Paquistão Ocidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Dominion of West Pakistan
Domínio do Paquistão Ocidental

Domínio da Comunidade das Nações

Flag of Pakistan.svg
1947 – 1970 Flag of Pakistan.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Hino nacional
God Save The Queen


Localização de Paquistão Ocidental
Continente Ásia
Capital Lahore
Língua oficial urdu, inglês
Governo monarquia
Rainha do Paquistão
 • 1956-1970 Elizabeth II
História
 • 14 de Agosto de 1947 Fundação do Paquistão Ocidental
 • 1º de Julho de 1970 República da República Islâmica do Paquistão
Moeda Rupia Paquistanesa
Membro de: Commonwealth, ONU

Paquistão Ocidental (em urdu: مغربی پاکستان, Mag̱ẖribī Pākistān; em bengali: পশ্চিম পাকিস্তান, Pôśchim Pākistān) foi o nome dado, a princípio informalmente e, entre 1955 e 1970, oficialmente, a um dos dois exclaves criados em 1947, após a Partição da Índia, quando da formação do moderno estado do Paquistão. Ambos - Paquistão Ocidental e Paquistão Oriental - eram separados pelo norte da Índia.[1]

Ambos faziam parte da Índia Britânica até a independência paquistanesa, em 1947, quando se iniciaram as grandes partições da Índia colonial e a criação dos novos estados internos e do Paquistão independente. A identidade sócio-linguística foi um dos fatores mais importantes no estabelecimento de regiões administrativas distintas ao fim do período colonial.

História[editar | editar código-fonte]

O Paquistão Ocidental foi criado em 14 de outubro de 1955, mediante a fusão de várias províncias, estados e zonas tribais indianas. Compunha-se de doze divisões, e sua capital se estabeleceu em Lahore. A província indiana de Bengala Oriental passou a se chamar Paquistão Oriental, com capital em Dhaka. Em 1959, o governo federal se transferiu de Karachi para Rawalpindi - capital provisória, até que a construção da nova capital, Islamabad, fosse concluída -, enquanto o poder legislativo federal foi transferido para Dhaka.

As províncias do Paquistão Ocidental formaram um aparente bloco homogêneo, porém havia profundas diferenças linguísticas e étnicas. Aplicou-se uma política de uma só unidade (One Unit), visando implementar uma reforma administrativa destinada a reduzir os gastos da província. Entretanto, com o golpe militar de 1958, apoiado pelos Estados Unidos, os problemas se avolumaram, quando o cargo de chefe de governo foi abolido, e o Presidente passou a responder pelo poder executivo do Paquistão Ocidental.

O Paquistão Ocidental era politicamente dominante. O Paquistão Oriental, apesar de ter mais da metade da população, tivera um número desproporcionalmente menor de assentos na Assembleia Constituinte. A esse desequilíbrio na representação e à distância entre os dois exclaves atribuía-se a demora na adoção da nova constituição do país. Para reduzir as diferenças entre as duas regiões, o governo decidiu reorganizar o território em duas províncias distintas, conforme a política denominada One Unit, anunciada pelo Primeiro-ministro Chaudhry Muhammad Ali, em 22 de novembro de 1954.

Em 1970, o Presidente da República, General Yahya Khan, promoveu uma série de reformas territoriais, constitucionais e militares, estabelecendo as assembleias provinciais, o parlamento e as fronteiras de quatro províncias. Em 1º de julho de 1970, a política de One Unit foi extinta, e o Paquistão Ocidental foi renomeado, passando a se chamar simplesmente "Paquistão".[1] As reformas não tiveram efeito no Paquistão Oriental, que manteve a posição geográfica estabelecida em 1955.[1]

Localização: Paquistão Ocidental e Paquistão Oriental

Nas eleições gerais de dezembro de 1970, a Liga Popular de Bangladesh (Liga Awami), de centro-esquerda, liderada pelo xeque Mujibur Rahman, obteve esmagadora maioria no parlamento (incluindo 167 dos 169 assentos no Paquistão Oriental. A Liga reivindicou maior autonomia para o Paquistão Oriental, mas o governo militar não permitiu que Rahman formasse um governo. Mas, em março, sua casa havia se tornado, de facto, a sede do governo no Paquistão Oriental. No início da Guerra de Libertação de Bangladesh, Mujibur Rahman foi preso em sua casa, por soldados paquistaneses. Em 25 de março de 1971, o Paquistão Ocidental começou uma guerra civil para anular a vitória democrática dos paquistaneses orientais. Assim iniciou-se o confronto entre o exército paquistanês e a guerrilha do movimento de resistência Mukti Bahini. Em 10 de abril de 1971, quando da formação do Governo Provisório de Bangladesh, Rahman foi nomeado Presidente e chefe das forças armadas de Bangladesh.[2]

A crise dos refugiados resultante da guerra levou à intervenção da Índia e, posteriormente, à rendição do exército do Paquistão. O Paquistão Oriental, depois de sofrer um verdadeiro genocídio de sua população bengali, converteu-se finalmente no estado independente de Bangladesh, no dia 16 de dezembro de 1971.

Referências

  1. a b c Story of Pakistan. «West Pakistan Established as One Unit [1955]». Story of Pakistan. Story of Pakistan, West Pakistan 
  2. Harun-or-Rashid (2012). «Rahman, Bangabandhu Sheikh Mujibur». In: Islam, Sirajul; Jamal, Ahmed A. Banglapedia: National Encyclopedia of Bangladesh Second ed. [S.l.]: Asiatic Society of Bangladesh 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Paquistão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.