Discussão:Transumanismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nova Ortografia da Língua Portuguesa[editar código-fonte]

"O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi estabelecido pelo Decreto nº 6.583, de 29 de setembro de 2008. A implementação do Acordo obedecerá ao período de transição de 1o de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012, durante o qual coexistirão a norma ortográfica atualmente em vigor e a nova norma estabelecida."

Entendo que segundo a nova ortografia da língua portuguesa, que deverá ser adotada por entrar em vigor como definitiva a partir de 2013, o termo deve ser trans-humanismo.

"Base XVI: Do hífen nas formações por prefixação, recomposição e sufixação
"1º) Nas formações com prefixos (como, por exemplo: ante-, anti-, circum-, co-, contra-, entre-, extra-, hiper-, infra-, intra-, pós-, pré-, pró-, sobre-, sub-, super-, supra-, ultra-, etc.) e em formações por recomposição, isto é, com elementos não autônomos ou falsos prefixos, de origem grega e latina (tais como: aero-, agro-, arqui-, auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter-, macro-, maxi-, micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto-, pseudo-, retro-, semi-, tele-, etc.), só se emprega o hífen nos seguintes casos:
"a) Nas formações em que o segundo elemento começa por h: anti-higiénico/anti-higiênico, circum-hospitalar, co-herdeiro, contraharmónico/contra-harmônico, extra-humano, pré-história, sub-hepático, super-homem, ultra-hiperbólico; arqui-hipérbole, eletro-higrómetro, geo-história, neo-helénico/neo-helênico, pan-helenismo, semihospitalar.
"Obs.: Não se usa, no entanto, o hífen em formações que contêm em geral os prefixos des- e in- e nas quais o segundo elemento perdeu o h inicial: desumano, desumidificar, inábil, inumano, etc. "

(Fonte: http://www.buscatematica.net/legislacao/acordo-ortografico-4.htm ). Visto que não se trata da exceção dada pelos prefixos des- e in-, mas sim do prefixo trans-, de origem latina, e que o segundo elemento (humanismo) não perdeu o h inicial (pois ainda é uma palavra rara e nova, cuja ortografia é debatida, e cuja forma transhumanismo é a mais comum), parece claro que segundo a nova ortografia da língua portuguesa a forma correta é trans-humanismo, como ocorre com sobre-humano.

No entanto, por se tratar de uma palavra nova, e como o uso determina a grafia, poderíamos considerar por critérios puramente estéticos se a palavra transumanismo deve constituir exceção à regra, se devemos nos ater a ela usando trans-humanismo, ou se devemos aceitar como válidas duas variantes. Parece haver uma tendência de substituir a palavra transhumanism por post-humanism ou humanity+, como ocorreu com a mudança de nome da World Transhumanist Association para Humanity+. JonatasM (discussão) 06h28min de 6 de dezembro de 2010 (UTC)

Se "a palavra é nova", como o uso pode "determinar a grafia"? Maluco Yanguas diz!-fiz 15h53min de 26 de julho de 2011 (UTC)

Absurdo!...[editar código-fonte]

Haja paciência!

Ao consultar registros históricos e procederes referentes ao presente artigo, encontrei o seguinte absurdo:

Por respeito ao vernáculo, não se admitam temeridades assim. Onde está a revisão wikipédica que não o coibiu?

Conquanto ainda não haja — oficialmente incorporado ao léxico português — quer no domínio lusófono brasileiro, quer no não-brasileiro o termo transumanismo (também não transhumanismo!...), quando ocorrer essa inclusão lexical, certamente será como transumanismo. Nem arguirei mais... [?!] "transhumanismo", embora confesse ainda me incomodar [tentar] lê-lo: /tran–xu–ma–nis–mo/?

