Cornel Wilde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cornel Wilde
Cornel Wilde em cena do trailer de The Greatest Show on Earth de 1952
Nome completo Kornél Lajos Weisz
Nascimento 13 de outubro de 1912
Prievidza, Hungria
Nacionalidade  Hungria
Morte 16 de outubro de 1989 (77 anos)
Los Angeles, Califórnia
Ocupação Ator, diretor
Atividade 1936-1987
Cônjuge Patricia Knight (1937–1951 divorciado) 1 filha

Jean Wallace (1951–1981 divorciado) 1 filho

IMDb: (inglês)

Cornel Wilde (Prievidza, Hungria, 13 de Outubro de 1912 - Los Angeles, 16 de Outubro de 1989) foi um ator húngaro-americano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de mãe tcheco-eslovaca e pai húngaro, Cornelius Wilde Junior fez o curso pré-médico no College of Physicians and Surgeons, na Universidade de Columbia. Antes de sua estréia no cinema em 1940, ele estudou pintura em Budapeste, foi vendedor das lojas Macy's em Nova Iorque e jornalista.

Em 1936, estreou como ator de teatro na produção de Laurence Olivier, Romeu e Julieta. Teve sua grande oportunidade no cinema em 1945, quando a Columbia o escolheu para interpretar Chopin em " À noite sonhamos", do diretor Charles Vidor, filme com que atingiu o estrelato e foi indicado ao Oscar de melhor ator.[nota 1]

Fez vários sucessos pela 20th Century Fox, mas entre 1951 e 1956 sua carreira foi bastante instável. Ele decidiu, então, em 1956, fundar sua própria produtora, a Theodora Productions, onde dirigiu mais de dez filmes, sendo o último deles, "O tesouro dos tubarões", em 1975.

Cornel faleceu vítima de leucemia, no Hospital Cedars Sinal, em Los Angeles, em 16 de outubro de 1989. Foi sepultado no Westwood Memorial Park, Los Angeles, Califórnia no Estados Unidos.[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. O Oscar de 1945 foi ganho por Ray Milland pela interpretação do escritor alcoólatra Don Birmam no filme Farrapo Humano
  2. Considerado como um dos mais curiosos filmes da história do cinema, conta o drama de um personagem despido e desarmado, que participava de um safari africano, ao fugir de um bando de guerreiros nativos determinados a matá-lo

Referências

Bibliografia
  • ARAÚJO, Gil (1990). «Cornel Wilde - In Memoriam». Rio de Janeiro: EBAL. Cinemin (60)