Wikipédia:Café dos tradutores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Boas-vindas ao café dos tradutores!
Aqui pode discutir dúvidas sobre a tradução de artigos.
  • Antes de colocar a sua dúvida consulte o Guia de tradução onde pode efetuar pedidos de tradução, ajudar em tarefas de tradução, etc.
  • Na Categoria:!Artigos em tradução poderá encontrar diversos artigos por traduzir que são adicionados a essa categoria ao utilizar a predefinição {{em tradução}} nos artigos. Note que o texto a traduzir não poderá estar oculto com marcações que escondem o texto <!-- (no inicío desse texto) e --> (no fim), e que trechos em língua estrangeira de artigos por traduzir devem ser eliminados. Retire também a marcação {{em tradução}}

Inserir um novo tópico


Tradução de impeachment[editar código-fonte]

Caros tradutores, em especial do Brasil,

A fim de evitar uma guerra de edições, peço a vossa opinião sobre a melhor tradução para "impeachment": impedimento, impugnação ou destituição. Refiro que em Portugal o termo "impedimento" é desconhecido. Tudo isto por uma notícia que está na página principal, que remete para o segundo "impedimento" de DT. Se o termo destituição ou o termo impugnação forem comuns a todas as variantes, porque não utilizá-lo? Zdtrlik (discussão) 23h06min de 15 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário Parece-me que nos EUA, o termo é usado para descrever uma permissão da câmara dos representantes para que dada "acusação" possa ser analisada pelo Senado. No Brasil é usado para designar o processo de afastamento do presidente de seu cargo (que no Brasil é chamado de impedimento - não seria apenas o afastamento aprovado pela câmara dos deputados mas o processo como um todo envolvendo o julgamento pelo senado)). Veja-se que no caso do Donald Trump não há, propriamente, um impedimento, pois ele continua no cargo. O que há é uma permissão para que ocorra um julgamento pelo senado. FábioJr de Souza msg 23h36min de 15 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Como acredito ter demonstrado aqui, impedimento é português brasileiro e destituição é português europeu. No Brasil, o estrangeirismo impeachment, apesar de não refletir a essência do que é o impeachment estadunidense (como apontou o Fabiojrsouza), é tanto sinônimo como tradução do nosso impedimento. "Destituição" até fará sentido para leitores do português brasileiro com um fraseamento suficientemente cuidadoso, mas não é um termo tecnicamente preciso. "Impugnação", ao menos no português brasileiro, não é só impreciso como é incorreto: impugnação no Brasil é a anulação do mandato de uma chapa eleita por meio de um processo jurídico eleitoral em razão de vício originário, enquanto impedimento é a interrupção do mandato de um indivíduo (eleito ou não) por meio de um processo jurídico-político em razão de crime político. Literalmente a única coisa que têm em comum é que alguém é expulso do poder. Leefeniaures audiendi audiat 23h42min de 15 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário "Impedimento" não é mesmo usado em Portugal. Daí que "destituição" seja mais adequado em ambas as variantes. Não julgo ser necessário nenhum fraseamento especial para que seja perfeitamente inteligível. Vi dicionários online e páginas pt-br com destituição a significar exatamente o mesmo que no pt-pt. Zdtrlik (discussão) 01h22min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

O que estou dizendo é que "destituição" é um termo que pode ser usado no Brasil por ser genérico (daí os exemplos que você viu), mas que não é equivalente... Ninguém no Brasil escreve sobre destituição pensando primariamente no processo jurídico-político pelo qual se destitui o ocupante de um cargo público, mas evidentemente nesses processos se busca uma destituição. Seria muito a grosso modo como traduzir car e bus como meio de transporte para evitarmos confusões como ônibus/autocarro ou trem/comboio. Penso que poderíamos até usar ambas as variantes, conforme WP:VLP, mas acredito que usar apenas "destituição" não seja apropriado. Leefeniaures audiendi audiat 02h18min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Sinceramente, não vejo problemas com "impeachment", especialmente porque há um artigo sobre o assunto que pode esclarecer as diferenças nos processos dos EUA e do Brasil, assim como de outros países. Sobre o termo "destituição", transmite a impressão de ser um processo antidemocrático, quase um golpe de Estado, e portanto, havendo a necessidade de mudar, penso que "impedimento" é mais adequado. Érico (disc.) 02h18min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