EgídioCamposDiz! 21h09min de 31 de Janeiro de 2008 (UTC)

Absurdo = Transhumanismo?!...[editar código-fonte]

O texto seguinte foi movido de: Wikipedia:Café dos tradutores -- Nuno Tavares 17h17min de 3 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Caros colegas tradutores,

Na falta doutro espaço eventualmente mais adequado, peço-lhes licença para anotar aqui a seguinte estranheza, já feita ali:

Haja paciência!

Ao consultar registros históricos e procederes referentes ao presente artigo, encontrei o seguinte absurdo:

Por respeito ao vernáculo, não se admitam temeridades assim. Onde está a revisão wikipédica que não o coibiu?

Conquanto ainda não haja — oficialmente incorporado ao léxico português — quer no domínio lusófono brasileiro, quer no não-brasileiro o termo transumanismo (também não transhumanismo!...), quando ocorrer essa inclusão lexical, certamente será como transumanismo. Nem arguirei mais... [?!] "transhumanismo", embora confesse ainda me incomodar [tentar] lê-lo: /tran–xu–ma–nis–mo/?

EgídioCamposDiz! 21h09min de 31 de Janeiro de 2008 (UTC)

Caro amigo, após longa reflexão sobre sobre o problema colocado, sobrelevo algumas considerações
1) realmente o verbete foi mal aportuguesado
2) a dita doutrina à qual se refere é pouco credível, mas, não deixa de existir.
O Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa editado pela Academia Brasileira de Letras registra o verbete "transumante" enquanto adjetivo: que efetua movimentos periódicos com vista à reencontrar uma outra região. Exemple: uma população transumante, pássaros transumantes,.. Assim, sem correlação à doutrina "transumanista".
Sobrelevo ainda que as Wikipedias em inglês e espanhol possédem o dito artigo destacado, ou seja, com qualidade.
Por se tratar de uma doutrina originalmente desenvolvida nos Estados Unidos, a adaptação da mesma na Língua portuguêsa não é imediata, tal como os verbetes "software", "modem", etc, utilizadas no Brasil mesmo quando traduções já existem. Não se pode buscar uma definição de um artigo enciclopédico num dicionário! Wikipédia não é um dicionário! Si a comunidade, particularmente a comunidade científica, julga apta, suficientemente credível a dita doutrina de figurar numa enciclopédia então esta tem seu lugar reservado.

Kim richard (discussão) 22h24min de 31 de Janeiro de 2008 (UTC)

A questão não é o mérito do artigo ou não. O que o Egídio quer discutir é a tradução. Na língua inglesa, por exemplo, o "h" no começo da palavra faz diferença. A pronúncia de "humanism" seria diferente se fosse escrito como "umanism". Já em português, o "h" no começo das palavras só está lá por razões etimológicas. Foneticamente não serve de nada. Tanto que ele some quando o prefixo não pede hífen, como em "subumano", "desumano", "transumano", "inumano" etc. Logo, a "correção" foi indevida. Por mim, seria movido de volta pra "Transumanismo". Leonardo (discussão) 23h55min de 31 de Janeiro de 2008 (UTC)

Como a língua é viva e, muitas vezes, toma caminhos que não são controlados pelos homens, afinal qual é o plural de hamburger? (os brasileiros devem ter entendido a infame piada) Então vamos ver os caminhos pelo grande oráculo, O Gloolge, que diz: a partida está em "Transumanismo" 2.520 ocorrências e "Transhumanismo" 10.200 ocorrências, mas esse é o caminho atual e não podemos subestimar o livre-arbítrio da nossa língua.
Só um porem, transumante vem de transumância que é um fenômeno que ocorre como muitos animais, sendo assim eu suponho que o prefixo trans dever ter conotação de movimento e em Transhumanismo dever ter adotado o conotação de sentido oposto ao humano.--Econt (discussão) 00h28min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Interessante sua proposição Econt. Entendo que "transumanismo" não indica oposição à humanidade mas sim transcedência, que atravéssa a humanidade; resultando, por exemplo, no "post-humanismo" e etc, ideia que vai de par com a filosofia em questão. OS2Warp, com todo o trabalho que tem, manipulou agilmente a redireção do artigo.

