El Tajín

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Cidade pré-hispânica de El Tajín *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

El Tajín 1.jpg
El Tajín
País México
Critérios C (iii)(iv)
Referência 631 en fr es
Coordenadas 20° 28′ 35″ N, 97° 22′ 39″ O
Histórico de inscrição
Inscrição 1992  (? sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

El Tajín é um sítio arqueológico pré-colombiano situado cerca da cidade de Poza Rica, localizada no estado mexicano de Veracruz. A cidade de El Tajín foi a capital do estado Totonaca.[1] O significado de seu nome é "cidade ou lugar do trovão" na língua totonaca, acreditando-se que fosse também um dos nomes dados ao deus totonaca da chuva e da trovoada.[2]

Este local foi declarado Património da Humanidade pela UNESCO,[3][4] em 14 de dezembro de 1992.[5]

História[editar | editar código-fonte]

A construção de edifícios cerimoniais em El Tajín teve início acerca do século I. Nas partes mais antigas de Tajín (do período clássico antigo) é visível a influência de Teotihuacan, no qual as zonas correspondentes ao período pós-clássico inicial mostram clara influência tolteca. A construção continuou até ao início do século XIII, altura em que a cidade foi destruída e conquistada pelos chichimecas. A ocupação humana da zona manteve-se ainda que com uma grande diminuição do número de habitantes, não tendo sido iniciadas novas construções de envergadura. Encontrava-se totalmente abandonada quando os espanhóis chegaram no início do século XVI.[4]

Com o passar do tempo, esta área foi invadida pela floresta. Em 1785, o engenheiro Diego Ruiz visitou o local tendo publicado a primeira descrição sobre o mesmo. No início do século XIX foi a vez de Guillermo Dupaix, Alexander von Humboldt e Carlos Nebel visitarem El Tajín, tendo posteriormente publicado descrições adicionais.

A primeira escavação arqueológica do sítio foi levada a cabo por José García Payon entre 1943 e 1963. O Instituto Mexicano de Antropologia e História (em espanhol: Instituto Nacional de Antropología e Historia) realizou obras de restauro adicionais no local desde a década de 1980, cuja conclusão desta ação ocorreu em 2012.[3]

Monumentos[editar | editar código-fonte]

O centro cerimonial do sítio cobre apenas cerca de 1 km² de sua área original. No entanto, existem numerosos vestígios maioritariamente por escavar, em um raio considerável.[6]

Seu centro cerimonial é constituído por várias pirâmides-templo, palácios e campos de jogo da bola.[7] A construção mais famosa é a Piramide de los Niches, que conta com seis plataformas em cerca de vinte metros de altura.[1] Trata-se de uma pirâmide de tamanho médio, em termos mesoamericanos, mas a sua arquitetura produz um efeito visualmente agradável e de grande impacto. Os degraus são feitos de blocos de pedra bem aparelhada, formando uma série de 365 nichos. Uma escadaria percorre a face este da pirâmide.[8][9]

Originalmente existia um templo no topo da pirâmide, do qual pouco resta. Alguns dos edifícios tem relevos esculpidos existindo também algumas estelas de pedra. Muitas das esculturas mostram o ritual do jogo da bola e as sangrias rituais da elite. Existe um museu neste sítio.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Wilkerson, S. Jeffery K. (1987). El Tajin: A Guide for Visitors (em inglês). [S.l.: s.n.] p. 12. ISBN 968-499-293-9 
  2. M. H. Schuster, Angela (13 de fevereiro de 1998). «The Photography of Nicolas Sapieha: El Tajin - Archaeology Magazine Archive». archive.archaeology.org (em inglês). Consultado em 3 de março de 2019 
  3. a b «Concluye INAH recuperación de murales de El Tajín». www.inah.gob.mx (em espanhol). 21 de março de 2012. Consultado em 3 de março de 2019 
  4. a b «Ciudad prehispánica de El Tajín». UNESCO World Heritage Centre (em espanhol). Consultado em 3 de março de 2019 
  5. «El Tajín, patrimonio mundial». www.inah.gob.mx (em espanhol). 17 de dezembro de 2007. Consultado em 3 de março de 2019 
  6. «Descubren relieve de personaje sagrado en el Tajín». www.inah.gob.mx (em espanhol). 11 de fevereiro de 2011. Consultado em 3 de março de 2019 
  7. Wilkerson, S. Jeffery K. (1987). El Tajin: A Guide for Visitors (em inglês). [S.l.: s.n.] p. 71. ISBN 968-499-293-9 
  8. «El Tajín, patrimonio mundial». Bienvenido al INAH (salvo em Wayback Machine) (em espanhol). 17 de dezembro de 2007. Consultado em 3 de março de 2019 
  9. Wilkerson, S. Jeffery K. (1987). El Tajin: A Guide for Visitors (em inglês). [S.l.: s.n.] p. 28. ISBN 968-499-293-9 
  10. «Museo de sitio de El Tajín». www.inah.gob.mx (em espanhol). 14 de junho de 2017. Consultado em 3 de março de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia El Tajín