Rush Limbaugh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rush Limbaugh
Nome completo Rush Hudson Limbaugh III
Nascimento 12 de janeiro de 1951
Cape Girardeau, Missouri
Morte 17 de fevereiro de 2021 (70 anos)
Palm Beach, Flórida
Nacionalidade norte-americano
Fortuna US$ 600 milhões (2021)[1]
Alma mater Southeast Missouri State University (incompleto)
Ocupação radialista, comentarista, autor
Serviço militar
Condecorações Medalha Presidencial da Liberdade
Página oficial
rushlimbaugh.com

Rush Hudson Limbaugh III (Cape Girardeau, 12 de janeiro de 1951Palm Beach, 17 de fevereiro de 2021)[2] foi um radialista, autor, ativista político, conspiracionista e comentarista conservador norte-americano. Ele apresentava o programa The Rush Limbaugh Show. De acordo com uma estimativa feita em dezembro de 2015 pela Talkers Magazine, Rush Limbaugh teria uma audiência semanal acumulada em seu programa de rádio de aproximadamente 13,25 milhões de ouvintes únicos (que ouviram o seu programa ao menos por 5 minutos consecutivos), o que coloca o seu programa de rádio, de estilo talk show, entre os de maior audiência em todo os Estados Unidos.[3][4]

Desde os 16 anos, Limbaugh trabalhou em uma série de trabalhos esporádicos como DJ. O seu talk show no rádio aos moldes atuais teve início em 1984 em Sacramento, California, na estação de rádio KFBK (AM), em que apresentava o seu formato de programa tipicamente contínuo, com comentários políticos e chamadas para participação dos ouvintes.

Finalmente, em 1988, Limbaugh começou a apresentar o seu programa nacionalmente a partir da rádio WABC (AM) sediada em Nova York, e em 2014 o seu programa então passou a ser transmitido pela rádio WOR (AM).

Na década de 1990, Limbaugh publicou os livros The Way Things Ought to Be (1992) e See, I Told You So (1993) que foram incluídos na lista dos best seller da The New York Times. Nas suas publicações e no seu programa, Limbaugh frequentemente criticava políticas de cunho liberal (de esquerda) e a própria classe política como um todo, bem como o que ele considera como o viés liberal que segundo ele predomina na mídia mainstream norte-americana. Limbaugh esteve entre as pessoas mais bem pagas nos EUA no ramo midiático, sendo que somente em 2008 assinou um contrato de oito anos com a sua emissora cujo valor foi de aproximadamente US$400 milhões. O sucesso acumulado ao longo dos anos trouxe novamente prestígio às estações de rádio AM nos EUA.[5] Em 2015, a Forbes totalizou os seus ganhos em US$79 milhões ao longo dos últimos 12 mês daquela data, e o ranqueou como a 11ª celebridade mais bem paga do mundo.[6] No seu mais recente contrato, assinado em 31 de julho de 2016, ficou acordado que ele transmitiria o seu programa de rádio até 2020, data em que completará 32 anos no ar.[7]

Limbaugh possuia visões que muitos associam a extrema-direita e ao conservadorismo americano. Já expressou publicamente vários opiniões controversas sobre raça,[8] assuntos LGBT,[9] feminismo,[10] e consentimento sexual.[11] Ele nega que mudança climática seja verdadeira[12] e apoiou diversas ações militares americanas no Oriente Médio. Foi um assíduo republicano e fervoroso defensor do ex presidente Donald Trump.[13] Limbaugh, um proponente da ideia de excepcionalismo americano, frequentemente criticava políticos que ele acreditava rejeitar essa noção, vendo-os como antipatrióticos ou anti-americanos.[14]

Morte[editar | editar código-fonte]

Limbaugh morreu em 17 de fevereiro de 2021 devido a um câncer de pulmão.[15]

Referências

  1. «Rush Limbaugh Net Worth». Consultado em 17 de fevereiro de 2021 
  2. Flood, Brian (12 de fevereiro de 2021). «Rush Limbaugh, conservative talk radio pioneer, dead at 70». Fox News (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2021 
  3. Wheeler, Brian (5 de março de 2012). «Can Limbaugh survive advertiser boycott?». BBC News Magazine. Consultado em 18 de março de 2012 
  4. «The Top Talk Radio Audiences». Talkers Magazine. 2011. Arquivado do original em 24 de setembro de 2011 
  5. Hilary Lewis (2 de julho de 2008). «Rush Limbaugh Gets $400 Million To Rant Through 2016». Business Insider. Consultado em 10 de setembro de 2017. Arquivado do original em 27 de outubro de 2012 
  6. «The World's Highest-Paid Celebrities». Forbes. 15 de novembro de 2015 
  7. «Rush Limbaugh renews talk radio contract». money.cnn.com. 2 de agosto de 2016 
  8. «McNabb's performance: A Rush to judgment?». ESPN.com (em inglês). 1 de outubro de 2003. Consultado em 6 de fevereiro de 2020 
  9. Cirilli, Kevin (7 de janeiro de 2013). «Rush ties pedophilia, gay marriage». Politico (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2021 
  10. Suddath, Claire (4 de março de 2009). «Breaking News, Analysis, Politics, Blogs, News Photos, Video, Tech Reviews». Time (em inglês). ISSN 0040-781X. Consultado em 6 de fevereiro de 2020 
  11. Mazza, Ed (13 de outubro de 2016). «Rush Limbaugh Mocks Sexual Consent: 'Here Come The Rape Police'». HuffPost (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2021 
  12. «Scientists' response to Rush Limbaugh's climate denial: 'utter nonsense'». Politifact (em inglês). Consultado em 6 de fevereiro de 2020 
  13. Haberman, Maggie (14 de dezembro de 2015). «Rush Limbaugh Stands in Ted Cruz's Corner After Attacks by Donald Trump». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 1 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2018 
  14. «An Explanation of American Exceptionalism for Vladimir Putin and Barack Obama». The Rush Limbaugh Show (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2019 
  15. Rico, Klaritza (17 de fevereiro de 2021). «Rush Limbaugh, Right-Wing Radio Host, Dies at 70». Variety (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rush Limbaugh
Ícone de esboço Este artigo sobre um radialista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.