agora era atacar a cidade durante a noite sob o manto da escuridão, com o fim de apanhar a guarnição moura de surpresa. O rei Afonso tinha enviado previamente o português Mem Ramires de Santarém disfarçado como um homem de negócios, com a tarefa de estudar secretamente o cidade para a conquista.

Após o primeiro dia da viagem de Coimbra para Santarém, D. Afonso Henriques enviou um emissário a Santarém anunciando aos mouros que a trégua terminara, para a qual foi requerida uma notificação de três dias.

Queda de Santarém[editar | editar código-fonte]

Na noite de 14 de março, D. Afonso Henriques e seu exército chegam a Santarém. Com a ajuda de escadas, quarenta e cinco cavaleiros escalam as paredes, matam os sentinelas mouros e forçam o seu caminho para o portão, permitindo que o principal exército português entre na cidade. Acordados pelos gritos dos seus sentinelas, os mouros correram por todos os lados para enfrentar os portugueses nas ruas oferecendo-lhes uma resistência muito forte, mas acabaram sendo derrotados e por sofrer uma grande derrota.

Pela manhã, a conquista já tinha sido concluída, e Santarém tornou-se parte do reino recém-formado de Portugal.

Resultado[editar | editar código-fonte]

Estátua de D. Afonso Henriques no castelo de Santarém, na (Porta do Sol).

Depois da conquista de Santarém, D. Afonso Henriques voltou a sua atenção para a cidade moura importante de Lisboa, que ele iria conquistar em outubro, com a ajuda de uma frota cruzado da Segunda Cruzada, que parou em Portugal, enquanto se dirigiam para a Terra Santa.