Lista do Patrimônio Mundial no México

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta é uma lista do Patrimônio Mundial no México, especificamente classificada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A lista é elaborada de acordo com dez principais critérios e os pontos são julgados por especialistas na área.[1] O México é o país da América Latina com maior número de locais listados (34 sítios), sendo 27 locais de cultura, 6 locais naturais e 1 local misto.

Os primeiros seis sítios (Sian Ka'an, Palenque, Centro Histórico da Cidade do México e Xochimilco, Teotihuacán, Centro Histórico de Oaxaca, Monte Albán e Centro Histórico de Puebla) foram inscritos na lista durante a 11º Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, realizado entre 7 e 11 de dezembro de 1987 na sede das Nações Unidas em Paris, França.[2]

Bens culturais e naturais[editar | editar código-fonte]

O México possui atualmente com os seguintes lugares declarados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO:

SianKa'anBR-27527-2.jpg Sian Ka'an
Bem natural inscrito em 1987.
Localização: Quintana Roo
Na língua dos povos maias que povoavam então a região, Sian Ka'an significa "origem do céu". Situada na costa oriental da Península de Iucatã, esta reserva de biosfera abriga bosques tropicais, manguezais, marismas e uma vasta zona marinha cortada por um arrecife. Abrange uma flora de grande riqueza e sua fauna compreende mais de 300 espécies de pássaros e um grande números de vertebrados terrestres característicos da região, que coexistem no meio diversificado resultante do complexo sistema hidrológico do sítio. (UNESCO/BPI)[3]
Mexico-2669 - Palenque (2213894589).jpg Cidade Pré-Hispânica e Parque Nacional de Palenque
Bem cultural inscrito em 1987.
Localização: Chiapas
Exemplo eminente de santuário maia da era clássica, Palenqe alcançou seu apogeu entre os séculos VI e VIII e exerceu grande influência em toda a bacia do rio Usumacinta. A elegância e qualidade técnica de suas construções, assim como a delicadeza dos relevos esculpidos em temas mitológicos, servem de testemunha ao gênio criativo da civilização maia. (UNESCO/BPI)[4]
Catedral Metropolitana o.jpg Centro Histórico da Cidade do México e Xochimilco
Bem cultural inscrito em 1987.
Localização: Cidade do México
Construída por espanhóis no século XVI sobre as ruínas de Tenochtitlán, a antiga capital asteca, a Cidade do México é hoje uma das maiores e mais povoadas capitais do mundo. Além dos vestígios de cinco templos astecas localizados até o momento, a cidade possui a maior catedral católica do continente e belos edifícios públicos dos séculos XIX e XX. Situado a 28 quilômetros ao sul do México central, o sítio de Xochimilco com suas redes de canais e ilhas artificiais constitui um exemplo excepcional dos trabalhos dos astecas ao construir um habitat em um meio hostil ao ser humano. As estruturas urbanas e rurais criadas a partir do século XVI durante o período colonial foram admiravelmente conservados. (UNESCO/BPI)[5]
15-07-13-Teotihuacan-RalfR-WMA 0230.jpg Cidade Pré-hispânica de Teotihuacán
Bem cultural inscrito em 1987.
Localização: México
Situada a cerca de 50 km da Cidade do México, a cidade sagrada de Teotihuacán – "lugar onde foram criados os deuses" - foi erguida entre os séculos I e VII. Singular por seus monumentos de vastas dimensões, em particular as Pirâmides do Sol e da Lua e o Templo de Quetzalcóatl, que por sua vez estão dispostos em traçado geométrico e simbólico. Esta cidade foi um dos centros culturais e artísticos mais importantes da Mesoamérica e sua influência superou amplamente os confins da região circunvizinha. (UNESCO/BPI)[6]
Oaxaca005.jpg Centro Histórico de Oaxaca e Sítio Arqueológico de Monte Albán
Bem cultural inscrito em 1987.
Localização: Juárez[necessário esclarecer]
Este local foi habitado sucessivamente por olmecas, zapotecas e mixtecas durante quinze séculos. As terraplanagens, diques, canais, pirâmides e montículos artificiais do Monte Albán foram literalmente escavados na montanha e são símbolos de uma topografia sagrada. Situada em suas cercanias, a cidade de Oaxaca de Juárez com seu traçado ortogonal constitui uma excelente mostra do urbanismo colonial espanhol. A solidez e volume de seus edifícios, verdadeiras obras de arte da arquitetura testificam que sua construção se adaptou às características sísmicas da região. (UNESCO/BPI)[7]
Catedral y Tarde.jpg Centro Histórico de Puebla
Bem cultural inscrito em 1987.
