Rádio AM

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mudanças na ionosfera após o pôr-do-sol podem aumentar significativamente o alcance das estações, se nenhuma medida for tomada por quem transmite para impedir isto.

Rádio AM é o processo de transmissão através do rádio usando Modulação em Amplitude. É transmitido em várias bandas de freqüência. Foi por oitenta anos o principal método de transmissão via rádio. Caracterizado pelo longo alcance dos sinais, a freqüência AM está sujeita a interferências de outras fontes eletromagnéticas.[1][2][3][4]

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras transmissões utilizando a freqüência iniciaram-se em 1906 por Reginald Fessenden. Até a Primeira Guerra Mundial era utilizada para transmissão de músicas e recados diversos. A situação modificou-se com o surgimento das rádios comerciais, que deram início à era de ouro do rádio, que foi da década de 20 até os anos 50.

No Brasil as primeiras transmissões AM surgiram com a emissora de Roquette-Pinto, que em 1923 fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. Em 1936 a rádio transformou-se em Rádio Ministério da Educação, que propaga o ensino à distância. Hoje, essa emissora se chama MEC AM, e pertence à EBC (antiga Radiobrás)

As frequências AM foram fundamentais na vida do brasileiro em meados do século XX. As rádios de longo alcance, como a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, a Super Rádio Tupi e a Rádio Record, que atingiam quase 100% do território nacional ajudaram a propagar os times cariocas e paulistas de futebol por todo o Brasil. Recentemente, diversas rádios AM passaram a transmitir sua programação também em FM.

Migração de rádio do AM para o FM no Brasil[editar | editar código-fonte]

Com o problema de interferências[5] nos grandes centros urbanos e a produção cada vez menor de aparelhos com recepção de sinal AM, em 2013 o governo federal começou a estudar a possibilidade de migração dessas estações para os atuais canais 5 e 6 de TV analógica, isso será possível assim que o sinal de televisão digital for implantado em todo o território nacional até 28 de novembro de 2018, com isso as estações de rádio passarão a ocupar a faixa de frequência adjacente à das rádios FM. Projetos similares já deram certo em países como os Estados Unidos e México. [6] Em 7 de novembro de 2013, foi assinado o decreto que permite a migração às emissoras de rádio que operam na faixa AM migrarem para a faixa FM.[7]

A Rádio Progresso de Juazeiro do Norte, foi a primeira emissora a fazer a migração do AM para o FM no país. A solenidade que marcou a mudança de faixa ocorreu sexta-feira dia, 18 de março de 2016, às 20h30, na sede da emissora, e contou com a participação do ministro das Comunicações, André Figueiredo.[8] Segundo o portal tudoradio.com, até Setembro de 2018, cerca de 467 ( 26%) das 1.777 emissoras AM ( 1.781 menos 04 AMS do Grupo Globo, desligadas em 01/09/2018[9]) já haviam concluído o processo de migração para FM, E que, segundo o Ministro das Comunicações Gilberto Kassab, é uma meta do ministério realizar a canalização do FM estendido (76 MHz a 88 MHz, faixa que será utilizada por cerca de 614 AMs nos grandes centros) até o final de sua gestão, ou seja, até o final deste ano..[10][11]. No dia, 22/08/2018, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações divulgou em seu site que Até o momento, mais de 1,6 mil solicitaram a mudança, e 1,1 mil já concluíram a migração.[12]

Bandas de frequências[editar | editar código-fonte]

  • Ondas curtas - 2.3 MHz–26.1 MHz,(2300 kHz-26100 kHz) divididas em quinze bandas, apresentam longo alcance, atigindo milhares de KM porém entre média, alta e baixa qualidade em analógico. Atualmente as ondas curtas estão sendo digitalizadas em vários paises com o DRM. [13][14]
  • Ondas médias - 525 kHz–1705 kHz, possuindo médio alcance.[15]
  • Ondas longas - 153 kHz–279 kHz, não disponível no hemisfério oeste, é usado para transmissões na Europa, África, Oceania e parte da Ásia.
  • Onda tropical - 2300 kHz-5060 kHz de 120-90-75-60 metros, utilizada entre os trópicos, esta banda possui longo alcance, razoável qualidade de sinal.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mundo da Rádio
  2. História da Rádio
  3. Modulação AM FM
  4. Rádio
  5. Rádios AM vão migrar para FM para por fim em interferências e ruídos
  6. Rádios AM poderão migrar para a faixa FM, aponta estudo
  7. Emissoras de rádio AM são autorizadas a transmitir em FM
  8. Presidente da Anatel participa da migração da rádio AM começa em março de 2016
  9. «tudoradio.com - Rádio News - Exclusivo: AMs do Sistema Globo de Rádio serão desligadas em setembro. Apenas a 1100 AM segue no ar». tudoradio.com. Consultado em 22 de agosto de 2018. 
  10. «O Rádio: Migração das AMs - Levantamento no FM». Consultado em 4 de abril de 2018..  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. «tudoradio.com - Rádio News - 28º Congresso | Abertura conta com meta para o FM estendido e balanço das últimas conquistas do rádio». tudoradio.com. Consultado em 23 de agosto de 2018. 
  12. «MCTIC anuncia redução do prazo para análise de autorização das retransmissoras». www.mctic.gov.br. Consultado em 23 de agosto de 2018. 
  13. «Gideões Missionários da Última Hora compra Transmissor de Rádio! | Rádio Voz Missionária». www.radiovozmissionaria.com.br. Consultado em 11 de março de 2016. 
  14. «Rádio e Negócios » Consórcio DRM analisa Brasil e Índia, e elege brasileiro para conselho diretor». radioenegocios.com.br. Consultado em 11 de março de 2016. 
  15. Regulamento Técnico para a Prestação do Serviço de Radiodifusão Sonora em Onda Média e em Onda Tropical, http://legislacao.anatel.gov.br/resolucoes/14-1999/290-resolucao-116
Ícone de esboço Este artigo sobre telecomunicações é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.