Edmundo Alberto Mercer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Edmundo Alberto Mercer
Nascimento 1 de agosto de 1878
Tibagi, Paraná
Morte 1 de agosto de 1938 (60 anos)
Nacionalidade brasileira
Ocupação Político

Edmundo Alberto Mercer (Tibagi, 1 de agosto de 18781 de agosto de 1938) foi um sertanista, agrimensor, topógrafo e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do inglês Herbert Harrison Mercer[1] e de Maria de Sá Mercer, nasceu em Tibagi em 1878. Casou-se com Laurentina de Sá Bittencourt Mercer.[1] Seu filho, Edmundo Alberto Mercer Junior,[1] foi um jurista, nomeado Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná.[1]

Fez todos os estudos na capital paranaense, sendo estes os cursos primários e preparatórios e o curso de Humanidades. Realizou também um vasto estudo sobre criação de gado nos campos gerais.

Exercendo a função de comissário de terras, confeccionou perfeito mapa da região tibagiana e realizou levantamentos topográficos nas proximidades do “Salto de Sete Quedas” e em região inexplorada do Mato Grosso, na divisa com o Paraná, atualmente estado do Mato Grosso do Sul. Como agrimensor, desbravou o sertão paranaense de oeste a noroeste do estado e seus relatórios e pesquisas foram publicados nos jornais: “A República”, “Diário da Tarde”, “Comércio do Paraná” de Curitiba, “Diário dos Campos” de Ponta Grossa, entre outros.

Combateu, fervorosamente em campanha pela imprensa, o trabalho escravo de operários ervateiros e madeireiros no interior paranaense. Suas críticas nos jornais locais ecoaram em diversos periódicos das principais cidades brasileiras chegando a repercutir na câmara federal, no Rio de Janeiro.

Foi eleito em 1927 deputado estadual com 20.912 confirmações e re-leito em 1929 com 25.013 votos.[1] Foi ainda prefeito da sua cidade natal, Tibagi, realizando inúmeras obras e algumas que se perpetuam na atualidade.

Na segunda-feira, 1 de agosto de 1938, faleceu Edmundo Alberto Mercer na cidade em que veio ao mundo, exatos 60 anos atrás.

Entre as inúmeras homenagens ao sertanista paranaense, encontramos uma na capital paranaense e outra em sua terra natal; no bairro Tingui (Curitiba)[1] encontramos a Rua Edmundo Alberto Mercer e em Tibagi, a principal praça da cidade, onde ocorrem grandes eventos com destaque ao carnaval popular, leva o nome de Praça Edmundo Mercer.

Referências

  1. a b c d e f Ricardo Costa de Oliveira (2001). «O silêncio dos vencedores: genealogia, classe dominante e estado no Paraná». Moinho do Verbo. Consultado em 20 de setembro de 2015  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • NICOLAS, Maria. Sertanistas do Paraná: Os Esquecidos.Curitiba, 1981. 131 p.