Localização: Puebla
Situada a cerca de 100 km leste do México Central, aos pés do vulcão Popocatépetl, a cidade de Puebla foi fundada em 1531. Têm conservado seus grandes edifícios religiosos, como a catedral que data dos séculos XVI e XVII, palácios magníficos, como o do arcebispado, e um grande número de casas com paredes revestidas de azulejos. O bairro barroco da cidade é único em seu gênero, devido à adaptação local dos novos conceitos estéticos surgidas da fusão entre os estilos arquitetônicos e artísticos da Europa e América. (UNESCO/BPI)[8]
Guanaguato at night.jpg Cidade Histórica de Guanajuato e minas adjacentes
Bem cultural inscrito em 1988.
Localização: Guanajuato
Fundada por espanhóis no início do século XV, esta cidade se converteu no primeiro centro mundial de extração de prata no século XVIII. Seu passado minerador foi eternizado nas "ruas subterrâneas" e o impressionante poço mineiro da "Boca del Infierno", que tem profundidade de 600 metros. A arquitetura e os elementos ornamentais dos edifícios barrocos e neoclássicos da cidade, construídos à raiz da prosperidade das minas, exerceram uma influência considerável nas construções de uma grande parte do México Central. As igrejas da Companhia de Jesus figuram entre os mais belos exemplares da arquitetura barroca da América Central e América do Sul. Guanajuato foi também protagonista de acontecimentos que mudaram os rumos da história do México. (UNESCO/BPI)[9]
El Castillo.jpg Cidade Pré-hispânica de Chichén Itzá
Bem cultural inscrito em 1988.
Localização: Iucatã
Esta cidade sagrada foi um dos centros mais importantes da civilização maia na Península de Iucatã. Ao longo de seus quase mil anos de história, diversos povos marcaram-na com seu estilo. Os maias e toltecas deixaram inscrita sua visão de mundo e do universo em seus monumentos de pedra e obras de arte. A fusão das técnicas de construção maias com novos elementos procedentes do México Central fazem de Chichén-Itzá um dos mais importantes exemplos da civilização maia-tolteca de Iucatã. Entre os edifícios que sobrevivera ao passar do tempo figuram o Templo dos Guerreiros, o Templo de Kukulcán e o observatório astrológico circular conhecido como El Caracol. (UNESCO/BPI)[10]
(00333) Catedral la Transfiguración del Señor de Morelia EZC.jpg Centro Histórico de Morelia
Bem cultural inscrito em 1991.
Localização: Iucatã
Construída no alto de uma colina no século XVI, Morelia oferece um exemplo excepcional de planificação urbanística na qual se fundem os conceitos do Renascimento espanhol com a experiência mesoamericana. Suas ruas, perfeitamente adaptadas às ladeiras da colina, conservam seu traçado primitivo. A história arquitetônica da cidade pode ser lida em seus mais de duzentos edifícios históricos. Construídos com a pedra de cor rosa característica da região, estes monumentos manifestam a magistral e eclética fusão do espírito medieval com elementos renascentistas, barrocos e neoclássicos. Morelia foi berço de vários personagens importantes da Independência do México e desempenhou um importante papel na história do país. (UNESCO/BPI)[11]
Architectural Detail - El Tajin Archaeological Site - Veracruz - Mexico - 14 (15835893150).jpg Cidade Pré-hispânica de El Tajín
Bem cultural inscrito em 1992.
Localização: Veracruz
Situada no estado de Veracruz, a cidade de El Tajín alcançou seu apogeu entre os séculos IX e XIII, chegando a ser a mais importante do nordeste da Mesoamérica após a Queda de Teotihuacán. Sua influência cultural se expandiu por toda a região do golfo, penetrando também na região maia e nas altas planícies do México Central. Sua arquitetura é única em toda a Mesoamérica e se caracteriza pelos relevos extremamente elaborados das colunas e frisas. Na Pirâmide dos Nichos - considerada uma obra-prima da arquitetura antiga mexicana e americana - manifesta-se o significado astronômico e simbólico dos edifícios. El Tajín é um exemplo vivo e notável da grandeza e importância das culturas pré-hispânicas do México. (UNESCO/BPI)[12]
El Vizcaíno Biosphere Reserve Landsat picture big.jpg Santuário de Baleias de El Vizcaíno
Bem natural inscrito em 1993.