@Érico: Pensei o mesmo, do nosso lado da poça o termo não soa muito democrático... Além de ter um senso perfectivo: destituição só parece fazer sentido quando o sujeito já foi expulso. Leefeniaures audiendi audiat 02h29min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário Desculpem a intromissão. Me parece que por aqui, usamos "Impeachment de..." só depois do encerramento do processo. Antes do encerramento, o título é "Processo de impeachment de...". Vide esta discussão. Temos dois verbetes cujos títulos estão aparentemente dúbios: Primeiro processo de destituição de Donald Trump, em que Trump foi inocentado, portanto, pelo formato usual está correto, e não poderia ser "Destituição de Donald Trump". O verbete em inglês (First impeachment of Donald Trump) chama impeachment todo o processo. No entanto, o título em Segundo impedimento de Donald Trump, segundo o usual, deveria ser "Segundo processo de impedimento de Donald Trump", pois o processo está em curso. De forma coerente, o título do verbete em inglês é Second impeachment of Donald Trump, confirmando que eles não fazem distinção entre "processo" e "conclusão". Em 2016, durante o processo de impeachment de Dilma Roussef, o NYT publicou esta matéria sobre esse assunto, com opiniões de especialistas, que pode ajudar aqui. Quanto ao termo ideal, creio que o estrangeirismo impeachment possa continuar a se utilizado, pois é uma forma consagrada.--PauloMSimoes (discussão) 02h20min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

@PauloMSimoes: Porém, há uma distinção: no uso brasileiro, encontra-se impedido o oficial que foi destituído ao fim do processo (que envolve o indiciamento pela câmara inferior e o julgamento por ambas as câmaras), enquanto no uso estadunidense já se encontra impedido aquele que é indiciado pela câmara inferior (que envolve o indiciamento pela câmara inferior e o julgamento pela superior). Este artigo e outros já dizem que Trump foi "impeached". Sobre o uso português, não posso dizer. Leefeniaures audiendi audiat 02h24min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
@Leefeni de Karik: sim, o título da matéria da BBC confirma que "a anglófona não faz distinção entre 'processo' e 'conclusão'", como fazemos em nossos títulos. Não creio que se possa atribuir o termo impeachment ao fato de que "já se encontra impedido aquele que é indiciado pela câmara inferior". Veja que o dicionário Michaelis atribui entre outros significados para impeachment, "contestação", "repreensão", além de "impedimento". Sou favorável a padronizar nossos títulos com o termo impeachment, para evitar as divergências linguísticas.--PauloMSimoes (discussão) 02h44min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Não, Paulo. Nos EUA, se considera "impeached" todo o presidente que teve o impeachment aprovado pela Câmara dos Representantes (ver). Se fossem condenados, o que até hoje nenhum foi, seriam considerados "convicted". No Brasil, é diferente, se considera "impeached" quando o Senado vota a favor da condenação. Érico (disc.) 02h48min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
@Érico: ok. Mas fiquei curioso: se um dia houver condenação, como ficaria o título do verbete inglês?--PauloMSimoes (discussão) 02h52min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Neste caso, precisaria de um segundo artigo, para tratar do julgamento. No primeiro processo, não tive tempo para desmembrar o artigo, como feito na enwiki: en:First impeachment of Donald Trump e en:Impeachment trial of Donald Trump. Érico (disc.) 02h55min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Subscrevo o Érico aqui. Leefeniaures audiendi audiat 17h49min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário - Bem Zdtrlik, eu não sou do brasil, mas como não chamou exclusivamente utilizadores do brasil, aqui estou eu. Cá na europa, o impeachment de que fala nós chamamos de Processo de Destituição. Posso dar vários exemplos: 1, 2, 3, 4, 5, entre outros. Chamamos de "destituição" se for realmente destituído, e "Processo de destituição" enquanto decorre o processo. Contudo, há que reconhecer também que, felizmente ou infelizmente, também há muitas fontes lusas que usam a palavra em inglês por estar a começar a tornar-se numa palavra "muito usada" nos últimos anos. Espero ter ajudado. Cumprimentos, Luís Almeida "Tuga1143 10h39min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

