Dimítrios Kiusópoulos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dimitrios Kiusópulos
Período 11 de Outubro de 1952

até 19 de Novembro de 1952

Antecessor(a) Nikolaos Plastíras
Sucessor(a) Alexandros Papagós
Dados pessoais
Nascimento 1892
Morte 1977
linkWP:PPO#Grécia

Dimitrios Kiusópulos (em grego: Δημήτριος Κιουσόπουλος; n. 1892 - f. 1977) foi um político da Grécia.[1] Ocupou o cargo de primeiro-ministro da Grécia de 11 de Outubro de 1952 até 19 de Novembro de 1952.[1][2]

Ele começou uma carreira jurídica de sucesso em 1917. Após a Segunda Guerra Mundial, ele foi um promotor público fortemente envolvido na expulsão de muçulmanos de ascendência albanesa; muitos dos quais foram colaboradores entusiastas das potências do Eixo ocupantes; do norte da Grécia, sentenciando 178 à morte, 370 à prisão perpétua e cerca de 1.950 à morte à revelia. Ele se tornou procurador do Supremo Tribunal (Areios Pagos) de 1950 a 1961. Quando Nikolaos Plastiras foi eleito para fora do cargo, Kiousopoulos se tornou o primeiro-ministro interino da Grécia por 39 dias, de 11 de outubro a 19 de novembro de 1952, quando o general Aléxandros Papágo o partido grego Rally obteve uma grande vitória.[1] Ele é uma das 17 pessoas que serviram por menos de 40 dias como primeiro-ministro, e o único a fazê-lo na década de 1950. Kiousopoulos morreu em 20 de janeiro de 1977 em Atenas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Δημήτριος Κιουσόπουλος» Dimitrios Kiousopoulos. San Simera (em grego). Consultado em 17 de maio de 2021 
  2. «Timeline of Prime Ministers of Greece (1828-Apr 2019)». Wedaneus (em inglês). 24 de abril de 2019. Consultado em 17 de maio de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.