Localização: Baja California Sur
Situado na parte central da Península da Baixa Califórnia, este sítio abriga ecossistemas de valor excepcional. As lagoas costeiras de Ojo de Liebre e San Ignacio são lugares excelentes para a reprodução e invernada de baleias-cinzentas, focas, cavalos-marinhos e baleias azuis. Essas lagoas abrigam também quatro espécies de tartarugas marinhas em risco de extinção. (UNESCO/BPI)[13]
Catedral de Zacatecas, México..jpg Centro Histórico de Zacatecas
Bem cultural inscrito em 1993.
Localização: Zacatecas
A cidade de Zacatecas, foi fundada em 1546, pouco após a descoberta de uma rica reserva de prata, e prosperou graças a exportação deste metal precioso, alcançando seu apogeu nos séculos XVI e XVII. Edificada na recortada ladeira de um estreito vale, o panorama que oferece é uma beleza impressionante. Conserva numerosos edifícios antigos, tanto religiosos como civis, dominados pela silhueta da catedral, construída entre 1730 e 1760. Este templo é uma obra arquitetônica excepcional pela harmonia de seu traçado e a profunda ornamentação barroca de suas fachadas, nas quais se combinam motivos decorativos europeus e indígenas. (UNESCO/BPI)[14]
Catedral de Zacatecas, México..jpg Centro Histórico de Zacatecas
Bem cultural inscrito em 1993.
Localização: Zacatecas
A cidade de Zacatecas, foi fundada em 1546, pouco após a descoberta de uma rica reserva de prata, e prosperou graças a exportação deste metal precioso, alcançando seu apogeu nos séculos XVI e XVII. Edificada na recortada ladeira de um estreito vale, o panorama que oferece é uma beleza impressionante. Conserva numerosos edifícios antigos, tanto religiosos como civis, dominados pela silhueta da catedral, construída entre 1730 e 1760. Este templo é uma obra arquitetônica excepcional pela harmonia de seu traçado e a profunda ornamentação barroca de suas fachadas, nas quais se combinam motivos decorativos europeus e indígenas. (UNESCO/BPI)[15]
Antropología - Museo Nacional de Antropología ovedc wikimania 070.jpg Pinturas Rupestres da Serra de São Francisco
Bem cultural inscrito em 1993.
Localização: Baja California Sur
Situada na reserva de El Vizcaíno (Baja California Sur), a Serra de São Francisco foi entre os séculos I a.C. e XIV d.C. o local de assentamento de um povo, hoje desaparecido, que nos legou um dos mais notáveis conjuntos de pinturas rupestres do mundo. Mantidos em admirável estado de conservação devido ao clima seco e difícil acesso ao local, estes conjuntos representam seres humanos e diversas espécies animais, assim como a relação do homem com o entorno. Expoentes de uma cultura sumariamente refinada, as pinturas constituem por sua composição, dimensões, precisão de traços, variedade de cores e, sobretudo, por sua abundância, um testemunho excepcional de uma tradição artística única em seu gênero. (UNESCO/BPI)[16]
ChapelSantaCruzCV.JPG Primeiros Mosteiros do Século XVI nas Encostas do Popocatépetl
Bem cultural inscrito em 1994.
Localização: Morelos / Puebla
Localizado ao sudeste da Cidade do México, nas encostas do Popocatépetl, este sítio abrange catorze monastérios em perfeito estado de conservação. Estes edifícios são representantes do modelo arquitetônico adotado pelos primeiros missionários - franciscanos, dominicanos e agostinianos - que evangelizaram as populações indígenas no século XVI. São também um exemplo de uma nova visão da arquitetura, na qual os espaços abertos tomam uma nova importância. Esse modelo exerceu uma grande influência sobre todo o território do México e até além de suas fronteiras. (UNESCO/BPI)[17]
ATARDECER EN UXMAL.JPG Cidade Pré-hispânica de Uxmal
Bem cultural inscrito em 1996.
Localização: Iucatã
Situada em Iucatã, a cidade maia de Uxmal foi fundada em cerca de 700 e chegou a abrigar cerca de 25 mil habitantes. A disposição e seus edifícios, construído entre os anos de 700 e 1000, demonstra os conhecimentos astronômicos dos maias. O edifício batizado pelos espanhóis como Pirâmide do Adivinho domina o centro cerimonial, integrado por monumentos de impecável traçado e ricamente ornamentados por motivos simbólicos e esculturas de Chaac, a divindade das chuvas. Os locais cerimoniais de Uxmal, Kabáh, Labná e Sayil marcam o apogeu artístico e cultural maia. (UNESCO/BPI)[18]
Santiago de Querétaro Centro Historico B.jpg Zona de Monumentos Históricos de Querétaro
Bem cultural inscrito em 1996.
