Desespero (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Отчаяние (Otchayanie)
Desespero
Autor (es) Vladimir Nabokov
Idioma Língua russa
País  Alemanha
Género Romance
Editora Sovremennye Zapiski Publishing House
Lançamento 2003
Páginas 1934
Edição portuguesa
Tradução Manuela Madureira
Editora Presença
Lançamento 1991
Páginas 175
ISBN 972-23-1374-6
Edição brasileira
Editora Record
Lançamento 1975

Desespero (em inglês 'Despair'; em russo Отчаяние) é um livro de Vladimir Nabokov, publicado originalmente como série em 1934 e como livro em 1936, tendo sido traduzido para o inglês pelo próprio autor em 1937. Nabokov fez a segunda revisão de sua tradução no ano de 1965.

Sumário do enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O narrador e o protagonista da história, Hermann Karlovich, um empresário imigrado russo, conhece um vagabundo na cidade de Praga, o qual ele acredita ser seu doppelgänger (dobro). Embora Felix, o suposto doppelgänger, não esteja ciente desta similaridade entre os dois, Hermann insiste que a semelhança é muito notável. Hermann é casado com Lydia, uma esposa às vezes tola e desatenta (segunda ele mesmo), que tem um primo chamado Ardalion. Ocasionalmente é insinuado que eles são de fato amantes, embora isso seja duvidoso, uma vez que Hermann ressalta como Lydia o ama. Ardalion, por sua vez, é um péssimo artista e não consegue admitir isso. Depois de algum tempo, Hermann expõe a Felix seu plano de tirar lucro da semelhança deles, fazendo com que Felix finja brevemente ser Hermann. Porém, após ser disfarçado, Felix é morto por Hermann, a fim de obter o dinheiro do seguro em seu nome no dia 9 de março. Hermann considera seu presumidamente perfeito assassinato mais uma expressão artística do que um trama para enriquecer. Contudo, é revelado que nunca houve qualquer semelhança entre os dois homens, e a polícia captura Hermann escondido em um pequeno hotel na França. Hermann, que estivera narrando a história, muda sua narração para o modo de diário bem no final, um pouco antes de sua captura. A última entrada é o dia 1 de abril.

Ver também[editar | editar código-fonte]