Conservapedia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Conservapedia
Logotipo da Conservapedia
Tipo de sítio
Proprietário(s) Andrew Schlafly
Fundador(es) Colaboradores voluntários
Requer pagamento? Não
Cadastro Opcional (necessário para editar páginas)
Idioma(s) Inglês
Lançamento 21 de novembro de 2006; há 16 anos
Posição no Alexa 72 709 ()
Endereço eletrônico conservapedia.com
Estado atual Ativo
Fundador da Conservapedia Andrew Schlafly em 2007

Conservapedia é um projeto de um sítio da web em formato wiki com o objetivo de construir uma enciclopédia com artigos pró-estadunidenses, socialmente conservadores e com conservadorismo cristão. O projeto foi criado por Andrew Schlafly, filho da ativista conservadora Phyllis Schlafly. Segundo eles, a enciclopédia foi criada como uma resposta ao que consideram uma polarização anticristã e antiamericana nos artigos da Wikipédia, em especial a anglófona.[1] De acordo com notícias recentes sobre o sítio, a Conservapedia se originou de um projeto de crianças ensinadas por homeschooling (ensino doméstico), com muitos dos artigos criados por jovens como parte da tarefa escolar.[2]

Além do papel de enciclopédia, a Conservapedia também é usada pela organização de Andrew Schlafly chamada Eagle Forum. Material de vários cursos onlines, por exemplo, de história dos Estados Unidos, podem ser encontradas na enciclopédia.[3][4][5] A "Eagle Forum University" é associada com o Eagle Forum, de Phyllis Schlafly.[3] Andrew Schlafly afirmou que espera que o sítio se torne uma fonte geral para professores estadunidenses.[2]

O website ganhou popularidade graças às matérias dos jornais The Guardian e New York Times, que dedicaram artigos inteiros à enciclopédia. Desde então, o número de usuários "cresceu de maneira meteórica", como diz o dono do sítio. Segundo ele, o sítio recebe mais visitas que a página de Rush Limbaugh,[6] um polêmico comentarista estadunidense.[7]

Conservapedia e Wikipédia[editar | editar código-fonte]

A Conservapedia desaprova o que ela chama de "aversão institucional" na Wikipédia quanto ao não uso de escrituras cristãs e doutrina como objetivo de fontes confiáveis para tópicos fora do campo de teologia cristã. A Wikipédia tem uma política de "ponto de vista neutro", incompatível com a intenção "a favor do cristianismo e dos Estados Unidos", como afirmado pela Conservapedia.

A Conservapedia considera polarizado o tratamento da Wikipédia em relação à evolução biológica (no artigo da versão em inglês), alegando que "a maioria dos americanos rejeitam a teoria da evolução".[8] A Conservapedia considera também a prática da Wikipédia de utilizar as notações "CE/BCE" e "AD/BC", para datas e as variantes inglês britânico e inglês americano "anti-cristã" e "anti-americana", respectivamente.[9][10] Em uma entrevista de Março de 2007 no jornal The Guardian, Schlafly afirmou, "Eu experimentei a Wikipédia, e os editores polarizados que dominam tentam censurar ou mudar os fatos para adaptar às suas opiniões. Em uma ocasião as minhas edições factuais foram removidas em 60 segundos — então editar a Wikipédia não é mais uma opção viável."[2] Em 7 de Março, Andy Schlafly foi entrevistado no programa matinal Today programme da BBC Radio 4.

Schlafly levantou várias questões: que o artigo sobre o renascimento não dá nenhum crédito ao cristianismo, que muitos artigos da Wikipédia usam ortografia não-americana apesar da maioria dos usuários serem norte-americanos, que o artigo sobre as atividades Americanas nas Filipinas tem um ponto de vista antiamericano, e que tentativas de incluir visões pró-cristãs e pró-americanas são removidas muito rapidamente.[11] Conservapedia disse também que a "Wikipédia é seis vezes mais liberal que o resto do público americano."[12] Schlafly indicou que a Conservapedia não adotou o que ele considera "as regras de copyright complexas da Wikipédia," ainda dizendo que a Conservapedia "reserva o direito de objeção sobre a cópia de materiais,"[13]

O co-fundador da Wikipédia Jimmy Wales afirmou que ele não tem nenhuma objeção ao projeto.[14] "A cultura livre não tem limites," ele disse.[2]

Críticas e vandalismo[editar | editar código-fonte]

O projeto Conservapedia sofreu uma série de críticas por imprecisões factuais[15] e relativismo factual[16] A Conservapedia também foi comparada ao CreationWiki, um wiki escrito sob uma perspectiva chamada "creation science".[17] Críticos, como o escritor conservador Andrew Sullivan, o "blogueiro" conservador Jon Swift,[18] o escritor científico Carl Zimmer, e outros, criticaram e ironizaram o website Conservapedia por imprecisão factual, extremismo, hipocrisia, polarização e ignorar o consenso científico em assuntos como o Big Bang e a teoria da evolução, colocando em seu lugar, exegese bíblica.[17][19][20]