Quando criamos o artigo software na Wiki pt, sabiamos que a tradução correcta do verbete era "programa de computador", "logiciel". Portanto o estrangeirismo prevaleceu sobre a Língua portuguesa e foi, consecutivamente, adicionado ao nosso vocabulário. Porém, com o verbete "transhumanismo" é diferente. Diferente porque a palavra inglesa é "transhumanism", com H e sem O, que aportuguesada resultaria na perda do "H" (transumanismo ou trans-humanismo, com o hífem, como lembra Leonardob) e na adição do sufixo "O", isso na forma culta da Língua. O problema ocorrente é que os próprios "transumanistas" ora se definem "transumanista" ora "transhumanista", claro, no total desrespeito à Gramática. Não será anormal que uma pesquisa no Google retorne diferentes grafias da palavra. Quando a dita filosofia fora aportada em terras lusas, cometeram o absurdo de mal aportuguesar e perpetuar a forma incorreta. Seria hoje nossa Língua tão viva que régras seculares mudem num espaço de anos, mesmo meses? Devemos aceitar a grafia popularizada mas incoerente com a nossa Língua? Ou devemos romper com a visão que tem a tal comunidade dela mesma, impondo a norma culta sobre o uso abusivo e generalisado da grafia incorreta? Enquanto enciclopédia, temos o dever da prática da forma culta da Língua Portuguesa, senão podem renomear já a Wikipédia no sambódromo da "thanschumanidade"

Kim richard (discussão) 03h00min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Caro Kim richard,
Você acaba de ajudar a formar uma opinião, a minha, transumana parece o mais certo, pelo bom português (português esse que é algo que me falta), mas também me parece certo colocarmos suas corruptelas em sinonímia, pois além de formadora de opinião a wikipédia tem o dever de informar, para que cada um forme a sua própria opinião, e se as corruptelas existem e são (muito) usadas, não podemos simplesmente abortá-las, mas podemos mostrar porque estão erradas.
Alguém com um conhecimento mais refinado na nesta parte do conhecimento poderia traduzir o artigo da wiki en, pois sempre que o artigo está mais desenvolvido e robusto ele sofre menos alterações bruscas como esta e até menos vandalismos.--Econt (discussão) 12h17min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Concordo plenamente com você Econt. Não temos o direito de abortar uma ação popular mesmo si esta nos parece absurda. Temos o direito e devemos informar as diferentes grafías. Não podemos também qualificar uma superior à outra, ou essa inferior à aquela. Podemos indicar as divergências que sulevaram o emprego de uma ou tal palavra. Mas, quanto ao problema principal este ainda não foi resolvido, à saber: devemos utilizar "Transhumanidade" ou "Transumanidade" no título do artigo? Assim, constato que todas as Wikis estrageiras salvo no italiano utilizam a grafia com "H". Mesmo no espanhol (Transhumanismo), mesmo no francês (Transhumanisme). No italiano portanto, veja que interessante, o verbete foi adaptado para "Transumanesimo", que soa bem mais italiano que um imaginável transhumanesimo. Penso que a correção(adaptação) do título do artigo em português é bem vinda. Penso também que na definição do mesmo seja indicado "transhumanismo" como a grafia mais empregada e que seja indicado por uma nota a divergência que a mesma causa. Kim richard (discussão) 13h51min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Wikipedia:Questões vernáculas...[editar código-fonte]

...ainda não "foi ao ar" (com chamadas automáticas etc.) e, contudo... o que lá está sequer provisoriamente é observado!

