Edgar Duvivier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edgar Duvivier
Nascimento 27 de março de 1955 (63 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Filho(s) Gregório Duvivier
Alma mater Berklee College of Music
Ocupação músico, escultor

Edgar Duvivier (Rio de Janeiro, 27 de março de 1955) é um saxofonista e escultor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em direito em 1977, Edgar desistiu da carreira de advogado aos 23 anos e foi com seu saxofone estudar música em Boston. Formado pelo Berklee College of Music, [1]ele volta ao Brasil em 1983. Por aqui, se dedicou a fazer trilhas para cinema, televisão e teatro, onde se consagrou musicando peças de Mauro Rasi ("Estrela do Lar") e Naum Alves de Souza ("Cenas de Outono", que rendeu a Edgar o prêmio Mambembe).

No cinema, musicou filmes de Eduardo Coutinho, José Resnik e Miguel Faria Jr., cujo filme Stelinha lhe valeu, em 1990, o prémio Kikito de melhor trilha sonora do no Festival de Gramado.

Nos anos 1990 lançou três discos de música instrumental: "O Som da Terra" (1992), "Sopro do Norte" (1996) e "Sax Brasileiro" (1998), com os quais passeou por diversos ritmos, como o jazz, o choro e o samba, mostrando-se um instrumentista versátil.

Como escultor, Edgar herdou o legado de seu pai, o também escultor e homônimo Edgar Duvivier (1916-2001). [2]Assim como seu pai, erigiu diversos monumentos: a Princesa Isabel, em Copacabana; o Oscar Niemeyer e o JK, em Niterói; Nilton Santos, Jairzinho, Garrincha e Zagallo, instalados no Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro; Heleno de Freitas, em São João Nepomuceno; senador Dinarte Mariz, em Natal; Guimarães Rosa, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte; e Austregésilo de Athayde e Afrânio Peixoto, na Academia Brasileira de Letras, também no Rio. Participou de Exposições em Nova York e Chicago, e tem peças vendidas na Europa e na África. Colocou a peça “Goleiro” no Parque da Catacumba, ao lado da escultura "Encontro", de seu pai. É também autor dos bustos do cardeal Leme e do engenheiro Heitor da Silva Costa, colocados no Corcovado. Edgar Duvivier é também o autor das estátuas de Clarice Lispector e Ulísses no Leme, de Nelson Rodrigues em Copacabana, de Marcel Proust em Cabourg, França.

Desde 2009, Edgar Duvivier trabalha com Charles Möeller e Claudio Botelho, documentando os ensaios e fazendo o "making of" dos musicais da dupla, a saber: O despertar da Primavera, Gypsy, Hair, Um Violinista no Telhado, Beatles num Céu de Diamantes], As Bruxas de Eastwick, Jude, o fim do Arco-Iris, O Mágico de Oz, Milton Nascimento - Nada será como antes, Como vencer na vida sem fazer força, "Todos os Musicais de Chico Buarque em Noventa Minutos", "Os Saltimbancos Trapalhões""

Edgar é pai do ator e escritor Gregório Duvivier [3] de Bárbara Duvivier e de Theodora Duvivier

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Música Imagem (1989)
  • O Som da Terra (1992)
  • Sopro do Norte (1996)
  • Sax Brasileiro (1998)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]