Vários exemplos disseminados de artigos da que contradizem o consenso científico incluem a afirmação de que todos os cangurus descendem de um único par, levado na Arca de Noé; que "o trabalho de Einstein não tinha nada a ver com o desenvolvimento de uma bomba atômica" e que a gravidade e evolução são teorias que continuam sem provas.[2][9][16][17][21][22][23] Uma entrada sobre o "Pacific Northwest Arboreal Octopus" recebeu atenção particular, pois segundo Schlafly, a página seria uma paródia sobre o ambientalismo.[17][24] No entanto, em 4 de março de 2007, a página foi eliminada.[24] Outros artigos ofensivos desde então foram revisados para incluir menos frases do tipo que atraem a atenção da blogosfera.[25] Tom Flanagan, um professor conservador de ciências políticas na Universidade de Calgary argumentou que a Conservapedia é mais voltada para religião que conservadorismo e que é "muito mais culpada do crime que estão atribuindo à Wikipédia".[26] O projeto também foi criticado por promover uma dicotomia entre conservadorismo e liberalismo e por promover a noção de que "frequentemente há duas interpretações iguais e válidas dos fatos."[16]

GFDL[editar | editar código-fonte]

O projeto atualmente não está licenciado sob a licença GFDL ou outra copyleft similar e isso levou a algumas preocupações.[26] De acordo com Wales, as pessoas que contribuem para a Conservapedia "estão dando controle total do conteúdo, o que pode dar em resultados não agradáveis." Schlafly respondeu afirmando que apesar de a Conservapedia não ter decidido ainda em uma política formal de direitos de autor, "Nós incentivamos o re-uso de nosso material em uma maneira similar à da Wikipédia."

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Rival da "Wikipédia" gera polêmica nos Estados Unidos». ANSA. Consultado em 18 de janeiro de 2022 [ligação inativa] 
  2. a b c d e Johnson, Bobbie (1 de março de 2007). «Conservapedia — the US religious right's answer to Wikipedia». The Guardian 
  3. a b «Conservapedia: christlich-konservative Alternative zu Wikipedia». Heise Online (em alemão). 2 de março de 2007 
  4. American History Lecture One Acessado em 05/03/2007
  5. «Eagle Forum University». Eagle Forum University. 2007. Consultado em 2 de março de 2007. Arquivado do original em 7 de março de 2007 
  6. Histórico da Página principal - Conservapedia
  7. Norte-americano lança "Conservapedia", a Wikipedia conservadora Arquivado em 29 de setembro de 2007, no Wayback Machine. iParaiba
  8. «Examples of Bias in Wikipedia» [Exemplos de viés na Wikipédia]. Conservapedia (em inglês). Consultado em 18 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2021 
  9. a b Thomson, Iain. (2007). "Conservapedia takes on Wikipedia 'bias'" Arquivado em 15 de janeiro de 2009, no Wayback Machine.. Information World Review, 28 de fevereiro.
  10. Lewis, Shelley. (2007). "Introducing "Conservapedia" — Battling Wikipedia's War on Christians, Patriots". Huffington Post, 23 de fevereiro.
  11. «Today show». BBC radio. 7 de Março de 2007. Consultado em 7 de março de 2007 
  12. Mackey, Rob (8 de março de 2007). «Conservapedia: The Word Says It All». New York Times. Consultado em 9 de março de 2007 
  13. Conservapedia. (2007). User talk:Aschlafly, February 4 version.
  14. Biever, Celeste. (2007). "A conservative rival for Wikipedia?"New Scientist, 26 de fevereiro.
  15. Read, Brock. (2007). "A Wikipedia for the Right Wing" Arquivado em 30 de setembro de 2007, no Wayback Machine. Chronicle of Higher Education, 2 de março.
  16. a b c Clarke, Conor (1 de março de 2007). «A fact of one's own» [Um fato só seu]. The Guardian (em inglês). Consultado em 18 de janeiro de 2022. Arquivado do original em 4 de março de 2007 
  17. a b c d Calore, Michael. (2007). "What Would Jesus Wiki?"Wired, 28 de fevereiro.
  18. Swift, Jon. (2007). "Conservapedia"
  19. Zimmer, Carl. (2007). "Sources, sources" Arquivado em 20 de abril de 2008, no Wayback Machine., The Loom 21 de fevereiro.
  20. Sullivan, Andrew. (2007). "Conservapedia?"The Atlantic Online, 24 de fevereiro.
  21. Conservapedia. (2007). "Kangaroo". Versão de 23 de fereveiro.
  22. Conservapedia. (2007). "Theory of Relativity". Versão de 22 de fereveiro.
  23. Conservapedia. (2007). "Sir Isaac Newton". Versão de 21 de fereveiro.
  24. a b Conservapedia. (2007). "Pacific Northwest Arboreal Octopus" Arquivado em 4 de março de 2007, no Wayback Machine.. Acessado em 2 de Março de 2007.
  25. Gray, Tim (3 de abril de 2007). «Conservapedia: Far Righter Than Wikipedia» (em inglês). TechNewsWorld. Consultado em 15 de abril de 2009 
  26. a b Chung, Andrew (11 de março de 2007). «A U.S. conservative wants to set Wikipedia right». The Star 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Conservapedia:
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata