Discussão:John Locke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Correções na sua biografia[editar código-fonte]

"Participou da Revolução Inglesa, em 1688." - Locke não participou diretamente

Idéias sobre Deus[editar código-fonte]

Ali colocou o homem que formara. Então o Senhor fez nascer do solo todo tipo de árvores agradáveis aos olhos e boas para alimento. E no meio do jardim estavam a árvore da vida e a árvore de conhecimento do bem e do mal. A Lei que devia governar Adão era a mesma que tinha de governa-lhe toda a posteridade: a lei do grau da liberdade. Tal se aplica a todas as leis sob as quais um homem vive, sejam naturais ou civis. Está um homem sob a lei da natureza? O que o liberta dessa lei? A própria liberdade. Mas se, em virtude de defeitos que podem ocorrer no curso ordinário da natureza, uma pessoa qualquer atinge o grau da razão. O que importa simplesmente no dever que Deus e a natureza impuseram ao homem é preservar a honra e a dignidade.

O texto acima não faz muito sentido. Não cita suas referências, parece ser um trecho de um trabalho. Não possui caráter enciclopédico. Retirei da página e coloco aqui para discussão. --Editor br (discussão) 16h23min de 5 de Dezembro de 2008 (UTC)

Magistrado civil[editar código-fonte]

Seção sobre magistrado civil precisa de revisão. --Editor br (discussão) 16h23min de 5 de Dezembro de 2008 (UTC)

Remoção do texto sobre magistrado civil: cópia de CARTA ACERCA DA TOLERÂNCIA. Texto removido abaixo. Editor br (discussão) 02h14min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

É dever do magistrado civil, determinando imparcialmente leis uniformes, preservar a assegurar para o povo em geral e para cada súdito em particular a posse justa dessas coisas que pertencem a esta vida. Se alguém pretende violar tais leis, opondo-se à justiça e ao direito, tal pretensão deve ser reprimida pelo medo do castigo, que consiste na privação ou diminuição dos bens civis que de outro modo podia e devia usufruir. Mas vendo que ninguém se permite voluntariamente ser despojado de qualquer parte dos bens, muito menos a a liberdade ou da vida, o magistrado reveste-se de força, ou seja, com toda a força dos súditos, a fim de punir os que infringiram quaisquer direitos de outros homens.

Mas que toda jurisdição do magistrado diz respeito somente a esses bens civis, que todo o direito e o domínio do poder civil se limita unicamente a fiscalizar e melhorar esses bens civis, e que não deve e não pode ser de modo alguns estendido à salvação das almas.

A concepção de Locke para idéia consiste na recordação de tempo sensível. Elas podem ser idéias simples, de reflexão, de sensação ou de reflexão e sensação ao mesmo tempo. A primeira entra na nossa mente por um único sentido, a segunda deriva de uma reflexão, a terceira transporta-se à mente por mais de um sentido e a quarta são sugeridas a mente por todos os meios de sensação e reflexão.

Defesa da Escravidão[editar código-fonte]

"Entretanto pode-se perceber uma correlação entre aqueles que no passado defendiam a liberdade de possuir escravos, contra a turbação do direito de propriedade decorrente da intervenção estatal por meio de leis abolicionistas, e aqueles que hoje defendem a plena liberdade no contrato de trabalho, contra o intervencionismo estatal das leis trabalhistas."

Me parece que, essa passagem, para poder estar presente em uma enciclopédia, deveria trazer ao menos uma citação sobre quem percebe essa correlação. Não parece haver uma clara e lógica correlação entre defender a plena liberdade, no que quer que seja, com defender que um homem tenha o direito de ter outro homem como sua propriedade privada. --Rodm67 (discussão) 14h54min de 9 de abril de 2012 (UTC)

Seção “defesa da escravidão”[editar código-fonte]

Mais um caso absurdo de violação WP:PESO na wikipedia lusófona, dessa vez atingindo um dos grandes pensadores da história. Esse tipo de fanfic é um desserviço para a wikipt, uma vez que em nenhuma outra wiki existe essa seção – totalmente artificial e tendenciosa. Encontrei na wiki francesa uma (pequena) seção, com o nome “a questão da escravidão”, o que difere muito de uma DEFESA, como foi nomeada aqui. E isso foi feito em um artigo muito extenso, onde centenas de ideias do filósofo são abordadas com o devido WP:PESO sendo a questão é tratada de maneira que ela realmente é; marginal.

Mais uma vez eu digo: ninguém vai mudar os fatos pela wiki, no máximo irá rebaixar a qualidade do projeto. Sds ƑelipeO'Couto 15h48min de 6 de junho de 2017 (UTC)

Faz algum tempo que não acompanho essa página. Parece-me que a seção, atualmente, está muito favorável à Locke, encontrei algumas fontes para debate:1, 2 e 3.--Raimundo57br (discussão) 17h29min de 6 de junho de 2017 (UTC)
O problema não é ser favorável ou desfavorável, mas o peso indevido na vasta biografia do autor. A partir do momento que uma marginalidade dessa virou seção de destaque obviamente haverá uma disputa de edições parciais. Isso ilustra a mentalidade de alguns editores lusófonos, se preocupar com opiniões e pequenices em detrimento a uma biografia de importância colossal. ƑelipeO'Couto 18h13min de 6 de junho de 2017 (UTC)
A seção não é marginal, ficou demonstrado que é recorrente a crítica à defesa do escravismo por Locke. Atualmente, o problema é que o texto da seção parece ser escrito por alguém que procurar endeusar o biografado--Raimundo57br (discussão) 18h22min de 6 de junho de 2017 (UTC)

Agora ficou mais neutro.--Raimundo57br (discussão) 18h44min de 6 de junho de 2017 (UTC)

@Raimundo57br: A questão é marginal. O parâmetro não é “haver críticas recorrentes”, e sim a importância desse fato/opinião na biografia do pensador. Tomemos como exemplo o verbete (destacado) em alemão, que menciona o assunto de passagem, sem tópico próprio ¹ ao passo que o inglês também não dedica nenhuma seção especial ao assunto. ² Vale observar que esses artigos têm, respectivamente 27 e 22 seções, ou seja, uma subseção sobre o assunto seria muito mais cabível. Agora vamos analisar o verbete lusófono: 10 seções (ruins) e 3 parágrafos sobre a escravidão. Quanto parágrafos dedicados à sua Magnum opus, responsável por drásticas mudanças no percurso da civilização ocidental? 1 ou 2. Ora, não me entenda mal; eu não sou fã do John Locke, só estou mostrando o espírito que domina grande parte da wikipedia lusófona, onde opiniões destacadas de contexto, época e afins ocupam um lugar incabível nos verbetes. É um misto de militância com futilidade. Sds ƑelipeO'Couto 18h37min de 6 de junho de 2017 (UTC)
  1. Porque a existência de críticas recorrentes não é parâmetro?
  2. Claro que o fato é polêmico e portanto importante para avaliar as ideias do biografado.
  3. Os artigos em outras wikis são omissos, e, portanto, precisam ser melhorados--Raimundo57br (discussão) 18h46min de 6 de junho de 2017 (UTC)
Eu não vou mencionar a época em que o autor endossava a escravidão, seria inútil. Basta constatar que o artigo lusófono não passa de uma versão mal traduzida desses artigos mencionados, e ainda conta com erros de português e WP:PESO indevido. Não serve como fonte de trabalho ginasial. ƑelipeO'Couto 18h50min de 6 de junho de 2017 (UTC)
Tente melhorar as outras seções sem excluir informação útil.--Raimundo57br (discussão) 18h52min de 6 de junho de 2017 (UTC)
Pode deixar, em breve melhorarei o verbete atribuindo o devido WP:PESO à questão. Sds ƑelipeO'Couto 19h03min de 6 de junho de 2017 (UTC)
Espero apenas que não reduza a qualidade do acesso à informação.--Raimundo57br (discussão) 19h15min de 6 de junho de 2017 (UTC)

Não se trata de fanfic, mas sim uma constatação de críticos ao pensamento dele. Isso é citado inclusive na wiki-en. É verdade que é um anacronismo comparar a época com os dias de hoje, mas para alguém que defendia o pensamento liberal de liberdade, é um contrassenso apoiar a escravidão, justificá-la filosoficamente e contribuir para uma constituição escravista. Não sou que estou dizendo, mas os críticos. Mas concordo que o artigo precisa dar uma melhorada. Comuna de Paris (discussão) 04h02min de 20 de setembro de 2017 (UTC)

@Comuna de Paris: Locke não procura justificar a escravidão, que àquela altura era prática aceita em praticamente toda sociedade. Locke propôs mais direito aos escravos e alguns mecanismos de reação (ver. Segundo tratado sobre o governo civil) colaborando inclusive com a futura libertação. Essa descontextualização histórica é uma barreira para a seriedade do projeto. 2804:14D:78D3:4AD8:1D52:D978:58DF:BFC3 (discussão) 00h27min de 1 de janeiro de 2018 (UTC)
As fontes disponíveis sobre o assunto dizem o contrário.--Raimundo57br (discussão) 13h15min de 1 de janeiro de 2018 (UTC)