  • Muito bem. Transumanismo versus transhumanismo — eis a questão.
  1. "(...) após longa reflexão sobre sobre o problema colocado [...] a dita doutrina à qual se refere é pouco credível, mas, não deixa de existir. (...)" [sic] (destaques em negrito nossos): se assim for, quer parecer que a própria Norma Culta da Língua Portuguesa foi batizada de doutrina [...] pouco credível, mas, [que] não deixa de existir. Se não, desculpem-me a ignorância.
  2. Google ("info-busca"...) não pode ser tomado como aferidor de validade com significância científica para o que quer que seja, senão tão-somente como um estimador de achados estatísticos. Assim, carece de valor citar que o número de google-ocorrências de "transhumanismo" seja superior ao de "transumanismo". Isso, per se, é neutro. No presente caso, denota ignorância vernacular.
  3. Citar software aqui?!... Qual é a conexão, a pertinência lógica (semiológica, melhor)? Uma coisa é uma coisa...
  4. Grafias noutros idiomas, ainda que neolatinos? Qual é a conexão com o nosso vernáculo?

Vejam que o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa – VOLP, no domínio lexical do Português brasileiro, para o radical transhuman*, nada consigna, enquanto para o radical transuman*, consigna apenas (consulta nesta data):

  1. transumanado (zu) adj.
  2. transumanar (zu) v.
  3. transumância (zu) s.f.
  4. transumano (zu) adj.
  5. transumante (zu) adj.2g.

Semelhantemente, o dicionário PRIBERAM-UNIVERSAL, no domínio lexical do Português europeu, para o radical transhuman*, nada consigna, enquanto para o radical transuman*, consigna apenas (consulta nesta data):

  1. transumanar | v. tr.
  2. transumância | s. f.
  3. transumano | adj.
  4. transumante | adj. 2 gén.

Assim, não estamos discutindo sobre gostos ou preferências pessoais. A Norma Culta — reza a boa norma... — convém seja seguida ou... sobrevém o caos linguístico. E não creio que seja isso que estamos a construir, concordam?

Portanto, o que denunciei (no melhor sentido) é que houve uma impropriedade linguística convalidada no domínio desta Wikipédia — mas que tem conserto! Basta reverter os redirecionamentos incorretos. O artigo em si merece aperfeiçoamento, mas "isso são outros quinhentos"...

EgídioCamposDiz! 20h52min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Caro EgídioCampos,
Pelo visto você não percebeu sua conquista, você já tem o que é mais sagrado na Wikipédia, o consenso, cantado num coro por mim, Kim richard e Leonardo, e o poema cantado diz que a norma culta deve prevalecer, mas não imperar de forma tirana, isso é, excluindo as demais ocorrências. --Econt (discussão) 22h02min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)
Concordo com isso de se mencionar no artigo o impasse quanto à grafia correta, e o título seguir a norma culta. Agora é só mover e ajustar o texto. Leonardo (discussão) 23h24min de 1 de Fevereiro de 2008 (UTC)
  • Meu nobre colega Econt, agradeço a sua — e a dos demais colegas — deferência. Sim, eu notei a concordância, sem dúvida. Mas... ainda preciso anotar aqui que "observar e [buscar] fazer observar a Norma Culta não pode (ou não deve...) ser interpretado como imperar de forma tirana". Uma norma carrega em si o condão do império, sim. É sua ínsita natureza, do contrário norma não seria... Porém isso de se a empregar de forma tirana são outros quinhentos... Pelo que diz o nobre colega, toda vez que uma diretriz ou norma for empregada dar-se-á um emprego de tirania — o que, convenhamos, não é verdade. Mas, creio (cremos) haver chegado a bom termo sobre a correção vernácula em exame, certo? Saudações! EgídioCamposDiz! 00h38min de 2 de Fevereiro de 2008 (UTC)
Muito certo.--Econt (discussão) 11h40min de 2 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Ex positis...[editar código-fonte]

...naquela discussão da Wiki-Esplanada, faço a moção do conteúdo do presente "transhumanismo" para "transumanismo".

EgídioCamposDiz! 11h51min de 3 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Toda a conversa acima indicada foi propositadamente feita sem a minha consulta[editar código-fonte]

Logo foi uma edição dirigida com fins de me rebaixar perante aos meus colegas desta wiki.