Localização: Querétaro
A histórica cidade colonial de Santiago de Querétaro oferece a singularidade de ter conservado seu núcleo indígena de vias serpejantes junto aos bairros traçados pelos conquistadores espanhóis. Otomis, tarascos, chichimecas e espanhóis conviveram pacificamente nesta cidade, reputada por seus inúmeros edifícios civis e religiosos em estilo barroco, profundamente ornamentados, que datam de sua idade áurea (séculos XVII e XVIII). (UNESCO/BPI)[19]
El Hombre de Fuego.jpg Hospício Cabañas, Guadalajara
Bem cultural inscrito em 1997.
Localização: Jalisco
O Hospício Cabañas foi criado no início do século XIX para prover cuidados e oferecer abrigo a todo tipo de desamparados, quer fossem órfãos, idosos ou inválidos. O conjunto arquitetônico é único em seu estilo porque, diferentemente dos centros análogos de sua época, apresente uma série de elementos absolutamente originais, especialmente concebidos para satisfazer as necessidades dos asilados. São especialmente notáveis a simplicidade de seu traçado e suas dimensões, assim como a harmonia entre os edifícios e os espaços ao ar livre. No início do século XX, a capela foi ornamentada com um conjunto de afrescos de José Clemente Orozco, um dos grandes muralistas mexicanos do período. Estas pinturas são consideradas atualmente como uma obra de arte do país. (UNESCO/BPI)[20]
Parte del recorrido Paquime.jpg Zona Arqueológica de Paquimé, Casas Grandes
Bem cultural inscrito em 1998.
Localização: Chihuahua
Paquimé (Casas Grandes) desempenhou um papel-chave nas relações comerciais e culturais entre a cultura pueblo - que se estendia pelo sudoeste do atual Estados Unidos e pelo norte do México atual - e as civilizações mais avançadas da Mesoamérica. Alcançou seu apogeu nos séculos XIV e XV. Os numerosos vestígios deste local, ainda não totalmente escavado, atestam a vitalidade de uma cultura perfeitamente adaptada ao meio ambiente e o entorno econômico, que desapareceu abruptamente na era da Conquista do México pelos espanhóis. (UNESCO/BPI)[21]
SanctuaryCandelmas17.JPG Zona de Monumentos Históricos de Tlacotalpan
Bem cultural inscrito em 1998.
Localização: Veracruz
Banhada pelo Golfo do México, a cidade portuária fluvial de Tlacotalpán foi fundada por espanhóis em meados do século XVI. Conservou admiravelmente seu traçado urbano da época colonial com ruas estreitas, casas colunadas de uma grande variedade de estilos e cores, e numerosas árvores de veneráveis idades que ornamentam os espaços públicos e os jardins privados. (UNESCO/BPI)[22]
Atardecer Naranja en la Torre del Fuerte San José el Alto.jpg Cidade Histórica Fortificada de Campeche
Bem cultural inscrito em 1999.
Localização: Campeche
Campeche é uma cidade portuária caribenha da era da colonização espanhola. Seu centro histórico conserva as muralhas e o sistema de fortificações criado para protegê-la de ataques navais. É modelo da urbanização de um povo colonial barroco, uma vez que o planejamento de suas ruas e dos muros defensivos que cercam seu centro histórico refletem a influência da arquitetura militar no Caribe. O sistema de fortificações de Campeche é um exemplo eminente da arquitetura militar dos séculos XVII e XVIII, sendo parte de uma sistema defensivo global concebido pelos espanhóis para proteger os portos do Mar do Caribe de ataques de piratas. (UNESCO/BPI)[23]
Piramide Xochicalco..JPG Zona de Monumentos Arqueológicos de Xochicalco
Bem cultural inscrito em 1999.
Localização: Morelos
Xochicalco é um exemplo de centro político, religioso e comercial fortificado, característico do turbulento período compreendido entre os anos de 650 e 900, seguintes à queda dos grandes centros políticos mesoamericanos - como Teotihuacán, Monte Albán, Palenque e Tikal. O estado de conversação de seus monumentos é excepcional. (UNESCO/BPI)[24]
Pirámides de Calakmul.JPG Antiga Cidade Maia de Calakmul, Campeche
Bem cultural inscrito em 2002.