@Tuga1143: Obrigado pelo esclarecimento! comentário não assinado de Leefeni de Karik (discussão • contrib) 17h49min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário - Continuo sem perceber porque é que o artigo fala em "impedimento" quando um termo que é usado dos dois lados do Atlântico e não apenas em um, "processo de destituição", seria preferível. Zdtrlik (discussão) 17h10min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

@Zdtrlik: Porque "processo de destituição" não traduz "impeachment procedure". Apenas explica. É até aplicável, mas cria uma situação na qual os textos têm sentidos levemente diferentes para ambas as comunidades. Desrespeita a isonomia entre as variantes do português, que é basilar para o nosso projeto, que dentre as grandes Wikipédias trabalha de longe com a língua mais pluricêntrica. Retomando meu exemplo acima, poderíamos perguntar em outro contexto "por que o artigo usa autocarro se 'transporte público' é usado dos dois lados do Atlântico?" Percebe o problema? Leefeniaures audiendi audiat 17h49min de 16 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Quer explicar o apenas explica? A comparação com autocarro/ônibus é falácia. O termo em causa original é em inglês, estou em busca de consenso propondo "processo de destituição" como tradução de "impeachment process". Zdtrlik (discussão) 15h01min de 17 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário Senhores, não vamos inventar moda. O termo impeachment é intraduzível — ou, pelo menos, não ganhou nenhuma versão consagrada em nosso idioma. Todos os sinônimos aventados acima passam perto, mas não têm a mesma definição. Além disso, não adianta mudar para um termo que o leitor desconhece, porque em todo jornal, dos dois lados do Atlântico, falam em impeachment. Qual a razão de tanto purismo linguístico, em pleno século 21, com as pessoas do mundo inteiro se comunicando mais do que nunca na história? Yanguas diz!-fiz 04h55min de 17 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Concordo. O título original deveria ter sido mantido. Érico (disc.) 11h58min de 17 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Não tem nenhuma "invenção de moda", nenhum purismo ideológico ad hoc. O que eu fiz foi incluir o termo técnico mais utilizado pela literatura especializada em vez do termo mais utilizado pela mídia. Impeachment continua, contudo, sendo correto. O que é incorreto é tentar impor "impugnação" como um termo válido para o português brasileiro, ou "destituição" como algo tendo o mesmo sentido no Brasil e em Portugal. Leefeniaures audiendi audiat 23h51min de 18 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário Só trouxe a questão aqui porque "impedimento" é totalmente inaceitável como tradução de "impeachment", e quis saber se no português do Brasil haveria alternativas. Pelos vistos há, mas o editor Leefeni de Karik insiste com o uso do termo impedimento. Os media do Brasil usam "impeachment", os media dos outros países lusófonos usam "destituição", mas todos sabem o que é "impeachment". Então porquê usar "impedimento"? Que absurdo total. Zdtrlik (discussão) 15h01min de 17 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Eu não insisti simplesmente em usar o termo impedimento, eu insisti em obstar "impugnação" e "destituição" como traduções válidas. Se formos pelo estrangeirismo "impeachment", está correto. Leefeniaures audiendi audiat 23h51min de 18 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário Como se comentou aqui, o termo impeachment é intraduzível do inglês. Se fosse um termo derivativo, viria de peach (pêssego), obviamente um absurdo. Isso ocorre porque o inglês criou o neologismo impeachment a partir do termo francês empêcher. Então creio que não precisamos ser "mais realistas do que o rei".--PauloMSimoes (discussão) 19h01min de 17 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Detalhe: a própria wiki francesa não traduziu para destitution o termo impeachment. Mesmo sendo a língua que originou o neologismo inglês, preferiu manter o nome consagrado globalmente. Ocorre lá desde 13 de janeiro uma proposta para a fusão, mas parece não ter respaldo. Na nossa wiki, o termo destituição direciona para impeachment.--PauloMSimoes (discussão) 19h20min de 17 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
@PauloMSimoes: Que é intraduzível é falso. Impeachment é cognato do francês empêchement, que vem do latim impedicamentum, através de mudanças regulares do latim para o francês. Impedicamentum apenas tem um morfema a mais (-ic-, indicando diminutivo) que impedimentum, de onde vem o português impedimento. São termos perfeitamente cognatos... Leefeniaures audiendi audiat 23h51min de 18 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Apenas uma nota: não estou em momento algum negando a propriedade do termo "impeachment". Apenas insisti em seu uso na página de eventos atuais porque não existe alternativa verbal a "impedir", e julguei que melhor seria manter a alternativa prévia, mais sintética, e consistente com o título de artigo. "Impeachment" é o termo coloquial mais disseminado, e "impedimento" é o termo mais consagrado na literatura específica (isto é, jurídica). Uma leitura da WP:CNN pode preferir ambos os termos tranquilamente. Isto não é mais uma discussão de aportuguesamento.

