Don Omar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Don Omar
Informação geral
Nome completo William Omar Landrón Rivera
Também conhecido(a) como El Rey
Nascimento 10 de fevereiro de 1978 (40 anos)
Origem Carolina
País  Porto Rico
Gênero(s) Reggaeton
Instrumento(s) Voz
Período em atividade 1996 - atualmente
Gravadora(s) Orfanato, VI, Universal Latino, Machete
Página oficial orfanatomusic.com

Don Omar, nome artístico de William Omar Landrón Rivera (San Juan, 10 de fevereiro de 1978), é um cantor,compositor e ator porto-riquenho de reggaeton. Ele é muitas vezes referida por seu apelido El Rey.

Começou a escrever suas primeiras letras no início da década de 1990 aos doze anos com o surgimento de um novo ritmo, o reggaeton. Sua carreira musical profissional começou em 2002, quando Héctor 'El father' o lançou com o nome artístico 'Don Omar'.

A carreira de Don Omar começou com o lançamento de seu primeiro álbum de estúdio The Last Don. Em junho de 2003, Don Omar recebeu o prêmio Billboard Latin para Álbum Reggaeton do Ano e para King of Kings. As canções "Los Bandoleros" e "Conteo" foram apresentadas no filme The Fast and the Furious: Tokyo Drift nos créditos finais.

Através da música "Conteo", do filme Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio, ganhou uma popularidade maior na América.

Em 2009, Don Omar ganha participação especial no quarto longa da franquia Velozes e Furiosos, que neste, aparecem duas canções suas, "Los Bandoleros" e "Virtual Diva".

Em 2011, Don Omar ganha participação especial também no quinto longa da franquia Fast Five (Velozes e Furiosos 5 Operação Rio), aparecendo três canções: "Danza Kuduro"; um remix do seu tema "How We Roll" e com a canção "Taboo", cujo video clipe foi gravado no Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Suas origens musicais estão ligadas à igreja, à qual ele foi ligado como pastor evangélico, por quatro anos. Ele canta pela primeira vez na produção Gênesis Cristã do ano de 1996 em um duo chamado Osito & Omar.

Don Omar está em apuros com a lei pela posse de drogas e armas de fogo. Ele é frequentemente alvo de acusações pelo conteúdo das letras. Ele é acusado de incitar violência e pornografia. O ritmo forte, dançante e sensual caracterizando além deste gênero musical, não é uma exceção, como muitos outros reggaetoneros.

Em 2008 ele se casou com o apresentador do tempo Jackie Guerrido (ele tem três filhos de um relacionamento anterior). No mesmo ano, Don Omar enfrenta processo: Nando Boom acusa-o de plágio, o tema do My Space é a cópia exata da de Enfermo de amor.

Careira[editar | editar código-fonte]

Sua primeira apresentação em um clube noturno foi acompanhada pelo DJ Eliel Lind Osorio. Depois, atuou com regularidade em vários álbuns de DJ’s e produtores populares como Luny Tunes, Noriega e DJ Eric.

Ele começou a cantar e compor aos 21 anos, sentindo-se muito próximo do estilo reggaeton, que começou a se desenvolver em Porto Rico no início dos anos 90. Começou no reggaetón com Yaga duo Yaga e Mackie Ranks em 1990 com a canção Tha Cream no álbum de mesmo nome.

Sua carreira musical chegou ao estrelato com o lançamento do seu primeiro álbum de estúdio, The Last Don. Tanto sua versão de estudio quanto sua versão ao vivo, receberam disco de platina da Recording Industry Association of America. A nível mundial, The Last Don: Live (CD & DVD) vendeu mais de um milhão de copias. Obteve prêmios por Álbum Pop Latino do Ano, Artista Revelação Rap /Hip-Hop e Álbum Latino do Ano pelos Prêmios Billboard Latin Music Awards em 2003. The Last Don: Live (CD & DVD) também foi indicado para a categoria álbum de música urbana no Grammy Latino de 2005.

Em 2005, ele produziu Los Bandoleros. Neste álbum ele trabalha com outros artistas para o título Los Bandoleros com Tego Calderon; para Como olvidar, com David Bisbal, para Ella y yo, com Romeu de Aventura, para My Space e Nadie Como Tú com Wisin y Yandel, para Hold You Down com Jennifer Lopez; e para La Traicionera, com Glória.

Em maio de 2006, seu álbum King of Kings, se converteu no segundo álbum de maior sucesso na história do Reggaeton, ficando atrás apenas de Barrio Fino de Daddy Yankee, no top 10 das listas nos Estados Unidos. King of Kings é o álbum que tem o maior número de unidades vendidas no gênero, chegando a mais de seis milhões de copias a nível mundial.

Em 2014, Don Omar anuncia sua próxima produção, intitulada The Last Don II, a qual participará inúmeros artistas, tais como: Tego Calderon, Wisin y Yandel, Daddy Yankee, entre outros.

