Dia Internacional da Língua Materna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dia Internacional da Língua Materna
Shaheed Minar (Monumento ao Mártir) comemora a demonstração do Movimento da Língua Bengali em 21 de fevereiro de 1952
Tipo Internacional
Data 21 de fevereiro
Significado Promove a preservação e proteção de todos os idiomas
Frequência Anual

O Dia Internacional da Língua Materna é uma comemoração mundial anual realizada em 21 de fevereiro para promover a conscientização sobre a diversidade linguística e cultural e para promover o multilinguismo. Anunciado pela primeira vez pela UNESCO em 17 de novembro de 1999,[1] foi formalmente reconhecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas com a adoção da resolução 56/262[2] da ONU em 2002. O Dia da Língua Materna faz parte de uma iniciativa mais ampla "para promover o preservação e proteção de todas as línguas usadas pelos povos do mundo", conforme adotado pela Assembleia Geral da ONU em 16 de maio de 2007 na resolução 61/266 da ONU,[3] que também estabeleceu 2008 como o Ano Internacional das Línguas.[4][5][6] A ideia de comemorar o Dia Internacional da Língua Materna foi iniciativa de Bangladesh. Em Bangladesh, 21 de fevereiro é o aniversário do dia em que o povo de Bangladesh (então Paquistão Oriental) lutou pelo reconhecimento da língua bangla.[7] Também é comemorado em West Bengal, Índia.

História[editar | editar código-fonte]

Marcha da procissão realizada a 21 de fevereiro de 1952 em Dhaka

O dia 21 de fevereiro foi declarado o Dia Internacional da Língua Materna pela UNESCO em 1999. Tem sido celebrado em todo o mundo desde 21 de fevereiro de 2000. A declaração foi feita em homenagem ao Movimento da Língua feito pelos bangladeshianos (então paquistaneses orientais).

Quando o Paquistão foi criado em 1947, ele tinha duas partes geograficamente separadas: Paquistão Oriental (atualmente conhecido como Bangladesh) e Paquistão Ocidental (atualmente conhecido como Paquistão). As duas partes eram muito diferentes entre si no sentido de cultura, idioma, etc. As duas partes também eram separadas pela Índia.

Em 1948, o então governo do Paquistão declarou o urdu como a única língua nacional do Paquistão, embora o bengali ou bangla fosse falado pela maioria das pessoas que combinavam o Paquistão Oriental (agora Bangladesh) e o Paquistão Ocidental (agora Paquistão). O povo do Paquistão Oriental protestou, já que a maioria da população era do Paquistão Oriental e sua língua materna era o bangla. Eles exigiam que o bangla fosse pelo menos uma das línguas nacionais, além do urdu. A demanda foi levantada primeiro por Dhirendranath Datta do Paquistão Oriental em 23 de fevereiro de 1948, na Assembleia constituinte do Paquistão.

Para demolir o protesto, o governo do Paquistão proibiu reuniões públicas e comícios. Os estudantes da Universidade de Dhaka, com o apoio do público em geral, organizaram grandes comícios e reuniões. Em 21 de fevereiro de 1952, a polícia abriu fogo contra comícios. Salam, Barkat, Rafiq, Jabbar e Shafiur morreram, com centenas de outros feridos. Este é um incidente raro na história, onde as pessoas sacrificaram suas vidas por sua língua materna.

Desde então, os bangladeshianos comemoram o Dia Internacional da Língua Materna como um de seus dias trágicos. Eles visitam o Shaheed Minar, um monumento construído em memória dos mártires e suas réplicas para expressar sua profunda tristeza, respeito e gratidão a eles.

O Dia Internacional da Língua Materna é um feriado nacional em Bangladesh. A resolução foi sugerida por Rafiqul Islam e Abdus Salam, bengalis que vivem em Vancouver, Canadá. Eles escreveram uma carta a Kofi Annan em 9 de janeiro de 1998 pedindo-lhe que tomasse um passo para salvar as línguas do mundo da extinção, declarando um Dia Internacional da Língua Materna. Rafiq propôs a data para 21 de fevereiro para comemorar os assassinatos de 1952 em Dhaka durante o Movimento da Língua.

As línguas são os instrumentos mais poderosos para preservar e desenvolver nosso patrimônio tangível e intangível. Todos os movimentos para promover a disseminação das línguas maternas servirão não apenas para encorajar a diversidade linguística e a educação multilíngue, mas também para desenvolver uma consciência mais plena das tradições linguísticas e culturais em todo o mundo e para inspirar a solidariedade baseada na compreensão, tolerância e diálogo. -  Do microsite do Dia Internacional da Língua Materna das Nações Unidas[8]

A proposta de Rafiqul Islam foi apresentada no parlamento de Bangladesh e no devido tempo (a pedido da primeira-ministra Sheikh Hasina ) uma proposta formal foi apresentada à UNESCO pelo governo de Bangladesh. O processo de acompanhamento da proposta por meio do sistema regulatório da UNESCO foi conduzido por Syed Muazzem Ali, então embaixador de Bangladesh na França e Representante Permanente da UNESCO, e Tozammel Tony Huq, seu antecessor, que era então conselheiro especial do secretário-geral da UNESCO, Federico Mayor. Finalmente, em 17 de novembro de 1999, a 30ª Assembleia Geral da UNESCO decidiu por unanimidade que "21 de fevereiro seja proclamado Dia Internacional da Língua Materna em todo o mundo para comemorar os mártires que sacrificaram suas vidas neste mesmo dia em 1952".[9]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «The General Conference proclaim"International Mother Language Day" to be observed on 21 February». unesdoc.unesco.org. 16 de novembro de 1999. Consultado em 21 de abril de 2019 
  2. «A/RES/56/262 - E - A/RES/56/262 -Desktop». undocs.org. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  3. «A/RES/61/266 - E - A/RES/61/266 -Desktop». undocs.org. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  4. «International Mother Language Day, 21 February». www.un.org (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2019 
  5. Ingles. Cuerpo de Maestros. Temario Para la Preparacion de Oposiciones .e-book,. [S.l.]: MAD-Eduforma. pp. 97–. ISBN 978-84-665-6253-9 
  6. Rahim, Abdur (19 de setembro de 2014). Canadian Immigration and South Asian Immigrants. [S.l.]: Xlibris Corporation. pp. 102–. ISBN 978-1-4990-5874-1 
  7. «International Mother Language Day Celebration». Consultado em 12 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2019 
  8. «International Mother Language Day». www.un.org. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  9. Roger Gwynn, Tony: the Life of Tozammel Huq MBE , Acre Press, 2019