Insisto, contudo, na absoluta impropriedade da tradução "impugnação" (não entendo a dificuldade do Zdtrlik em entender que aqui significa outra coisa totalmente diferente), e também insisto no caráter europeu de "destituição" (para nós não é sinônimo, é hiperônimo; não é à toa que não fui o único brasileiro que estranhou o termo). Ou falamos em impedimento, ou adotamos o estrangeirismo impeachment. Se decidirmos pelo estrangeirismo, lembremo-nos apenas de que o fato de que não existe estrangeirismo para o verbo "impedir" não significa que precisemos fazer construções como "dar procedência ao impeachment" ou "destituir mediante impeachment". Valorizemos a riqueza da língua, que bem permite o uso de termos nativos e estrangeirismos simultaneamente. Leefeniaures audiendi audiat 00h08min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Entendo também que, se não houver consenso para "impedimento", devemos retornar ao título original, de "impeachment", pois "destituição" não é tão comum no Brasil e causa a impressão, conforme comentei acima, de ser um instrumento antidemocrático ("destituído em golpe de Estado", "destituído em golpe de Estado", "destituído em golpe de Estado", etc). Érico (disc.) 00h12min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
@Érico: Sim, "destituição" apenas seria admissível se o artigo tivesse sido criado com este título, conforme WP:VLP. Leefeniaures audiendi audiat 00h16min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Do mesmo modo que "impugnação" aparenta não ser usado no português do Brasil (o que ignorava) e que "destituição" foi estranhado por ter caráter europeu, eu afirmo que "impedimento" é absurdo em Portugal. Daí uma solução melhor ser o título do artigo ser "Segundo impeachment de Donald Trump".‎ Zdtrlik (discussão) 11h38min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
A nossa WP:VLP não exige uma koineização da língua portuguesa, mas sim o respeito às diferenças... Leefeniaures audiendi audiat 14h03min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Quando vi esta discussão estive tentado a defender que se devia traduzir por destituição ou algo semelhante. No entanto, numa rápida pesquisa aprendi um par de coisas interessantes:

  1. Ao contrário do que a semelhança com "impedimento" sugere, o sentido de impeachment tem menos a ver com "impedimento" do que pode parecer [1], pois em sentido lato pode traduzir-se por "acusação" e, em sentido mais estrito, "apresentação formal de acusações por atos ilícitos num cargo". Ou seja, fiquei com a sensação de que impeachment se refere mais ao processo, que pode ou não resultar numa destituição; e se a destituição não chegar a ocorrer, o impeachment ocorreu na mesma, pois houve processo de acusação. Assim sendo, "impedimento" é uma péssima tradução.
  2. Impeachment está dicionarizado, pelo que me parece válido usar o anglicismo. Tanto a Infopedia [2] como o Aulete [3] definem o impeachment como o processo de destituição e não a destituição em si mesma (enfim, em rigor a Infopedia admite "destituição" como tradução possível, mas para os casos em que houve um processo legal baseado em acusações de delito grave ou má conduta).
  3. Posto isto, eu diria que "processo de destituição" não é uma má tradução, mas é mais lato do que o impeachment. Junte-se a isto que, por exemplo, a Infopedia nem sequer menciona "destituição" como tradução de impeachment [4] (mais uma vez, dá enfâse a "acusação"), então provavelmente "processo de destituição" é mesmo um mau título. E, repetindo-me, se impeachment está dicionarizado, pelo que talvez o melhor seja mesmo usar o anglicismo.
  4. Por último um detalhe: dado que no contexto da destituição (ou tentativa de) dum cargo impeachment é sobretudo o processo, então "processo de impeachment" tem um pleonasmo. --Stego (discussão) 11h52min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]
Concordo com a parte fatual dos seus pontos, apesar de preferir outra alternativa. Leefeniaures audiendi audiat 14h03min de 19 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Dúvidas sobre alguns termos[editar código-fonte]

Colegas, fiz uma pequena tradução e fiquei em dúvida sobre como traduzir (e se traduzir) alguns termos, nomeadamente subpoena e gag order. Eles não possuem artigos na wiki lusófona, ou pelo menos não estão ligados aos respectivos artigos na anglófona. Se quiserem opinar ou ajustar, foi no verbete Signal (software). Sds Saturnalia0 (discussão) 14h43min de 25 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Subpoena é notificação, quase sem tirar nem pôr. Creio que a principal diferença seria que nas jurisdições de matriz continental pode-se chamar de notificação a comunicação de uma pretensão (isto é, de algo que poderia ocasionar um processo) fora do âmbito do processo, a exemplo de uma carta de cobrança de dívida. De qualquer forma, apesar desta pequena diferença acidental e talvez de alguma outra que não me lembro, a essência é a mesma. Algumas fontes até traduzem subpoena como citação, mas não é um uso correto, porque citação é o chamamento a juízo do réu, estritamente. Algumas fontes também falam em "intimação", mas no Brasil isto é tecnicamente problemático (apesar de haver uma confusão entre intimação e notificação, a doutrina as distingue, e fala em intimação apenas para atos já realizados) e em Portugal o termo é estranho ao Direito processual.
Quanto à gag order ou gag rule, não há categoria equivalente no Direito brasileiro, e não parece haver no Direito continental em geral, embora na França haja a construção recente semelhante da "obrigação de silêncio". Consigo encontrar referências a gag orders e gag rules para vários países no mundo de matriz continental, mas tenho a impressão de ser uma interpretação de casos específicos ao redor do mundo a partir de uma categoria genérica anglófona. Quando traduzo o termo para vários idiomas e o busco no Google, todos os resultados que encontrei se referem a decisões em países de matriz inglesa. Inclusive, mesmo em francês são abundantes os uso de traduções em vez da conversão para a "obrigação de silêncio" nativa. Concluo que não há que se falar em equivalente lusófono. Traduções como "ordem de mordaça", contudo, são abundantes na imprensa (tanto brasileira como portuguesa) e na literatura. Não vejo por que deixar gag order sem tradução, é uma expressão bem transparente e com tradução em amplo uso. Inclusive, apesar da inexistência da categoria de "ordens de mordaça", "mordaça" já parece ter sido incorporada ao vocabulário jurídico brasileiro no contexto da ampla caracterização do PL 265/07 (mais conhecido como "Lei Maluf") como uma "Lei da Mordaça". Leefeniaures audiendi audiat 16h04min de 25 de janeiro de 2021 (UTC)[Responder]

Literary scholar[editar código-fonte]

Texto fonte (em en:Ursula K. Le Guin):

  • Ursula had three older brothers: Karl, who became a literary scholar, Theodore, and Clifton.