Depois de uma década de rivalidade com seu colega Daddy Yankee pelo título de "Rei do Reggaeton", no início de 2016, Daddy Yankee e Don Omar anunciaram em coletiva de imprensa que se apresentariam juntos no palco de uma série de concertos chamada The Kingdom World Tour. O anúncio da turnê deixou muitos fãs descrentes, enquanto se vendiam em minutos em cidades como Las Vegas, Orlando, Los Angeles, Nova York. Discutindo a turnê e sua rivalidade com o papai Yankee, Don Omar disse: “Deixe-me esclarecer: eu não sou seu melhor amigo, e ele não é meu melhor amigo, mas nós nos respeitamos. Esse desejo de ser o melhor é o que nos levou a sermos melhores.

Em 2017, Don Omar anuncia que interrompe a música e anuncia o lançamento de seu último álbum, Sociedad Secreta, com a colaboração de artistas como Sharlene Taule, Ivy Queen, Gente De Zona, Wisin, Pitbull, Maluma, Ricky Martin, Juanes, Ricardo Arjona e Zion y Lennox, Alexis e Fido, Nicky Jam, Mohombi, Jory Boy e Christian Daniel.

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Don Omar colaborou com artistas como: Daddy Yankee, Hector e Tito, Wisin & Yandel, Aventura (banda), Arcángel, Plano B, Tego Calderón, Tony Dize, Farruko, JBalvin, David Bisbal, Jennifer Lopez, entre outros.

Paródias[editar | editar código-fonte]

Don Omar foi parodiado por artistas populares como o ator argentino, diretor, roteirista e comediante Diego Capusotto, o nome do personagem é Latino Solanas (o nome vem do cineasta e político argentino Pino Solanas), do popular programa de humor e música Peter Capusotto e seus vídeos, ele é apresentado como um músico de reggaeton com posturas, frases e maneirismos comuns em artistas como Don Omar. O personagem declara que ele espalha a "verdadeira" cultura latina, e até inventou sua própria máquina para moer e inspirar ao mesmo tempo.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Lista de álbuns
Título Detalhe do álbum
The Last Don
King of Kings
  • Lançamento: 23 de maio de 2006
  • Gravadora: Machete
  • Formatos: CD, digital download
iDon
  • Lançamento: 28 de abril de 2009
  • Gravadora: Universal
  • Formatos: CD, digital download
Meet the Orphans
  • Lançamento: 16 de novembro de 2010
  • Gravadora: Orfanato
  • Formatos: CD, digital download
Don Omar Presents MTO2 - New Generation
  • Lançamento: 1 de maio de 2012
  • Gravadora: Orfanato
  • Formatos: CD, digital download
The Last Don II
  • Lançamento: 16 de junho de 2015
  • Gravadora: Orfanato
  • Formatos: CD, digital download

Singles[editar | editar código-fonte]

Como artista principal[editar | editar código-fonte]

Lista de singles como artista principal, mostrando posições em paradas músicais selecionadas, certificações e álbuns
Título Ano Posições em paradas músicais Certificações Álbum
AUT
[1]
BEL
[2]
FRA
[3]
GER
[4]
SWE
[5]
SWI
[6]
US
[7]
"Dale Don Dale"
(featuring Glory)
2003 The Last Don
"Dile" 2004 46 48
"Intocable"
"Ángelito" 2006 93 King of Kings
"Conteo"
(featuring Juelz Santana)
"Salió el Sol"
"Virtual Diva" 2009 iDon
"Sexy Robotica"
"Danza Kuduro"
(featuring Lucenzo)
2010 1 7 4 1 3 1 82 Meet the Orphans
"Taboo" 2011 97
"Dutty Love"
(featuring Natti Natasha)
2012 Don Omar Presents MTO2 - New Generation
"Hasta Que Salga el Sol"
"Zumba" 62
"Guaya Guaya" 2014 The Last Don II
"Soledad"
"Perdido en Tus Ojos"
(featuring Natti Natasha)
2015
"Te Recordaré Bailando"
"—" indica que a gravação não foi incluída nas paradas ou não foi distribuída naquela região.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

2009 Fast & Furious Rico Santos
Los Bandoleros
2011 Fast Five
2017 The Fate of the Furious

Referências

  1. «Don Omar discography». austriancharts.at (em German). Hung Medien. Consultado em 18 de abril de 2018. 
  2. «Don Omar discography». ultratop.be (em Dutch). Hung Medien. Consultado em 18 de abril de 2018. 
  3. «Don Omar discography». lescharts.com (em French). Hung Medien. Consultado em 18 de abril de 2018. 
  4. «Don Omar» (em alemão). GfK Entertainment. Consultado em 18 de abril de 2018. 
  5. «Don Omar discography». swedishcharts.com. Hung Medien. Consultado em 18 de abril de 2018. 
  6. «Don Omar discography». swisscharts.com. Hung Medien. Consultado em 18 de abril de 2018. 
  7. «Don Omar – Chart History: Hot 100». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de abril de 2018. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.