Encontrei texto de aviso abaixo indicado

[1]

O nome desta corrente de pensamento não deveria ser 'Transhumanismo'? Não, porque muitos leriam como 'tranxumanismo

As interwikis apontavam para o outro nome

Diante da forma absurda como foi conduzida tal celeume, me manifesto agora muitos dias após o incidente.


Não foram observadas as regras:

--OS2Warp msg 03h35min de 5 de Março de 2008 (UTC) --OS2Warp msg 03h35min de 5 de Março de 2008 (UTC)


Porque não usar isso para o bem?[editar código-fonte]

Isso é um bom exemplo de como algo feito em âmbito internacional ou intercultural (ou tantos outros inters) pode apresentar uma forma de critério diferente mas não exatamente errado. Poderíamos usar o acontecido para lembrar que existem diferentes opiniões e essas podem nem sempre estar erradas porque existe o critério. Já que a Wik é livre, antes de tudo poderíamos usa-la para construir para o bem por exemplo:

  • No caso de divergência como a acima seria conveniente observar os dois pontos de vista e não suprimir um só por esse ou outro motivo é comumente aceito até porque a Wik pode ser um meio de desenvolver o idioma ou cultura colocando duas partes de um mesmo tema expondo suas diferenças e deixando que que cada um tire suas conclusões pois é no dia-a-dia que a língua se transforma e não nos dicionários ou nas academias, exemplo claro é o português que no Brasil teve solo fértil para metamorfose criando diversas formas corretas mas ímpares de uma determinada expressão que queiram ou não as escolas ou acadêmias elas existem e devem ser relevadas pois regra nenhuma consegue ditar a evolução de uma cultura por mais forte ou precisa que ela seja.

Portanto antes de nos acalorarmos em se é ou não corretos vamos abrir a discussões sadias e construtivas e não a ataque diretos a esse ou aquele por esse ou outro critério.

O objetivo da Wik é difundir conhecimento e não concordam que a discussão poderia ter caminhado à edificação do conhecimento sobre a língua portuguesa e seu aprofundamento criando um impacto melhor do que a discórdia. Embora esteja correto o protesto do colega Egidio, não poderia ter aberto uma discussão no lugar de um protesto?--Jcegobrain (discussão) 14h16min de 25 de Julho de 2008 (UTC)

Grafia neófita[editar código-fonte]

Sou acadêmico e pesquisador do transhumanismo na Universidade de São Paulo, tendo realizado pesquisa em conjunto com os filósofos Nick Bostrom e David Pearce, co-fundadores do movimento, na Universidade de Oxford e gostaria de registrar minha opinião no tema. Sou completamente contra romper com a grafia já consagrada de transhumanismo. Estou longe de achar que seria responsabilidade de todos saber do fato, mas Português é uma das únicas línguas no mundo que existe um diminuto grupo a pregar que transhumanismo deve ser sem o 'h', concentrados em sua maioria na Wikipedia - um dos únicos redutos onde pode-se encontrar essa grafia adotada exclusivamente por neófitos. Quase todas as línguas latinas utilizam com h, assim como quase todas as não latinas e assim como toda a literatura cientifica e filosófica a respeito (e, a nível menor de evidencia, assim como a esmagadora maioria da internet). Considerem que:

Checo: TransHumanismus
Dinamarquês: TransHumanisme
Alemão: TransHumanismus
Inglês: TransHumanism
Espanhol: TransHumanismo
Finlandês: TransHumanismi
Frances: TransHumanisme
Croata: TransHumanizam
Húngaro: TranszHumanizmus
Holandês: TransHumanisme
Norueguês: TransHumanisme
Polonês: TransHumanizm
Swahili: TransHumanizmus
Sueco: TransHumanism
Turco: TransHümanizm