Estudioso da literatura? Acadêmico literário? Professor de literatura? Outro? Agradeço sugestões. Caio! (discussão)

Caio! Pela versão do artigo em espanhol, traduziu-se como um especialista em literatura. WikiFer msg 01h13min de 10 de março de 2021 (UTC)[Responder]
@Caio!: Eu colocaria como "estudioso literário". O site Reverso traduz "literary scholar" como "estudioso literário" ou "estudioso de literatura". Pesquisando "estudioso literário" no Google, eu encontrei o resumo desse artigo que diz que Wallace Fowlie foi um "tradutor americano e estudioso literário". Depois eu procurei o nome desse cara com o trecho em inglês "literary scholar" pra ver se batia a informação. Aí achei uma página desse periódico que cita o Wallace como um "literary scholar and critic". Por isso, eu usaria "estudioso literário" mesmo. Enaldodiscussão 18h07min de 10 de março de 2021 (UTC)[Responder]
@Caio!: eu traduziria por acadêmico.--Felipe da Fonseca (discussão) 18h12min de 10 de março de 2021 (UTC)[Responder]
@WikiFer, EnaldoSS e Felipe da Fonseca: Agradeço as sugestões. Por ora, vou usar acadêmico no campo da literatura até encontrar algo melhor. Abraço. Caio! (discussão) 18h18min de 10 de março de 2021 (UTC)[Responder]
Todas as sugestões me soam muito bem, inclusive a que você escolheu, mas, já que pediu sugestões, acredito que acadêmico no campo da literatura seja desnecessariamente longo. Sugiro acadêmico de literatura. VdSV9 13h57min de 11 de março de 2021 (UTC)[Responder]

Mind-warping[editar código-fonte]

Texto fonte (em en:Ursula K. Le Guin):

  • Prefacing an interview in 2008, Vice magazine described Le Guin as having written "some of the more mind-warping [science fiction] and fantasy tales of the past 40 years".

Cheguei a "psicodélico". Outra sugestão? Caio! (discussão) 21h10min de 14 de março de 2021 (UTC)[Responder]

@Caio!: Razoável, mas eu teria escolhido "alucinante", já que tem um sentido alinhadamente mais geral do que "psicodélico". Leefeniaures audiendi audiat 22h18min de 16 de março de 2021 (UTC)[Responder]
Gostei, Leefeni. Vou usar. Agradecido! Caio! (discussão) 23h05min de 16 de março de 2021 (UTC)[Responder]

Pergunta sobre titulo[editar código-fonte]

Olá,tenho uma dúvida a respeito de um titulo sobre o https://en.wikipedia.org/wiki/Pumpkin_bomb queria traduzir mas não sei se deixo Pumpkin bomb ou troco?--Joao 2008 (discussão) 23h11min de 23 de maio de 2021 (UTC)[Responder]

@Joao 2008: Em alguns livros em português escreve-se "bomba-abóbora". Eu trocaria e também adicionaria uma nota ("em inglês: pumpkin bomb"). Enaldodiscussão 10h36min de 24 de maio de 2021 (UTC)[Responder]
Ok,vou fazer assim então.--Joao 2008 (discussão) 13h11min de 24 de maio de 2021 (UTC)[Responder]

Hackathon[editar código-fonte]

Cara comunidade, eu e alguns colegas organizamos um projeto de tradução no meta (o WikiProject Pt-Br) para traduzir páginas de lá para o pt-br, todos estão convidados a conhecer o projeto e dele participar. Muito em breve abriremos um espelho enxuto do projeto nesta wiki para dar suporte às nossas traduções, enquanto isso não é feito, a Isabelle Belato, que está traduzindo as páginas da Wikimania, surgiu com uma dúvida, a qual não soube responder e achei melhor trazer à comundiade: como devemos traduzir o termo "Hackathon". Obrigado, --Felipe da Fonseca (discussão) 23h29min de 20 de julho de 2021 (UTC)[Responder]