Localização: Campeche
Situada na região centro-meridional da Península de Iucatã, ao sul do México, inclui os vestígios da importante cidade maia de Calakmul, situada no mais interior da selva tropical das Terras Baixas mexicanas. A cidade desempenhou um papel principal na história da região por mais de doze séculos. Suas imponentes esculturas e traçado global característico mantém-se em estado admirável de conservação e oferecem uma vívida imagem do que era a vida em uma antiga capital maia. Calakmul abriga também um importante santuário de biodiversidade mesoamericano, que por seu tamanho, é o terceiro maior ponto quente do planeta e reúne todos os ecossistemas tropicais e subtropicais existentes desde o México central até o Canal do Panamá. (UNESCO/BPI)[25]
Misión Santiago de Jalpan.jpg Missões Franciscanas na Sierra Gorda de Querétaro
Bem cultural inscrito em 2003.
Localização: Querétaro
As igrejas franciscanas deste sítio foram edificadas em meados do século XVIII, durante a última fase da evangelização do interior do México e se converteu em um elemento de referência para o processo de evangelização na Califórnia, Arizona e Texas. Suas fachadas ricamente ornamentadas oferecem um interesse particular por serem exemplo do trabalho criativo conjunto dos índios e missionários. Os povoados rurais criadas nas cercanias das missões conservaram seu caráter autônomo. (UNESCO/BPI)[26]
Luis Barragan - Casa Luis Barragan 張基義老師拍攝 010.jpg Casa-estúdio de Luis Barragán
Bem cultural inscrito em 2004.
Localização: Cidade do México
Construída em 1948 nos subúrbios da Cidade do México, a casa-estúdio do arquiteto Luis Barragán constitui um exemplo excepcional da obra criadora deste eminente artistas durante o período seguinte à Segunda Guerra Mundial. O edifício de concreto armado, cuja superfície totaliza 1.161 m², consiste em um pavimento térreo e dois pavimentos superiores, assim como um pequeno jardim privativo. A obra de Barragán integra elementos modernos e tradicionais em uma nova síntese, que têm exercido uma grande influência, especialmente no design contemporâneo de jardins, praças e paisagens. (UNESCO/BPI)[27]
Cabo San Lucas Rocks.jpg Ilhas e Áreas Protegidas do Golfo da Califórnia
Bem natural inscrito em 2005.
Localização: Baja California Sur / Baja California / Sonora / Sinaloa / Nayarit
Este sítio do noroeste mexicano abriga 244 ilhas, ilhotas e zonas litorânea do Golfo da Califórnia. O Mar de Cortés e suas ilhas são um laboratório natural para o estudo da especiação e conhecimento dos processos de evolução oceânica e costeira, já que quase todos eles se dão em suas áreas. O sítio inscrito é uma beleza excepcional e oferece paisagens espetaculares, nas quais a ofuscante luz do deserto e as águas de cor turquesa ressaltam os penhascos íngremes das ilhas e as praias arenosas. Abriga mais de 695 espécies botânicas e 891 ictológicas, das quais 90 são endêmicas. O número de espécies vegetais é muito superior ao registrado nos demais sítios insulares e marinhos inscritos por todo o mundo. Ainda assim, este sítio abriga entre 39% e 33% do total mundial de espécies de mamíferos marinhos e cetáceos, respectivamente. (UNESCO/BPI)[28]
Campo y cerro.jpg Paisagem de Agave e Antigas Instalações Industriais de Tequila
Bem cultural inscrito em 2003.
Localização: Jalisco
Situado entre o sopé do vulcão de Tequila e o profundo Vale do Rio Grande, este sítio se estende por uma superfície de 34,658 hectares e forma parte de uma vasta paisagem de cultivo de agave-azul, uma planta em uso desde o século XVI para produção de tequila e, há pelo menos 2 mil anos, para produção de bebidas fermentadas e confecção de roupa devido às suas fibras têxteis. Dentro desta zona paisagística estão em atividade as destilarias de tequila que são um expoente do aumento do consumo internacional desta bebida alcoólica ao longo dos séculos XIX e XX. Hoje em dia, considera-se o cultivo de agave um elemento intrínseco da identidade nacional mexicana. O sítio abrange a paisagem configurada pelos campos onde se cultiva o agave-azul e os assentamentos urbanos de Tequila, Arenal e Amatitlán, que possuem grandes destilarias onde se fermenta a pinha da planta para fabricação de álcool. Também abrange zonas de vestígios arqueológicos de cultivos em terraços, moradias, templos, túmulos cerimoniais e quadras de bola que constituem um testemunho da cultura de Teuchitlán, predominante na região de Tequila entre os anos 200 e 900 de nossa era. (UNESCO/BPI)[29]
UNAM Ciudad Universitaria.jpg Campus Central da Cidade Universitária da Universidade Nacional Autónoma do México
Bem cultural inscrito em 2007.