Conseguintemente, torna-se de difícil compreensão a motivação real para tal ortografia revolucionária aqui refletida no presente estado do verbete. A norma linguística é dada pelo uso, e existe um conjunto vasto e numeroso de palavras cujas as grafias não seguem regras gerais, mas sim muita vez é ditada por anglicismos. Sou contra a revelia do uso do 'h' tanto em princípio como na prática. O uso sem o 'h' é sem dúvida, um uso esquizofrênico que só vejo adotado pela Wikipedia e cujos seus perpetuadores, sem conhecimento profundo de como a ortografia se torna estabelecida ou da literatura especializada na área, se julgam de algum modo superiores por saberem ler e se referir a um conjunto de normas ortográficas simplórias e plenamente acessíveis, deste modo ignorando a intricada complexidade da língua portuguesa. Cabe notar que o uso consagrado, i.e. transhumanismo, permanecerá como o vigente na literatura. Estou aqui apenas tentando trazer um pouco de bom senso na criação do verbete para que o mesmo esteja em isomorfismo com a língua culta praticada pelos falantes da mesma, e não com concepções esquizofrênicas. Seja como for, a grafia usada foi e continuará a ser transhumanismo. Cabe a Wikipedia lusófona realizar sua escolha com respeito ao seu propósito e escopo. Caso necessitem de fontes aqui se encontram:

Joaolkf (discussão) 04h46min de 14 de novembro de 2013 (UTC)


A grafia não é "neófita", é lusófona. E, a levar em conta seus exemplos, suponho que deveríamos também usar trema ou z!
Na nossa língua (que eu suponho o senhor conheça bem), o s antes do h forma um dígrafo, pronunciado com o som de x, o que redundaria numa palavra de pronúncia bastante estranha, algo como "tranxumanismo"; por isso o h "cai" ao se juntar a certas letras — ou é separado por hífen, em alguns casos. Assim, humano perde seu h inicial ao se juntar ao prefixo des- e formar desumano.
Em português, o h só é usado como inicial de algumas palavras (por razões etimológicas) ou na formação de dígrafos, como ch, lh, etc. Nunca é usado sem função no meio de palavras (por isso é que se escreve carboidrato ou carbo-hidrato, mas não "carbohidrato").
Removi os links de seus sites e "artigos acadêmicos" (por acaso, assinados pelo senhor), porque a Wikipédia não é local de divulgação, principalmente de fóruns e redes sociais. No mais, a forma com h é um neologismo com viés publicitário, do mesmo verniz de "yôga", que um dia pretendeu substituir a forma consagrada ioga.
Cordialmente, Yanguas diz!-fiz 15h15min de 14 de novembro de 2013 (UTC)
O uso é neófito, pois só é encontrado aqui, pelos os que desconhecem o transhumanismo. Não vejo a relevância de citar as regras, algo que qualquer indivíduo mentalmente são pode realizar - bem como possivelmente alguns animais treinados. Preferiria que o nível da discussão fosse mais elevado, mas não parece ser possível. Também não vejo a necessidade de deletar minhas referências, e me parece um tanto suspeito você apagar evidências em contrário a sua posição. Em especial, existiam referências ali que eram sim artigos e que representam o uso da palavra na comunidade especializada, deste modo reinstaurei minhas referência que irrefutavelmente são instancias de evidência em contrário e não divulgações. Seja como for, reforço que a o vocábulo em uso é transhumanismo e o presente verbete que realiza neologismo, ou alguma atividade pseudo-artística sob a insígnia da agnosia. Os interessados continuarão a procurar por "transhumanismo" e a cair na pagina da Wikipedia em Inglês, o que a essa altura já penso que seja o melhor. Fiz o que podia como pesquisador do campo no Brasil. A partir de agora, quando realizar comunicações a respeito, terei o cuidado de avisar quanto o império da ignorância que reina no verbete de língua portuguesa. Em fim, faça como quiser, eu lavo minhas mãos.Joaolkf (discussão) 20h34min de 14 de novembro de 2013 (UTC)

Boa sorte na divulgação do "tranxumanismo". Não conte conosco. Yanguas diz!-fiz 02h48min de 20 de novembro de 2013 (UTC)