Felipe da Fonseca Eu acredito que não 'exista' oficialmente um termo para esta palavra, mas é comumente traduzida como "Maratona de hackers" ou "Maratona de programadores" pelos veículos oficiais da mídia e sites especializados, não encontrei nenhuma 'gíria' aceitável para ela. Deixo para os colegas. Jhonnycach (Discussão) 23h57min de 20 de julho de 2021 (UTC)[Responder]
Eu deixaria sem traduzir. Conforme usado no verbete hackathon. VdSV9 00h01min de 21 de julho de 2021 (UTC)[Responder]

indigenous[editar código-fonte]

Texto:

Usei o Google tradutor e essa foi a tradução:

Acho o termo indígena devido ao contexto não é uma tradução correta nesse caso. Alguma sugestão de tradução. Mawer10 (discussão) 13h54min de 5 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

@Mawer10: "indigenous" pode se referir a qualquer coisa que seja nativa de uma certa região. Normalmente usamos com pessoas, mas poderia se aplicar também a animais ou objetos, talvez. Então acho que no caso ele está se referindo a fontes que vieram do próprio Antigo Oriente Médio. Victor LopesDiga!C 17h38min de 5 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

Obrigado Victor Lopes. Então no caso "indigenous" pode ser traduzido como "nativos", que faz mais sentido nessa frase. Mawer10 (discussão) 19h30min de 5 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

Caros @Mawer10 e Victor Lopes: permitam-me a intromissão. O dicionário Michaelis confirma: "indigenous".PauloMSimoes (discussão) 19h41min de 5 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

Parece-me que o adjetivo é completamente redundante e tanto "nativas" como "indígenas" soam estranhas aplicadas a fontes. Alguém acha que há alguma ambiguidade em "Algumas fontes do Antigo Oriente Médio"? Que outra coisa a que essa expressão se pode referir que não sejam fontes que surgiram/foram escritas no Oriente Médio da Antiguidade? Se não fossem nativas, aí sim, teria que se usar algo mais, do tipo "fontes sobre o Antigo Oriente Médio". --Stego (discussão) 19h53min de 5 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

Stego: o texto é da renomada Enciclopédia Iranica, mas tenho que concordar contigo. O adjetivo "nativo" é descartável na frase. Mawer10 (discussão) 20h23min de 5 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

Tradução de 'Station layout'[editar código-fonte]

Olá amigos tradutores, estou traduzindo um artigo sobre uma estação ferroviária e uma das seções é intitulada 'Station layout'. Eu traduzi essa expressão como 'Disposição da estação' porque acho que fica melhor do que 'Formato da estação'. Alguém tem uma sugestão de tradução melhor? Muito obrigado. --𝑷𝒂𝒛 𝒆 𝒄𝒐𝒏𝒄𝒐́𝒓𝒅𝒊𝒂 Tudo bem? 00h08min de 26 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]

DARIO SEVERI, pode me ajudar nessa tradução? --𝑷𝒂𝒛 𝒆 𝒄𝒐𝒏𝒄𝒐́𝒓𝒅𝒊𝒂 Tudo bem? 10h23min de 26 de agosto de 2021 (UTC)[Responder]
Disposição parece bom. Se não gostar, outra opção seria "Arranjo da estação". Eu não teria nada contra manter o estrangeirismo "Layout da estação" ou a versão aportuguesada "Leiaute da estação". Você que sabe. VdSV9 03h53min de 8 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]
@VdSV9, acho que arranjo é uma boa ideia. Não vou usar layout porque como não está em português, fica um pouco difícil pra entender se não tiver conhecimento básico do inglês. Obrigado, não teria pensado nisso. -- Paz e concórdia Tudo bem? 10h02min de 8 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]
Paz e concórdia, bom, na verdade já está dicionarizado como leiaute (Michaelis; Aulete), de modo que, se julgar que no contexto não fique ruim, pode usar. De certo que o termo em inglês não é opção.--Rena (discussão) 14h50min de 8 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]
A palavra layout já é usada em português, consta dos dicionários e é normalmente aceita. Não requer conhecimento nenhum do inglês para entender. Como eu já disse, você que sabe, mas não teria problema nenhum em usar. VdSV9 22h10min de 8 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]

