Dízima periódica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Uma dízima periódica é um número que quando escrito no sistema decimal apresenta uma série infinita de algarismos decimais que, a partir de um certo algarismo, se repetem em grupos de um ou mais algarismos, ordenados sempre na mesma disposição e chamados de período[1].

Dízima periódica simples[editar | editar código-fonte]

Numa dízima periódica simples, o período aparece imediatamente após a vírgula[1] (a parte decimal do número).

Exemplos:

  • 0,444444…
  • 0,5125125125…
  • 0,68686868…
  • 0,354235423542..
  • 5,73737373...

Dízima periódica composta[editar | editar código-fonte]

Na dízima periódica composta, pode haver uma parte inteira e há um ou mais algarismos entre a vírgula e o período, que não entram na composição do período[1], (que denominamos de antiperíodo[2]).

Exemplos:

  • 0,799…
  • 0,58444444…
  • 0,15262626…
  • 2,34222222...

Exemplos e notação[editar | editar código-fonte]

A repetição normalmente é representada pelo sinal de reticências:









Outra notação utilizada é a de pôr um traço sobre o período:









Fração geratriz de uma dízima periódica simples[editar | editar código-fonte]

Toda dízima periódica representa um número racional[1], isto é justificado de forma construtiva, ou seja, encontrando a fração que dá origem à dízima.

Exemplo[editar | editar código-fonte]

1. Seja a dízima . Observamos a repetição do termo 53 formado por dois algarismos, tomamos então o número [1]:


Fizemos isto (multiplicamos ambos membros da equação por 10) para mover a parte não periódica da dízima (o algarismo 2) para antes da vírgula.

2. Agora, multiplicamos novamente a expressão por um múltiplo de 10, desta vez tomando como referência a quantidade de algarismos que formam o período. No caso, são dois algarismos que formam o período (5 e 3), portanto, multiplicamos a expressão por 100 (a quantidade de zeros equivale à quantidade de algarismos do período):

3. Se subtrairmos de temos:



Assim, concluímos que

O raciocínio acima mostra como eliminar a dízima periódica de um número e transformá-lo em fração.

Outro método mais elaborado para calcularem-se frações geratrizes é por meio de progressões geométricas e a soma de infinitos termos.

A geratriz de uma dízima periódica composta é a fração cujo numerador é composto pela parte inteira, o antiperíodo, juntamente do período representando-os como número inteiro e diminuido do antiperíodo e cujo denominador é formado por tantos "noves" quantos forem os algarismos do período, juntamente com a quantidade de zeros que representa a quantidade de algarismos do antiperíodo[3].

Ex.: Achar a geratriz de:

0,14275275275...

Antiperíodo=14: número de algarismos = 2 (00) Período = 275: número de algarismos = 3 (999)

Se fizermos , dará

,

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e João José Luiz Vianna, Elementos de Arithmetica, capítulo IV. Texto disponível no wikisource
  2. «Fração geratriz - Matemática - UOL Educação». educacao.uol.com.br. Consultado em 2015-07-15. 
  3. «Fração geratriz - Matemática - UOL Educação». educacao.uol.com.br. Consultado em 2015-07-15.