Localização: Cidade do México
Edificado entre 1949 e 1952, o campus central da Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM) é composto por um conjunto de edifícios, instalações esportivas e espaços abertos situado na zona sul da capital mexicana. O projeto de sua construção foi executado por mais de 60 arquitetos, engenheiros e artistas plásticos. O resultado foi a criação de um monumental conjunto exemplar do modernismo do século XX que integra o urbanismo, a arquitetura, a engenharia, o paisagismo e as belas artes, associando todos estes elementos com referências às tradições locais, e em particular ao passado pré-hispânico do México. O conjunto encarna valores sociais e culturais de transcendência universal e chegou a ser um dos símbolos mais importantes da modernidade na América Latina. (UNESCO/BPI)[30]
Vale Tehuacán-Cuicatlán: habitat originário da Mesoamérica
Bem misto inscrito em 2018.
Localização: Oaxaca
O Vale de Tehuacán-Cuicatlán, parte da região mesoamericana, é a zona árida ou semi-árida com a biodiversidade mais rica de toda a América do Norte. Composta por três componentes, Zapotitlán-Cuicatlán, San Juan Raya e Purrón, é um dos principais centros de diversificação para a família dos cactos, que está criticamente em perigo em todo o mundo. O vale abriga as florestas mais densas de cactos colunares do mundo, moldando uma paisagem única que inclui também agaves, yuccas e carvalhos. Os vestígios arqueológicos demonstram desenvolvimentos tecnológicos e a domesticação precoce das culturas. O vale apresenta um excecional sistema de gestão de água de canais, poços, aquedutos e represas, o mais antigo do continente, que permitiu o surgimento de assentamentos agrícolas. (UNESCO)[31]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Critérios operacionais da Convenção para o Património Mundial» (PDF). UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  2. «Convention Concernant la Protection du Patrimoine Mondial, Culturel et Naturel - Onzième Session» (PDF). UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  3. «Sian Ka'an». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  4. «Pre-Hispanic City and National Park of Palenque». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  5. «Historic Centre of Mexico City and Xochimilco». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  6. «Pre-hispanic city of Teotihuacan». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  7. «Historic Centre of Oaxaca». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  8. «Historic Centre of Puebla». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  9. «Historic City of Guanajuato». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  10. «Pre-hispanic City of Chichén Itzá». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  11. «Historic Centre of Morelia». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  12. «Pre-hispanic city of El Tajin». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  13. «Whale Sanctuary of El Vizcaino». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  14. «Historic Centre of Zacatecas». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  15. «Historic Centre of Zacatecas». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  16. «Rock Paintings of Sierra de San Fransico». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  17. «Earliest 16th-Century Monasteries on the Slopes of Popocatepetl». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  18. «Pre-Hispanic Town of Uxmal». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  19. «Historic Monuments Zone of Querétaro». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  20. «Hospicio Cabañas, Guadalajara». UNESCO. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  21. «Archeological Zone of Paquimé». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  22. «Historic Monuments Zone of Tlacotalpan». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  23. «Historic Fortified City of Campeche». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  24. «Archaeological Monuments Zone of Xochicalco». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  25. «Calakmul». UNESCO. Consultado em 16 de janeiro de 2018. 
  26. «Franciscan Mission on the Querétaro Hills». UNESCO. Consultado em 16 de janeiro de 2018. 
  27. «Luis Barragán House and Studio». UNESCO. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  28. «Islands and Protected Areas of the Gulf of California». UNESCO. Consultado em 16 de janeiro de 2018. 
  29. «Agave Landscape and Ancient Industrial Facilities of Tequila». UNESCO. Consultado em 16 de janeiro de 2018. 
  30. «Central University City Campus of the Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM)». UNESCO. Consultado em 16 de janeiro de 2018. 
  31. «Tehuacán-Cuicatlán Valley: originary habitat of Mesoamerica». UNESCO. Consultado em 5 de julho de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]