VdSV9, mais ou menos. Michaelis registra, mas redirecionando para leiaute. Aulete e Houaiss nem citam. VOLP cita, indicando ser estrangeirismo, enquanto abona leiaute, leiautação, leiautador, leiautar e leiautista.--Rena (discussão) 00h11min de 9 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]

@Renato de Carvalho Ferreira e @Renato de Carvalho Ferreira, então, para fechar o tópico: é melhor arranjo ou leiaute? (não considero uma opção o estrangeirismo). -- Paz e concórdia Tudo bem? 00h16min de 9 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]

Ou em vez de anglicismos pode-se usar "planta", "desenho" ou "esquema", dependendo do contexto exato da frase. JMagalhães (discussão) 12h38min de 9 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]

Alcance das transliterações[editar código-fonte]

Gostaria de chamar a atenção para o conflito em Discussão:Eugene Kaspersky. Não há qualquer ligação especial entre o biografado e países de língua inglesa, mas, já que parece ter sido relatado pela mídia lusófona como Eugene Kaspersky (uma tradução do prenome com uma transliteração irregular do sobrenome) mais do que por seu verdadeiro nome russo (conforme WP:RUSSO, Evgeni Kasperski), o editor DarwIn está invocando WP:CNN sobre WP:CNNTT, argumentando que qualquer transliteração seria "criatividade". Meus contra-argumentos são: que o anglicismo não é realmente consagrado em língua portuguesa, apenas talvez numericamente mais expressivo, por uma série de reproduções que ignoram o nome original; e que a transliteração, ao contrário da tradução, é uma metodologia exata, que pode ser executada por qualquer um com acesso às corretas tabelas, não se aproximando em qualquer forma de pesquisa inédita.

Acrescento que, apesar de Evgeni Kasperski não aparecer em português, Evgeny Kaspersky aparece. A diferença entre as duas formas é que uma (a adotada comunitariamente pela Wikipédia aqui e aqui) diferencia as desinências homólogas <-ий> e <-ый> como respectivamente <-i> e <-y>, enquanto a outra (a que resulta em Evgeny Kaspersky) translitera ambas como <-y>. Também acrescento que o prenome do biografado foi citado por mim nesta discussão em cinco diferentes formas, justamente como argumento (acolhido) para a necessidade de uniformização.

Acredito que seria mais conveniente continuar a discussão aqui, com mais publicidade e implicações mais gerais. Leefeniaures audiendi audiat 14h50min de 2 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]

Pelo contrário, eu invoquei diretamente WP:CNNTT. Isso é o que a comunidade decidiu como recomendação aqui (WP:RUSSO, que tanto invocam, nem isso é, é somente uma página informativa). Se acha que não devemos usar o que está nas fontes fiáveis, mas sim transliterações feitas por wikipedistas, proponha a mudança na Esplanada, e lá teremos a discussão. Darwin Ahoy! 15h57min de 2 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]
Se a ideia é uma discussão hermenêutica de nossas regras, lembremos do princípio básico de que o específico supera o genérico ("lex specialis derogat legi generali"). WP:CNNTT diz "caso não haja exónimo histórico", o que esclarece o alcance do termo "primeira instância". Eugene Kaspersky pode ter uma vantagem numérica na googlada, mas claramente não é um exônimo histórico, diferentemente de Dostoiévski, Pachukanis, Kossygin e outras exceções justas e corretas à transliteração consistente. Leefeniaures audiendi audiat 16h13min de 2 de setembro de 2021 (UTC)[Responder]